OCDE Quer Limitar o Lay Off…Será Que Conseguirá Atingir o Objectivo…

Medidas Para Limitar o Lay Off...     Fonte: www.investment-blog.net

Medidas Para Limitar o Lay Off... Fonte: http://www.investment-blog.net

A notícia que trago hoje, é sobre uma medida que visa a fomentar o emprego, vamos ver se a medida vai atingir bom porto, passo a transcrever a mesma e de seguida faço um comentário.

« OCDE quer limitar lay off para combater a sombra da crise

Encontro em Paris debate soluções para o desemprego. Recuperação à vista, diz secretário-geral

Evitar que a sombra da crise tape por muito mais tempo o emprego. É este o mote do encontro da OCDE que arrancou ontem em Paris. Se o debate entre especialistas visa encontrar novas soluções para o pico de desemprego, uma já está definida: “Limitar ao máximo a opção do lay off”, disse o secretário-geral Angel Gurría no discurso de abertura. “Os governos já começaram a actuar com pacotes de estímulo fiscal. Estimamos salvar entre 3,2 e 5,5 milhões de postos de trabalho em 2010”, adiantou o responsável.

Mas, perante o pior cenário, a medida é insuficiente. À taxa actual de crescimento, o desemprego na OCDE pode atingir os 10% já em 2010, com mais 25 milhões de desempregados face a 2007 – um agravamento de 80%. A última análise, de Julho, obriga a carregar depressa no travão. A média do desemprego nos 30 estados-membros atinge o valor mais elevado desde o pós-guerra: 8,5%.

Para Gurría, apesar de os números serem “assombrosos”, a recuperação global está à vista. “Vemos um esforço sem precedentes para curar a crise financeira e estimular a procura”, disse, destacando o impacto nos jovens, pessoas pouco qualificadas, imigrantes, minorias étnicas e trabalhadores precários. “Em muitas economias emergentes, muitos trabalhadores foram forçados a aceitar trabalhos ainda mais precários e mal pagos e enfrentam hoje situações de pobreza”, sublinhou o responsável.

Assegurar redes de apoio social e ajustar a reintegração no mercado laboral foram algumas das sugestões deixadas ontem. Já resolver a falta de emprego dos mais jovens deve ser uma “política central”, afirmou Gurría. “Não podemos deixar que esta crise resulte na perda de uma geração. Ajuda na procura de trabalho, formação e programas para prevenir o abandono escolar são medidas ainda mais urgentes nesta conjuntura.”»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/25276-ocde-quer-limitar-lay-off-combater-sombra-da-crise, a 29 de Setembro de 2009, no Jornal I

O meu comentário:

Pois bem, mais uma vez, estamos perante uma medida em teoria é boa, mas que penso que seja muito difícil, ser colocada em vigor, pois os patrões tem legislação mais que suficiente para poderem escapar a estas leis, isto porque, em vez de se fazer o denominado lay off, as pessoas contratam a termo e depois despedem, ou seja, e um mal maior que o lay off.

Na generalidade, as empresas quando colocam em lay off, das duas umas, ou não estão interessadas no trabalhador, ou então, algo vai ser feito com a empresa, ou deslocalizada, ou mudança de denominação, insolvência, etc, e o trabalhador deve estar atento a estas situações, e se possível, tentar arranjar, outro emprego, nem que seja, em part-time, para se poder precaver, do desaparecimento da organização, ou então, o desinteresse da empresa no empregado.

O problema é que o queijo e faca, estão sempre na mão do mesmo, ou seja, da entidade patronal, no entanto, penso que a transparência por parte da entidade patronal, pode ser muito salutar, pois pode até em caso de estar em maus lençóis, solicitar e negociar com os empregados, melhor situação possível e ter o esforço de todos, que desta forma remarão num só objectivo, de tentar segurar e levar a empresa a sair da referida crise.

O que os empresários ainda não se aperceberam, é que a empresa não é deles, mas sim dos seus clientes, pois se não houver clientes, a empresa não tem razão de existir e está-se a produzir, na gíria conhecida como produzir para aquecer. O cliente é a única razão de existência de uma empresa, dentro dos clientes, temos os externos e os internos, os clientes externos, são os que compram e não são funcionários, os internos são os funcionários da organização, e se estes internos não estiveram encaixados e coesos no rumo da organização, não é possível persuadir os externos a comprar.

As medidas de desemprego, ou mesmo o, lay off, não são medidas genericamente bem vistas por clientes, em primeira estancia os internos e de seguida os externos, geralmente se os externos se apercebem que a empresa está em maus lençóis, a tendência é para que comecem a encontrar um fornecedor alternativo, pois, a ideia que retêm é que no médio ou longo prazo, a empresa o vai deixar de poder o servir com até então, e desta forma, não ajuda a empresa a na sua recuperação.

A ideia ao impedir que os clientes internos, se revoltem na empresa, e mais fácil negociar, mais fácil dialogar, e que todos, saibam o estado da empresa, e as alternativas de viabilização, e que todos contribuam na busca de um objectivo, onde todos vão sair a ganhar em primeira estancia e seguidamente e ainda mais importante, o cliente externo, que ao não se aperceber do sucedido, não vai propenso à mudança dos seus hábitos de consumo.

Penso que a medida é boa, mas vamos aguardar para ver, como vai ser regularizada e implementada e esperar que se atinjam os objectivos, embora tenha muitas reservas, sobre a referida lei

Deixo a Questão: Que pensa desta medida da OCDE?

Tenho Dito

RT

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s