Ressaca do Natal…

Cá estamos nos no nosso planeta Azul, após festejarmos o Natal do Ano de 2007 dc, lol.

Espero que tenham recebido muitas prendinhas, e que tenham gostado das mesmas.

Se possível espero que tenham passado a época com quem mais é querido e possam ter tido um convívio saudável com os mesmos.

E claro que ainda andamos alguns com a «ressaca» do natal, mas não faz mal, Natal é mesmo para aproveitar e abusar um pouco das coisas que nos privamos ao longo do ano, se assim não fosse, como poderíamos provar as coisas boas que temos na mesa no Natal???

Estamos a 3 dias de nos despedir de 2007, e como tal vamos aproveitar estes mesmos dias para preparar a tão famosa passagem de ano.

Por isso despeço-me e desejo a todos uma Fantástica Passagem de Ano e Um Fantástico 2008!!!!!!!!!!!!!!

RT

Votos de Feliz Natal!!!!!

natal1.jpg

Cá estamos nós no dia 24 de Dezembro de 2007, ou seja, é vespera de Natal.

Cada um festeja esta data a sua maneira, uns de uma forma mais tradicional, outros de uma maneira mais moderna.

Deixo os votos de Bom Natal para todos os meus amigos e para os seus.

Aproveitem esta quadra que cada vez menos é uma época de paz de de alegria, devido a questões sócio economicas, mas fica para proximas nupcias esta calorosa troca de ideias.

Votos de Um FELIZ NATAL.

Bjs e Abraços

RT

Poder de compra em Portugal.

Passo a trancrever a noticia de 17 de Dezembro presente no site da agência financeira:

« Portugal está atrás de países como Espanha, Grécia, Chipre e Eslovénia e a par com República Checa e MaltaO poder de compra dos portugueses, quando comparado com o dos parceiros europeus, voltou a cair em 2006.De acordo com dados do Eurostat, o instituto de estatística da União Europeia, o poder de compra nacional caiu de 76% da média europeia para 75%.

Uma das principais conclusões do estudo é que o poder de compra continua a registar grandes disparidades no espaço europeu, oscilando entre um mínimo de 37% da média e um máximo de 280%.

O Produto Interno Bruto (PIB) per capita, medido em paridades de poder de compra, foi mais elevado no Luxemburgo, onde atingiu mais de 2,5 vezes a média. No caso da Irlanda, ficou 50% acima da média, na Holanda, Áustria, Dinamarca, Suécia e Bélgica, entre 20 e 30% acima. O Reino Unido, a Finlândia, a Alemanha e a França registaram números entre 10 e 20% acima da média europeia. Em linha com a média comunitária ficaram a Espanha, a Itália e a Grécia.

Com um poder de compra cerca de 10% inferior à média ficaram Chipre e Eslovénia, sendo que a República Checa, Malta e Portugal ficaram entre 20 e 25% abaixo da média. Pior, só mesmo a Estónia, a Hungria e a Eslováquia (35% abaixo da media), a Lituânia, a Letónia e a Polónia (40% a 50% abaixo da média) e finalmente a Roménia e a Bulgária (cerca de 60% abaixo). »

Perante esta noticia, penso que só temos a concluir que com o aumento da inflacção, aumento do poder de compra, e o reduzido aumento dos ordenados, estamos a caminhar para ano a mais ano ficarmos cada vez mais pobres, e de nos afundarmos na UE.

Acho que a politica só virada para o controlo do défice, não pode ser tão repressiva, sendo mesmo que ele já se encontra segundo o nosso PM abaixo da taxa de 3%, que era a prevista para o final deste ano, ora se o objectivo foi conseguido, por que não agora «festejar» com os seus clientes (portugueses) e dar um menos aperto a nivel de IRS, IVA e acima de tudo ter em conta, que o controlo do défice originou outros problemas e cada vez mais graves, são os problemas sociais, desde roubos,  assaltos e mortes como as do Porto estão actualmente na berlinda.

A Grande questão é: Vale a pena a cobiça do dinheiro, em prol dos direitos humanos como a vida???

Fica no ar para comentário a questão…

RT

Natal e Portugal em 2007

images.jpg 2.jpg

Faltam 20 dias, é verdade, com a chegada do pai natal aos canais de distribuição por este país todo, parece que entramos indefenidamente em contagem decrescente…

O Natal está ai… com os 8% do desemprego.

Mais uma do nosso Sócrates, acho que tem muito que fazer, na economia, e não enganar as pessoas.

Que fique aqui bem explicito:

Em Portugal:

– as qualificações a nível de superior não são reconhecidas

– as ajudas de natalidade, são fraldas, ninguem quer ter filhos sem casa e sem emprego

– qualquer dia nem a rua se pode sair

– o meio ambente não é protegido, querem que se ande muito de carros e transportes pra encher o estado de guito, e poluir ainda mais.

– nada tem solucao a continuar assim

Votos de boa contagem decrescente, e comentem

RT