As Vantagens e Desvantagens dos Carros Eléctricos em Portugal

Carro Electrico da Nissan

Carro Electrico da Nissan

Hoje trago uma noticia dada pelo nosso primeiro ministro sobre os automóveis eléctricos, passo a transcrever a mesma do site da Agência Financeira e de seguida faço um comentário:

« 5 mil euros para quem comprar carro eléctrico

Também há incentivos para empresas, que terão redução de 50% em IRC

Também há incentivos para empresas, que terão redução de 50% em IRCO primeiro-ministro anunciou esta segunda-feira que quem adquirir carro eléctrico receberá cinco mil euros de incentivo, que chegará a 6500 se entregar um veículo para abate, e que as empresas terão redução de 50 por cento em IRC.

As medidas foram apresentadas por José Sócrates em São Bento, momento depois de o Estado Português e a Renault Nissan terem assinado um memorando para a instalação em Portugal de uma fábrica de baterias para carros eléctricos.

Na sua intervenção, depois de lembrar que já não há impostos para os carros eléctricos, José Sócrates disse que o executivo vai em breve legislar no sentido de atribuir cinco mil euros a cada cidadão que opte por um carro eléctrico.

Subsídio de cinco mil euros até 2012

Os cinco mil euros serão concedidos a quem decidir comprar um carro eléctrico novo, subsídio que se prolongará até 2012. Por outro lado, o Estado Português comparticipará com 6500 euros «no caso de essa aquisição resultar do abate um veículo usado».

Já em relação às empresas que optem por ter a sua frota constituída por veículos eléctricos, o primeiro-ministro afirmou que terão uma redução de 50 por cento em IRC.

Ainda de acordo com o primeiro-ministro, o Governo vai também legislar em breve para que os novos edifícios tenham «obrigatoriamente pré-instalação de postos de abastecimento para carregamento dos carros eléctricos nas garagens. É absolutamente essencial que Portugal tenha uma infra-estrutura que garanta que nos novos edifícios os utilizadores de carros eléctricos tenham condições para acesso a uma rede de carregamento».

Para Sócrates, a instalação em Portugal da fábrica de baterias da Renault Nissan para carros eléctricos representa o primeiro passo para a instalação novos investimentos no país neste sector tecnológico.»

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=1076825&div_id=1728, a 20 de Julho de 2009, em Agência Financeira

O meu comentário:

Muito bem, é de louvar alguma medida que vise proteger o nosso meio ambiente, esta trata-se de uma medida bastante boa, no entanto, penso que possivelmente irá ter pouca adesão pela população portuguesa, pelo menos uma fase inicial, pois os Portugueses, têm ainda pouca formação a nível de ambiente, no que concerne aos automóveis.

Senão vejamos, os carros e pelas fotos que estão pela Internet, são carros com design pouco atractivo e tem cariz bastante de utilitário, que serve para utilizações citadinas, de casa trabalho e pouco mais. Os portugueses essencialmente os mais tradicionais, ou seja, os não tão consumistas e que moram na sua maior parte fora da grande olham para o automóvel, como um objecto de culto, de posse, como se olha para relógios de luxo.

Muitas famílias, nomeadamente na província compra o carro, como sendo o carro da família, serve para o marido ir para o trabalho, e para se passear aos fins semana, serve também para ir de férias, ou seja, serve essencialmente para tudo, são carros essencialmente de cariz utilitário, no entanto, estes famílias se virem um Mercedes, ainda que importado da Alemanha com 20 e tal anos, ou seja, daqueles dos anos 80, eles compram, pois na altura, era o carro de sonho, e como não tinham possibilidade de o comprar, podem agora comprar e ainda por cima, gabar-se de que é importado.

Outra conjectura adversa, é a questão de muitos dos empregos das pessoas, essencialmente dos jovens, estão por vezes mais distantes dos locais de residência, o que faz com que se tenham carros mais económicos, essencialmente a gasóleo, embora polua mais é o que se pode ter mediante os ordenados que se pagam em Portugal, e o preço do combustível. Esta distância, pode tornar os carros eléctricos um pouco mais difíceis de vender, pois no carro eléctrico tem que se planear as rotas e as viagens e hoje em dia com a constante mutação das vidas das pessoas, o planeamento é no momento, deixando de se poder planear em longos períodos.

O País merece ter uma alternativa aos combustíveis fosseis, e a ideia de um carro eléctrico é de louvar, no entanto, no caso português, penso que servirá mais essencialmente para as grandes cidades, e o carro servirá essencialmente como segunda viatura, pois os carros são pequenos, e não tem linhas de design atraente, pode ser que seja um fenómeno tipo como os SMART à uns anos em Portugal.

Outra questão, é que a juventude em regra geral, está mais predisposta a poupar o ambiente, mas depende do preço dos automóveis e da necessidade de deslocação da juventude. A juventude gosta de ter um carro atraente, depende de como evoluírem os automóveis, penso que se pode comprar o cativar da juventude à relação entre design, qualidade e preço.

Penso que o principio e para se dar exemplos, deveria ser em projectar autocarros ou táxis a luz eléctrica, pois se calhar o principio seria mais visível às pessoas, e as pessoas poderiam ficar mais convencidas.

Quando a obrigatoriedade de os edifícios terem capacidade de poder abastecer os veículos, é boa, no entanto, convém saber como vai ser isso, como irão funcionar, penso que a legislação é mais importante, que propriamente a obrigação de se ter.

Basicamente, os carros eléctricos no seu geral são bons para Portugal, mas a adesão penso que pelo nos primeiros anos, pelo público nacional vai ser fraca, devido às condições de vida que temos, aos salários precários, e de essencialmente o carro vir a ser um 2º carro, sendo que muitas pessoas não têm possibilidade para ter o referido 2º carro. Outro entrave, é o factor cultural dos portugueses têm como culto para o automóvel, essencialmente fora das grandes cidades. As distâncias e organização dos percursos ser cada vez mais na regra do «just in time», e não existir abastecimento rápido e eficaz em todo lado. Os designs pouco atraentes, aliados a uma qualidade ainda desconhecida, podem não ser muito boas, sendo que as marcas de renome, ao aplicarem este tipo de tecnologia podem ajudar na dissipação de duvidas e ajudar a cativar as pessoas.

A favor, tem a qualidade para o ambiente, a possível redução de custos face a combustíveis fosseis  e dependência que temos actualmente dos mesmos. A construção de uma fábrica em território nacional é bom desde que não se cometam os erros do passado, com as multinacionais, em que, muitas delas estão a deslocalizar, o que já se previa devido aos baixos custos oferecidos por países como, é exemplo, a China; sendo uma mais valia as questões de emprego que vai oferecer.

Vamos a ver, no entanto, tem mais a favor que contra, penso que aqui o maior entrave mesmo, é das pessoas, que por questão sociais, monetárias, culturais entre outras, que podem atrasar este avanço.

Deixo a questão: Qual a sua opinião sobre os carros eléctricos?

Tenho Dito

RT

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s