Gosta de Big Mac?? Quer Saber Quanto Tempo Tem de Trabalhar Para Adquirir Um…

Custo de Vida

Custo de Vida

Hoje trago uma notícia sobre um assunto peculiar, o custo de vida em algumas das principais cidades do mundo, passo a transcrever e de seguida passo a fazer a minha análise:

« Lisboetas trabalham 23 minutos para comprar um Big Mac

Num estudo hoje publicado pelo UBS e que compara o custo de vida de 73 cidades, o banco suíço estima que os lisboetas precisem de trabalhar nove minutos para comprar um quilo de arroz, 23 minutos para comprar um Big Mac e meia hora para ter o dinheiro suficiente para comprar um quilo de pão. Mas para outros luxos como adquirir um iPod nano de 8 Gigabites os lisboetas precisam de quase três dias de trabalho: 19,5 horas. Sendo mais que as cidades onde o iPod é mais barato – os nova-iorquinos têm de trabalhar nove horas para comprar o leitor de música da Apple – está bem longe do tempo que um indiano terá de trabalhar para adquirir o iPod ao mesmo preço: 177 horas.

Comparando com a capital espanhola, os lisboetas precisam de trabalhar mais que um madrileno para comprar um quilo de arroz (que custa mais dois minutos de trabalho do que em Madrid) e um Big Mac (mais quatro minutos), mas o mesmo já não acontece com o iPod e o pão. Um iPod custa 15,5 horas de trabalho a um lisboeta e 19,5 a um madrileno enquanto que o pão custa 30 minutos na capital espanhola e 11 minutos na portuguesa.

No mesmo estudo Lisboa aparece em 35º lugar quando se compara o custo de vida das 73 cidades de todo o mundo, bem longe da cidade mais cara do ranking, Oslo. Este ranking é elaborado tendo como base de referência o custo de vida de Nova Iorque. Entre as cidades mais baratas para se viver estão Manila, capital das Filipinas e duas cidades indianas: Deli e Bombaim.
No que respeita aos salários, os lisboetas também estão no meio da tabela, ou seja, 28 lugares a baixo de Nova Iorque, no 32º lugar. Nesta tabela só três cidades estão acima de Nova Iorque: Copenhaga, Zurique e Geneva. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/19048-lisboetas-trabalham-23-minutos-comprar-um-big-mac, em Jornal I, a 19 de Agosto de 2009

A minha análise:

Muito bem, parece que nem se fica muito mal, a capital do nosso país, pelo menos no que concerne a bens duradouros, já em bens de primeira necessidade, temos que trabalhar até mais que os nossos irmãos espanhóis.

Este estudo na minha óptica, reflecte que o nosso país está mal nos dados básicos, e essenciais à vida, como são a alimentação, roupa, produtos de higiene…etc.

Já alguma vez repararam na factura das compras, por exemplo, no talão do supermercado? Já repararam de como é de justo ou injusto no nosso código do IVA (CIVA), senão vejamos, os produtos de higiene pessoal, são na sua maioria tributados com a taxa máxima, que actualmente, é de 20%. Por exemplo, um simples shampoo, um desodorizante, entre outras coisas, são tributados a esta taxa. Não acham que coisas básicas como um sabonete, um shampoo, etc, não deveriam ser tributadas a uma taxa intermédia de 12%, ou mesmo a uma taxa de bens de primeira necessidade, que é 5%?

Na minha opinião, existem coisas incoerentes no CIVA, e o nosso, custo de vida é influenciado por pequenas coisas, como estas, ou seja, deveria-se colocar a taxa reduzida, todos os bens essenciais, ou quando muito a uma taxa intermédia.

A revisão do CIVA, deveria ser aplicada, de um certo período de tempo, ou quando, se assim se justificasse, pois estão sempre a aparecer novas soluções que têm colocados outras mais antigas em desuso, convenhamos, ninguém se lava, nos dias de hoje, com sabão somente…

Outro factor que tem influenciado o custo de vida, e os minutos necessários para se comprar, é a inflação, apesar da mesma, nos últimos tempos não ter subido, ou estar, em valores mínimos, no passado, fez das suas, especialmente na transição da moeda, de escudo para euro, fazendo com que os bens tenham subido nessa altura de uma forma repentina, por exemplo, hoje um café mais barato custa em Portugal cerca de 0.60€, o que traduzindo para escudos são 120$00, o que é muito caro, para o custo de passar um pó por água, claro que temos custos fixos, como o espaço (café), a amortização da máquina de café, a electricidade, a água.., mas mesmo assim, penso seja, um custo muito grande, se no mesmo café, podemos ter um fino por mais 0.20€, e este, envolve muita produção até chegar ao copo.

Penso que o custo de vida, depende muito da inflação e do que o mercado regula, como sendo, o custo mínimo aceitável para o produto, e isso, é que e díspar entre as capitais analisadas, sendo que, devemos ter em conta, que culturalmente tomar um café em Portugal, não é o mesmo que em Espanha, ou noutros países, o que faz com que tendencialmente o preço do café em Portugal, seja mais reduzido, pois vende mais que noutros países onde a cultura de beber um café não se encontra tão entranhada.

Só para terminar, existem cadeias de fast food, que se têm aproveitado, e têm subido nos últimos tempos os preços, de tal forma, que por vezes 5€, não chegam quase para se comprar um menu normal, o que tendo em conta, o nosso ordenado mínimo, de pouco mais de 400€, e seguindo, a tradição que a fast food, é uma comida barata, pode estar a sair desse segmento de baratinha.

Este estudo vale o que vale, penso que o custo de vida, está ligado a valores auferidos, impostos, e preços, a conjugação destes 3 itens, é que pode ditar correctamente o custo de vida dos cidadãos deste ou daquele país, e não uma análise isolada de um só item.

Deixo a questão: Qual o seu ponto de vistas deste estudo?

Tenho Dito

RT

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s