Governo Vai Abrir 5000 Estágios Para Jovens Licenciados…Mas Somente em 2010

Estágios Na Função Pública...

Hoje trago algo, que surpreendeu-me por uma parte, mas desiludiu-me por outro, a questão é que o Estado dá oportunidade com uma mão, mas tira com a outra, bem mas passo a transcrever a notícia, seguida de um comentário:

«Função Pública: estágios vão custar 55 milhões ao Governo

Programa vai abranger cinco mil jovens licenciados

O programa de estágios profissionais na Administração Pública, lançado pelo Governo e que irá abranger cinco mil jovens licenciados, custará 55 milhões de euros por ano, anunciou esta quinta-feira o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, escreve a Lusa.

A estimativa do impacto deste programa nos cofres do Estado foi feita no final do Conselho de Ministros, que aprovou o regime do programa de estágios profissionais na Função Pública.

De acordo com Teixeira dos Santos, no final do primeiro semestre do próximo ano, os cinco mil jovens, com idades até aos 35 anos, já estarão «repartidos e colocados nos diferentes serviços da Administração Pública».

O ministro explicou que as condições de remuneração deste jovens são equivalentes às dos estágios profissionais promovidos pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que correspondem a duas vezes o Indexante de Apoios Sociais (IAS) mais subsídio de alimentação, o que corresponde a «um pouco mais de 900 euros mensais». »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/portugal-estagios-governo-funcao-publica/1106031-1730.html, a 26 de Novembro de 2009, em Agência Financeira

O meu comentário:

Penso que esta medida de apoiar os licenciados, neste caso, os mais novos, é de salutar, pois pelo menos demonstra da parte do governo uma abertura para poder apostar nestas pessoas, que têm sido nos últimos tempos, colocadas à margem da sociedade.

Esta medida, serve de exemplo, para as organizações seguirem os mesmos passo que o Estado, e possam ser mais permeáveis à entrada de gente nova para as organizações, no entanto, podem fazer melhor, pois podem em vez de ser um estágio somente, e que muito dificilmente servirá de rampa de entrada para uma integração destes mesmos jovens nos quadros de pessoal, as empresas, podem ser responsáveis e além do estagio, poderem ficar com alguns destes jovens, demonstrando ao Estado que é possível, ter pessoas licenciadas nos quadros e que as mesmas são tão competentes como as mais antigas, somente, estão à espera de uma oportunidade de mostrar o seu valor e de incrementar o valor da organização.

No que concerne à medida estatal, o que apontei acima, de ser apenas um estágio e de não ser assegurada a integração, é algo de lamentar, pois o Estado deveria ser o primeiro a dar o exemplo, e a substituir de forma gradual os mais velhos pelos mais novas nas suas fileiras, dando desta forma, a possibilidade de uma geração mais nova, com novas ideias, novos conhecimentos e consequentemente mais existentes de poder mudar alguns dos procedimentos da função publica, que muitas vezes, parecem em certos casos, que estamos num país de 3º Mundo.

No entanto, penso que é algo que devemos ter em conta, que a juventude actual, é uma juventude bastante informada e com muitas ideias e sonhos, ambiciosa e pretende ter um trabalho, pretende colocar em prática medidas vanguardistas, e que se prendem essencialmente com o agilizar de procedimentos, qualidade dos serviços prestados e de dá valor a marcas, e imagem das mesmas. Esta juventude tem muito a fazer, por este país, pois no que concerne ao Estado, penso que uma lufada de ar fresco será algo que pode ajudar, o serviços do Estado serem mais credíveis e mais confiáveis e merecer a confiança dos clientes, que neste caso, são contribuintes. No caso das empresas, com os primeiros sinais de passagem da crise, devemos assistir a uma competição cada vez mais arisca no mercado empresarial, essencialmente nas empresas que competem entre si, sobrevivendo as que estiverem mais na vanguarda, competentes e qualidade acima da média, coisas que só se podem atingir, se tivermos uma equipa coesa, trabalhadora e dedicada, coisas que só a juventude, essencialmente a licenciada consegue contribuir.

Apostem nesta juventude e não se vão arrepender.

Deixo a Questão: Que pensa da criação de 5 mil estágios por parte do Estado?

Tenho Dito

RT

Anúncios

116 pensamentos sobre “Governo Vai Abrir 5000 Estágios Para Jovens Licenciados…Mas Somente em 2010

  1. Acho uma optima oportunidade para quem tem menos de 35 anos, em contrapartida acho uma discriminação para os recém licenciados com mais idade, que tiveram que fazer um enorme esforço para trabalhar e estudar ao mesmo tempo, em prejuizo muitas vezes das familias, pondo em risco os laços familiares.
    Afinal estamos num pais de oportunidades para todos ou só para alguns?
    É uma discriminação etária inaceitavel.
    Os estudantes trabalhadores além do seu esforço por vezes sobre-humano, sustentaram o seu curso, e os “Jovens Licenciados” como contribuintes que são.
    Não se compreende a famosa frase “Aprendizagem ao longo da vida” e “o salto tecnologico” que o nosso governo tanto apregoa.
    Com esta discriminação referida, torna o investimento que os maiores de 35 anos fizeram inaplicável, assim como vai contra a constituição da Republica Portuguesa, a serem os primeiros a fazer discriminação.

    Sem mais, esta é a opinião indignadade uma Recém-licenciada no desemprego com 45 anos.

  2. Sra Emilia, eu não estou nada de acordo com o que acabou de expor, visto que a sra. já tem os tais 45 anos de idade e é recém-licenciada, o que é engraçado será que já fez algum tipo de descontos para a seg.social até hoje!? Se o mercado de trabalho está péssimo para os novos, pior para quem não aproveitou enquanto era tempo (gerações anteriores), eu digo, sou recém licenciado e tenho 23 anos de idade, se os “mais velhos” forem tirar estas pequenas oportunidades dos novos mostrarem o que valem e que também têm direito de viver e formar familia e conseguir sustentar uma familia, é necessário haver trabalho, se não para quem é que todos querem ter filhos um dia, mais valia não os ter porque os mais “velhos” querem tirar as oportunidades aos mais novos.

  3. Eu acho a oportunidade excelente, e estou de acordo com o ultimo comentário, pois o programa de estágios profissionais (em geral) são como que um incentivo dado pelo Estado aos recém licenciados de ganharem experiência (pois a empresa só paga metade do vencimento) e mostrarem aquilo que aprenderam! Ora uma pessoa com mais de 35 anos das duas uma: ou já tem experiência, ou teve mais de 15 anos a pasmar na faculdade…

    • Como jovem recém licenciada que terminou o curso aos 23 anos, pasma-me ver como é que uma recém licenciada olha para este tipo de situações alheias, sem uma gota de humanidade e análise. Nem todas as pessoas que não se licenciaram até aos 35 o fizeram por opção. Muitas não tiverem a possibilidade que grande parte dos jovens licenciados tiveram que é muito importante no país em que vivemos – ou seja a ajuda dos pais ou de algum familiar a pagar o curso, para que o jovem possa usufruir da vida de estudante sem ter de se preocupar com mais nada – entristece-me ver como as pessoas não compreendam que nem todos têm as mesmas oportunidades ao longo da vida, e que algum têm de suar bastante para atingir o que muitos têm de mão beijada. Acho que uma pessoa que tira o curso depois dos 35 anos não é menos do que os restantes. Pelo contrário, tem mais valor pois esforçou-se para andar a estudar enquanto trabalhava para pagar esse mesmo curso e as despesas restantes. E é mais difícil ainda inserir-se no mercado de trabalho, pois já tem a tal idade superior aos 35 anos.

      Claro que nem todos os casos são iguais, certamente. Mas apelo a que as pessoas sejam mais humanas e compreendam as diferentes vivências. Antes de fazer certos juízos de valor. Cumprimentos.

    • Tenho 37 anos e licenciei-me com 36.
      Infelizmente não pude estudar quando tinha 20 porque perdi o meu pai com 13 anos e a minha mãe sozinha não podia arcar com as despesas da minha educação superior. Vivo no Algarve onde os transportes públicos funcionam até ás 20h00, mesmo que quisesse estudar e trabalhar não poderia fazê-lo porque os horários do trabalho não eram compatíveis com os dos transportes, além de que o meu curso funciona apenas em horário diurno. Mas aos 33, com 2 filhos, marido, casa e emprego (que perdi entretanto)decidi tirar um curso superior numa universidade pública, conjugando como podia horários de trabalho e de aulas. Sujeitei-me às provas necessárias e entrei. Concluí a minha licenciatura em 3 anos (também não tenho culpa que o Bolonha tenha sido instituído) com uma média de 15 valores e uma monografia de final de curso de 17 valores (a melhor nota que o meu departamento tinha atribuído a um aluno em 5 anos). Tenho muita experiência profissional porque trabalhei muitos anos mas nenhuma na área do meu curso. Se me foi permitido ingressar, frequentar e concluír a minha licenciatura porque não posso ter a mesma oportunidade de demonstrar os conhecimentos que adquiri?

      • Olá, Cara Susana

        Desde já agradeço a sua participação no Blog.

        Perante a sua participação, leva-me a dizer mais uma vez, tal como eu, que é injusto, e que por as mais diversas situações não nos deixem alcançar um trabalho dento da área de curso.

        Refiro ainda, que existem muitas propostas de emprego, mas assentes em «experiência», mas se temos a dita «experiência», dizem que não é bem aquela que pretendem, ou que a mesma não é na área do curso…

        Enfim, e refira-se o mais importante, depois dos 30 anos já somos muito velhos para o trabalho..

        Cara Susana, participe mais vezes, e com comentários construtivos como o que fez, pois pelo menos aqui a censura não existe..

        Sem mais agradeço.

        RT

  4. A questão é que esta é mais uma medida de “areia para os olhos”. Ou acreditam que depois dos estágios as pessoas têm uma porta aberta para a função pública? A resposta é não, a não ser que tenham/ganhem bons contactos.
    Ou seja: é mais um emprego precário e por pouco tempo…

  5. Boa noite. Sou licenciado deste 2007, tenho 25 anos.
    Alguém sabe quando irão abrir estes estágios? Pena que sejam apenas 5000 porque os licenciados desempregados são muitos mais, e é muito triste ver jovens como nós serem discriminados quando procuramos qualquer tipo de trabalho, só para nos irmos “aguentando”, e sermos colocados de lado em detrimento de outros jovens com o 9º ano, que nunca fizeram nada na vida.
    Não é por acaso que somos a “Geração à rasca”

    • Ainda não se sabe, mas penso que deve estar para breve, no entanto, se me for oportuno, mal saiba, deixo aqui no blog. Da mesma forma agradeço, a quem souber, se puder partilhar a informação, agradece-se.

      Obrigado

      RT

  6. Bem eu quando soube da noticia fiquei realmente admirada pois esta oportunidade ja deveria de ter vindo ha muito mais tempo falo eu pela minha experiência pessoal visto que sou tecnica superior de saude ambiental estive a trabalhar na minha area de 2005 a 2006 infelizmente estava a contrato a termo certo o meu contrato poderia ser renovado mas infelizmente a Dra preferiu metr outra e pos me na rua. EStou assim desde 2oo6 sem qualquer colocação em nenhum trabalho estando sempre a enviar curriculos para todo o lado sera que e por cauda da minha idade ?????????Ter 38 anos e ser velha???????!!!!!!!Boa Pergunta. Será que não tenho direito a minha progrssão da carreira ???!!!!Enquanto vejo sempre a abrir concursos publicos para medicina e outras……
    e de lamentar todos temod direito a trabalhar com dignidade e direitos por isso apostei muito nos meus estudos senão fazia apenas a primaria e se calhar teria mais sorte num pais como o nosso.
    Espero que este estagios abrangem me senão vou estar mais anos a espera duma luz ao fundo do tunel.
    Eu sou divorciada e desempregada com pais doentes. E ainda não tive oportunidade de ter uma estabilidade pessoal e eemocional ……….vive se constantemente neste riso de ter e não ter……..tendo direito a ter uma familia e minha vida organizada .Será que vai ser desta vez??????
    Assim o espero mas acho que os estagios não devem abranger so profissionais ate 35 anos eu estou numa situção particular porque tive estes 4 anos sempre a lutar e nem um Part- time. Não sei o que se passa neste País mas ha muita injustiça social .Porque se estivesse no tal Centro de SAude não precuisava de andar nesta insegurança de Vida.isto é para lamentar mas infelizmente é o pAIS que temos, e a culpa não e so do Governo e dos interesses da sociedade civil, as pessoas muitas vezes so tem interesses nos matamo nos a esforçar durante um ano ou mais e nada……………..E ja tenho alguns descontos para a segurança social.
    ONDE ESTA A MINHA PROGESSAO DA CARREIRA E SO PARA ALGUNS OU SO PARA ALGUMAS COLEGAS QUE ANDARAM COMIGO A ESTUDAR E JA TEM FAMILIA E INDEPENDÊNCIA ESTOU FARTA DEC DEPENDER DA MINHA AFAMILIA . PRECISO URGENTEMENTE TE TRABALHAR.
    Se calhar preciso ha anos dea tal panelinha porque se calhar estou condenada neste país e preciso cunhas para tudo e eu nao as tenhon sera que me arranjam uma???!!!!!!!Quero que me dem valor pela pessoa que sou e nao por aquilo que qerem que eu seja quero subir por meu esforço proprio com pessoas queme respeitem no trabalho .Haveri tanto a dizer …..mas fica aqui algumas palavras do que me vai no coração.

    • Olá Cristina Ribeiro

      Desde já agradeço o teu comentário e a preciosa ajuda que lançaste para a discussão.
      Penso que tens toda a razão, pois levantas questões muito importantes, às quais eu sinto o mesmo, pois estou na tua situação, no que concerne a emprego, namoro há 7 anos, e há muito que queria sair de casa e constituir família, pois o ambiente em casa é um pouco denso às vezes.
      No entanto, vejo colegas meus, que ainda não tinham terminado o curso, e em virtude de cunhas, e favores, já tinham colocação, muitos deles hoje ainda solteiros, possuem casas e automóveis, não pretendem constituir família a curto prazo, mas estão efectivos, tem o seu dinheiro, e fazem o que bem entendem.
      Eu adorava poder ser independente, poder mostrar o meu valor, e subir pelo meu pulso, poder me juntar com a namorada, que sofre do mesmo síndrome, e as vezes, anda na loucura dos falsos recibos verdes, queríamos estabilizar a relação, e se possível até dar uma «ajudinha» no incremento da natalidade, como o nosso presidente pretende, mas não dá.
      O namoro, por vezes passa por discussões e crises, devido mesmo, à falta de estabilidade da relação e acima de tudo de espaço, as pessoas perto da faixa dos 30, e com namoros longos, precisam de espaço, coisa que na casa dos pais com cariz e ideologias repressivas não há.
      Penso que, ninguém deve ser culpado por querer trabalhar e mostrar o seu valor, e querer subir sem cunhas, ou seja, ter a oportunidade de poder mostrar o que vale, e acrescentar valor a uma determinada organização.
      Nestes casos, no teu e penso que no meu, a vida é um pouco injusta, pois dá oportunidade a pessoas, que por vezes não sabem dar o valor, ou então que não necessitam tanto no imediato, enfim.
      Vamos ver o que dá, espero conseguir o estágio, mas o problema maior é, e depois do estágio?ganhamos a oportunidade, ou somente mais um ano de vida, e algo bonito de nome para por no CV.

      Obrigado mais uma vez pela tua opinião, e por leres as coisas que por aqui vou escrevendo

      Tenho Dito
      RT

    • Olá Benedita Correira

      Desde Já agradecemos a sua participação no Xavena de Palavras.

      No caso concreto, fica aqui combinado, logo que exista mais detalhes sobre o assunto, serei o primeiro a publicar aqui, de forma a poder ajudar os interessados.

      Obrigado

      RT

  7. Estagios na função publica.

    Olá a todos e obrigada por este espaço de partilha.
    Eu tal como vós, continuo à espera de mais noticias pois, infelizmente, vejo neste tipo de estagios uma tabua de salvação. A informação dos apoios e combate ao desemprego são dispersas e dos estagios além das noticias não encontrei nada de concreto. Já recorri ao portal do governo e nada… Obrigada a todos os que possam divulgar alguma informação extra. Apenas localizei a Resolução do Conselho de Ministros nº 05/2010 que não fala de questões concretas. A boa noticias desta resolução é que pessoas com mais de 35 anos também vão poder aceder a um programa de estagios e de reconversão profissional. Fala-se que vão haver 400 novos postos de apoio aos desempregados, além de maior acompanhamento por parte do IEFP; que seja rápido porque a nossa juventude não dura para sempre!! a continuar esta situação das duas uma; ou emigro ou irei procurar apoios para uma manifestação pacifica mas que demonstre as dificuldades desta geração que não é a geração rasca – de todo! somos mais informados, mais qualificados e mais sacrificados. Somos a geração esquecida.

    • Olá Mafalda

      Obrigado desde já pela tua participação e pelo teu contributo, neste pequeno espaço de informação/discussão.

      Todos nós estamos à espera de mais informações de modo a podermos concorrer, pois sei que muitos dos contribuidores de opinião, de leitores são da faixa étaria que está disponivel para os estágios.

      Somos da geração mais sacrificada e que se encontra à rasca e à espera de soluções.

      Desde já fica aqui o apelo, a quem souber informações, comunique, pois tenho o prazer de publicar neste blog, para que todos possamos aceder aos mesmos, da minha parte, mal tenha alguma informação publicarei.

      Sem mais agradeço a participação da Mafalda e bem como de todos os outros participantes.

      RT

  8. Oi,

    Apenas para dizer que recebi hoje um email em resposta a:
    “Boa noite, só gostaria de saber como poderei saber o endereço da página online que servirá para fazer a candidatura a uma das 5000 vagas aprovadas em Concelho de Ministros do dia 27 de Novembro? Muito Obrigado, Telmo Cardoso”

    A Resposta foi:
    “Exmo Senhor
    Telmo Cardoso

    Encarrega-me a Senhora Chefe do Gabinete de S. E. o Secretário de Estado da Administração Pública de informar que se encontra disponível no sitio da Direcção-Geral da Administração e do Emprego Público, http://www.dgaep.gov.pt, toda a informação actualizada e que a actualizará à medida que os procedimentos e regime forem definidos.

    Com os melhores cumprimentos

    Idalina Castelhano
    Gabinete do Secretário de Estado da Administração Pública”

    Ou seja, não me adiantou de muito 😀 Quando alguém souber mais era favor notificar-me para telmo.cardoso at gmail.com 🙂

    • Olá Telmo Cardoso.

      Desde já agradeço a sua participação neste blog, e agradeço a transcrição do e mail que enviou e que recebeu.
      Essa mesma partilha, penso que foi esclarecedora, de que, e pelo menos na minha opinião, é de quem não está interessado, em dar a melhor informação.

      Penso e que mesmo, de acordo com as informações que obtive hoje, no centro de emprego, não existe mail para candidatar, mas sim temos estar inscritos no centro de emprego, e eles depois é que fazem a triagem para os candidatos…

      Sei também que ainda não possuem para já datas de quando vai começar, é uma questão de se aguardar.

      Mas Obrigado pela tua partilha, são iniciativas como a tua, que me dão vontade de continuar a blogar.

      Obrigado

      RT

  9. Olá a todos….

    Quando andei a pesquisar informação sobre os ditos estágios profissionais na função pública, numa das notícias lê que os 5000 estágios eram apenas para licenciados na área das ciências sociais e humanidades.
    É Verdade???
    Gostaria que me respondessem caso soubessem…

    Obrigado

    Filipa

    • Ola Filipa

      Desde já agradeço a tua participação neste blog.

      No que concerne à questão, não tenho conhecimento quais as áreas que abrange os estágios, penso mesmo, que neste momento, ainda não está definido essa mesma situação.

      No entanto, apelo à participação de todos, e caso, alguém tenha conhecimento da resposta à questão da Filipa, que se manifeste.

      Sem mais agradeço

      RT

  10. BOA TARDE,

    SÓ QUERIA DIZER QUE ENVIEI UM E-MAIL A PEDIR INFORMAÇÃO E ATÉ HOJE NADA… VEJO NESTE TIPO DE ESTÁGIOS UMA SALVAÇÃO PARA QUEM ATÉ HOJE NUNCA TEVE UM EMPREGO “DECENTE”.DIGO DECENTE PORQUE É MUITO TRISTE TER UM CURSO E MUITAS VEZES MENTIR PARA ARRANJAR UM EMPREGO COMO EMPREGADA DE BALCÃO, POR EXEMPLO!!!!

    SF

    AGUARDO NOTÍCIAS.

    • Olá Sónia

      Desde Já agradeço o seu comentário.

      Realmente é muito triste mentir, eu pessoalmente, por vezes também sou obrigado a isso, e a ocultar situações no CV, para conseguir sobreviver.

      Penso que se continuaram assim, vão prejudicar socialmente os licenciados, e vão criar um GAP no futuro, entre licenciados e não licenciados, que vai ter proporções sociais gravíssimas, mas a ver vamos.

      Sem mais agradeço a sua participação, comente mais vezes.

      RT

  11. Olá a todos,

    Quanto à questtão da Filipa, pelo que eu li, a resposta é; os estágios são para todos os desempregados até aos 35 anos, ou candidatos a 1º emprego, independentemente da área. Este tipo de estagio deve também funcionar para uma reconversão profissional, isto é, se a pessoa não arranjou emprego é porque a sua area não tem grande empregabilidade, logo, o estagio, deve abrir portas. Quanto à possibilidade de o IEFP ser o coordenador destes estagios, a ser verdade, receio que o mesmo não tenha capacidade de dar resposta. Por outro lado, anunciou o governo que seria através de uma plataforma de acesso livre; confiaria mais nesta situação porque sendo o IEFP, uma entidade estatal receio pela falta de transparencia no processo e com poucos recursos humanos como o vão conseguir fazer?!… o tempo passa, daqui a pouco estamos em Março e algo que tinha caracter de urgência, ve-se… infelizmente para todos nós. Boa sorte para todos porque eu sinto que estamos por nossa conta.

    Já agora, gostaria de abrir um tema de discussão se fosse possivel. Quem ja perdeu o susbsidio de desemprego e esgotou o subsidio social de desemprego, não tem direito a nenhuma ajuda do estado? eu pedi o rendimento minimo e agora ameaçam retirar porque este rendimento obriga a aceitação de programas de reinserção em que se trabalha na area social por uma miseria de ordenado. Se alguém souber mais agradecia. Eu passei de receber ofertas (ficticias) do IEFP a oferecerem me para cima de 1000 euros, como licenciada, para uns miseros 400 euros de programas de inserção. Facto: como estive desempregada voltei a estudar e ingressei no mestrado, agora, sem rendimentos, vou ter que ir para uma porcaria de um call center onde se passa o que todos voces sabem. Será que quem não arranja emprego e quer investir na formação não tem direito a um rendimento minimo?? preciso de ser reinserida na sociadade estando activa? Acho bem que fiscalizem quem nao quer trabalhar mas nao podem por todos na mesma bitola. Uma vergonha no ano europeu anti-pobreza!! estão a arrastar tantos, como eu, para a pobreza!!! esta situação deveria ser denunciada. Ignoraram-me, eu tenho o meu plano de emprego e tratam-me como se não tivesse!!!

    • Olá Mafalda.

      Desde já agradeço a sua participação.

      Pela minha parte subscrevo suas as minhas palavras, penso que é desrespeitador a maneira como nos tratam, sendo licenciados, pior, vai ser quando nos obrigarem a ter filhos, para recolocar a natalidade, onde deveria estar, mas penso, que nesse momento, honra deve ser feita as licenciadas que ainda não estabilizaram a carreira…como é a maior parte dos licenciados em Portugal.

      Eu pessoalmente, acho injusto, estudar, e ficar sem poder ter carreira, sem ter emprego, não consigo sair de casa dos pais, namoro a 8 anos, e queria ter a minha independência, e quem sabe casar, e ter os filhos, mas sem emprego, nem estabilidade, ou ordenados condignos, não pode ser.

      Relativamente à questão dos subsídios, penso que a seguir ao subsidio sequencial, não existe mais apoio, infelizmente, mesmo estando a estudar como é o seu caso, no entanto, a questão pode ser discutida por quem quiser, ajudar.

      Já agora, se alguém tiver soluções para este flagelo que afecta muita juventude, se tiver solução como casar, sem ter rendimentos e consequentemente ter filhos, e sem emprego, ficamos à espera.

      Sem mais agradeço

      RT

  12. Sou duas questões que me tinha esquecido:

    1 – o estado poe no mesmo saco pessoas com formação e sem formação; não há um plano pessoal de emprego. Existe só na teoria e quem não recebe qualquer subsidio não tem apoio NENHUM

    2 – Não acho justo eu ter trabalhado e estudado à noite toda a minha vida, ser posta lado a lado em programas de trabalho social, de reinserção na sociedade, ao lado de pessoas que nunca trabalharam, nunca descontaram e nunca estudaram ou fizeram por…

    • Olá mais uma vez Mafalda.

      Muito Obrigado pelas tuas intervenções, que são bastante construtivas.

      Penso que estas totalmente correcta, embora considere um erro muito grave colocar no mesmo saco pessoas com formação e sem formação, isso acontece, porque essa situação, advém do tempo em que a formação originava emprego, e não causava transtorno.

      Fique a saber, conheço casos em que dão dinheiro para projectos banais como cabeleireiros, mini mercados, cafés…que são negócios lícitos, mas que vão originar bem menos empregabilidade directa e indirectamente, do que muitos projectos de pessoas licenciadas, que não possuem aval, devido a serem muito ambiciosos e arrojados, apesar de a médio prazo, poderem gerar bem mais emprego, tanto directamente e indirectamente.

      Só tenho a indicar, que é triste que se despreze os licenciados, e mais tarde venham solicitar responsabilidades, tais como a que mencionei atrás, a natalidade.

      Repare, este país é feito para pessoas que não possuem estudos, estas são as favorecidas em tudo, e contribuem para a natalidade, basta ver os centros comerciais aos fins de semana, é só pessoas sem licenciatura a passear, a gastar e com bébes, repare-se, não tenho nada contra essas pessoas, tenho é contra o não respeito pela igualdade de direitos, liberdades e garantias consagrados na constituição da república portuguesa.

      Tenho Pena de às Vezes dizer que sou Português.

      Tenho Dito

      Sem mais agradeço

      RT

  13. Boa tarde a todos,

    Fui ao sitio oficial para os estagio na administração publica e partilho a resposta que me deram;

    Falam que no site há informação sobre o assunto (ainda que pouca), certo é que faço uma procura pela palavra estagio neste site e nada aparece.

    Vamos então ficar todos atentos e estar em cima, e se possivel, fazer alguma pressão para não acharem que andamos todos a dormir.

    Obrigada RT pelas suas palavras e não desanime. Quem tem filhos em Portugal, com as nossas idades não pode pensar muito…ou … terá que ser um optimista. Se tiver pais que o apoiem, porque não?

    Exma. Senhora,

    Em resposta ao seu e-mail informamos de que não é possível, no momento, dar qualquer indicação sobre os procedimentos a tomar para se candidatar aos referidos estágios. Com efeito, o diploma que institui os estágios na Administração Pública Central encontra-se ainda em fase de apreciação na generalidade e haverá ainda, após a sua publicação, que sair Portaria de regulamentação. A informação possível é a constante do site da DGAEP que aconselhamos a consultar com regularidade na medida em que qualquer informação a disponibilizar será inserida no referido site.

    Cumprimentos

    DGAEP

    • Olá Mafalda,

      Obrigado pelo apoio, e pela partilha de informação, relativamente à sua pesquisa e questão colocada às entidades competentes.

      Desde já disponibilizo o meu blog, para toda e qualquer informação, relativamente a este e a outros assuntos que possam ajudar esta geração de jovens, na qual a Mafalda e mesmo eu, que estamos inseridos a vingar neste país, onde as assimetrias sociais são enormes e ninguém parece importado com semelhante situação.

      Sem mais agradeço

      RT

    • Ola Miguel Costa.

      Desde já agradeço a sua participação neste blog.

      Penso que estes estágios ainda aguardam a directiva pra que fiquem aprovados, pelo tardar da mesma, pode ser muito bem uma manobra política, para atirar areia aos nossos olhos que somos a «geração à rasca».
      Tal como o Miguel Costa, eu também sou licenciado, e também estou a aguardar os mesmos, embora tente incansavelmente os contornar, ao procurar empregos de outras formas, pois a esperança nos ditos estágios é pouca, tenho pena, que tenha que pagar por «crimes» que não cometi.

      No entanto, mantenho a fiel promessa, que mal tenha informação sobre os estágios, ou alguém, queira partilhar alguma informação sobre os mesmos, que tenho muito gosto em publicar aqui no blog.
      O mesmo se aplica a concursos, empregos, tudo que seja para ajudar, podem dispor do blog, tenho muito gosto em ajudar, se não der para mim, pelo menos pode servir a alguém que recorre com alguma frequência ao meu blog.

      Desde Já agradeço

      Sem mais

      RT

  14. Olá a todos!

    Eu, tal como vocês, sou licenciado, desempregado, tenho 34 anos e estou a ver se consigo candidatar-me a um dos tais 5000 estágios que o Governo anda a prometer desde finais do ano passado, já que não consigo arranjar emprego pela via normal (envio de currículo para empresa ou instituição e posterior entrevista).

    O que se passa é que até agora ainda não foi disponibilizada qualquer informação concreta sobre o website onde poderemos efectuar a candidatura. Isto cheira-me a esturro! Não vos parece uma mera propaganda sem qualquer resultado prático? Dizem que têm de ter os estagiários colocados até ao final do 1º semestre do ano. Não os vejo nada preocupados em avançar com a ideia.

    Já liguei algumas vezes tanto para a câmara municipal como para o IEFP da minha zona e, até ver, têm andado a passar a batata quente um para o outro.

    Receio bem que nos andem a enganar…

    Mas se souber de algo entretanto, não deixarei de divulgar aqui a informação, já que estamos todos no mesmo barco.

    Obrigado pela atenção.

    Cumprimentos.

    • Olá Nuno Russo

      Desde já agradeço a sua participação no Blog, e na partilha de informação que nos deu, nomeadamente, o de andarem a «empurrar a batata» de um lado para o outro.

      Pelos vistos, e mediante o que temos percepcionado, estamos perante uma escassez de informação, e uma situação de paragem completa no que concerne a estes estágios, o que na minha óptica é uma pena.

      Manifesto desde já a continuidade de poderem utilizar o blog para partilha de ideias e de informação, pois penso que quanto mais informação tivermos, melhor podemos atacar todos

      Sem mais agradeço

      RT

  15. Quase em Março e ainda nada. Penso mesmo que isto não irá avançar. Somos a geração de licenciados mais desprezada de sempre. O que me irrita mais ainda são as pessoas que nunca fizeram nada para estudar, nunca se esforçaram nada na sua formação, terem aquele gosto especial em saber que nós licenciados não conseguimos um emprego condigno com a nossa formação. Fazem um sorriso cínico do tipo: “Vêm, eu é que tinha razão em ser burro e bronco.”
    Cada vez sinto mais raiva e desprezo por este país do faz-de-conta.

    • Olá Alex

      Desde já agradeço a sua participação no blog.

      A sua opinião é bastante pertinente, pois o problema por vezes é que nós licenciados não conseguimos nenhum emprego por possuirmos qualificações a mais.

      Mais dramático, é que as pessoas sem estudos, conseguem emprego, conseguem saltar de emprego em emprego, conseguem realizar a sua vida, podem até adquirir casa, e constituir familia, sendo mais felizes.

      Pior, as entidades bancárias e credoras dão crédito mais rapidamente a pessoas sem estudos, do que aos licenciados, em virtude de a estabilidade do trabalho das primeiras ser mais estável que os contractos ou estágios dos licenciados.

      Penso que, este país está a tornar-se um pais de incentivo ao não estudo.

      Pena é que as pessoas se pensem superiores, penso que todos somos dignos, independentemente da profissão que temos, pena é que nem todos pensem assim.

      Obrigado pelo teu comentário, penso que foi muito util.

      RT

  16. Isto é tudo muito bonito, mas na prática não é bem assim. Na minha opinião estes estágios poderão nunca vir abrir, arranjarão uma desculpa qualquer (como sempre fazem). Mas cá estarei para ver no que irá dar.
    Como já foi dito anteriormente, o estado deveria dar o exemplo quando se fala da empregabilidade (não só), mas como tal não aconteçe, as empresas não se sentem na obrigação de também o fazerem. O que está completamente errado.
    Também me encontro na mesma situação de muitos jovens licenciados, apesar de ja ter alguma experiência. As empresas quando empregam, quer se tenha ou não uma licenciatura, deveriam ser responsabilizadas quando se descartam das pessoas ( quando o contrato acaba e não existe renovação ou se não passam a efectivos, e contratam outra pessoa para o lugar), isto também se aplicaria ao estado.
    O que se está a passar actualmente deverá servir de lição para a nossa geração, para que não façamos os mesmos erros com as gerações futuras. Mas será que vai servir de alguma coisa? Este país já passou por uma crise idêntica, mesmo antes de muitos nós nascermos, posso dizer que os meus pais passaram pelo mesmo na juventude deles, no entanto, os mesmo erros continuam a ser cometidos presentemente.

    • Olá Vanda Araujo

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      Eu também infelizmente sou da opinião que estes estágios nunca vão abrir, e mesmo que abram, nunca vão gerar empregabilidade, apesar de o ano transacto ter sido o ano, que mais elementos solicitaram a reforma.
      Geralmente tiram 3 e colocam um a fazer o trabalho desses 3, é óbvio que não se vai ter a qualidade pretendida, mas ou o cliente pretende barato, ou com qualidade, é o que temos..

      Penso que vamos aprender…vamos e já estamos, pois nos últimos 40 anos, foi a população sempre a crescer, de há 8 anos para cá, a nossa resposta, é sempre a descer.

      Penso que o trunfo para fazer o governo reconhecer o problema dos licenciados, é contermos ao máximo a natalidade, pois se todos os licenciados não tiverem filhos, vai criar mais rapidamente défice na segurança social e nas reformas dos que são actualmente candidatos a avós.

      Penso que é a única arma que temos,e que possivelmente na altura dos seus pais, foi usada de forma contrária, ou seja, com incremento da natalidade

      Sem mais agradeço a sua participação.

      RT

  17. Ola boa tarde a todos. Desde já gostaria de dar os meus parabens ao criador e gEstor deste magnifico blog… Pena que so o descobri agora! 🙂 Bem INFELIZMENTE terei que ser mais uma pessoa a dar um testemunho face à completa desmotivação que tenho vindo a sentir, por nao conseguir de forma nenhuma um local para trabalhar, crescer, aprender… Viver eu mesma. Transmitir o que sei, CRESCER NA VIDA!! SONHHHARRR! Tenho 23 e sou licenciada em Animação Sociocultural desde 2009 e ate agora nao tenho tido qualquer emprego a nao ser aquele tipo de “biscatezinhos” a recibos verdes, cujo rendimento nao ultrapassa os 150€ por mes. :S Tenho sinceramente PAVOR do meu futuro, se continuar neste pais… Chego a ter ataques de choro, ataques emocionais, de extrema insegurança… Ate mesmo crises de motivação, EU NAO VOU CONSEGUIR… OU NAO DEVO VALER NADA, PORQUE NINGUE ME DA TRABALHO… 😦 Ja vivi uma infancia muito triste, com algumas dificuldades financeiras… Consegui formar-me com muito esforço, lutando contra tudo e contra todos… Nunca tive cunhas para ter chegado onde cheguei e tenho muito ORGULHO nisso. Jurei a mim mesma, que seria formada, alguem super realisada, com familia, vida estavel e que CONSEGUIRIA DAR A MINHA MAE O QUE ELA NUNCA CONSEGUIU TER… Dar-lhe uma vida melhor… Com mais sonhos… Dar lhe uma casinha melhor… Cuidar da sua saude… No fim das contas o que sempre quis foi “VINGAR” a minha familia… E ser feliz com a minha! 😦 Neste momento estou a terminar um projecto que elaborei para enviar para alguns possiveis locais em Angola, mesmo correndo o risco de lá copiarem a minha ideia e nem sequer me contactarem. Enfim, é sempre mais um risco, para juntar aos muitos que já existem nas nossas vidas. QUERO MUITO SAIR DE PORTUGAL… Infelizmente este pais já nao me diz nada… Nem me sinto mais Portuguesa… tenho VERGONHAAAA deste pais… So em modo de exemplo, o meu namorado é Angolano, veio para Portugal estudar atraves de uma bolsa financiada por uma das maiores empresas pretoliferas de Luanda e França; terminada a formação dele (Licenciatura e Mestrado…tudo pagooo, casa, luz, telefone, estudos extra, alimentação…enfim todas as despesas necessarias), volta para o seu pais, para trabalhar na empresa que o patrocinou, já tem contrato assinado de trabalho durante um ano, com perspectivas de continuação… E mais, ainda lhe ajudam a construir uma casa para poder recomeçar a sua vida depois de tanto esforço e luta para ultrapassar a dura etapa de estudar no ensino superior (tudo isto esta no contrato dele)… E nos em Portugal?! Temos alguma coisa deste tipo?! Oportunidades como esta estao onde? Nao somos nos da Europa?! Nao somos nos que deveriamos estar mais desenvolvidos?! E nao achar estranhas e admiraveis estas oportunidades que acontecem de outras capitais?! Da que pensar… EU SO PRECISO DE VOLTAR A SONHAR!

    • Olá Patrícia Cruz

      Desde Já agradeço a participação no meu blog, e as palavras a mim endereçadas, o intuito deste blog, parte muito do que sente, e da revolta que vive, e que afinal todos nós licenciados vivemos.

      Relativamente ao país, sobrescrevo na integra tudo que sente, digo mesmo, eu sempre senti isso, e sinto uma falta de liberdade e honestidade, pois considero demasiado grave, não podermos falar, nos mostrar, ou mesmo mostrar que o elemento x ou y, entra numa organização com cunha (o que colocara a constituição em risco, pois não existe igualdade de acesso)
      Namoro à 8 anos, à muito que queria ter a minha independência, e estar com a namorada, sei que vai ser difícil ou impossível, não nascemos num berço de ouro, e fizemos ambos esforço incrível para nos formarmos, mas até à data, não conseguimos, e terminamos o cursos em 2007.

      Reparemos o exemplo que enumera do seu namorado, considerando um Angola um país emergente, é de louvar, a aposta que fazem nos jovens, e nos estudos superiores dos mesmos, mais, reconhecem que o seu sistema de ensino, pode não estar à altura, e pagam aos estudantes para virem para outros países estudar, para levaram as melhores práticas, o know-how, de graça, pois é custo para o pais que ensina, para os países de origem.

      Aplaudo Angola nesse sentido.

      Também desejo sair do país, se entretanto alguém souber de alguma vaga de gestão lá fora, eu vou, nada me prende aqui, a não ser a tristeza, raiva, que podem originar problemas irreversíveis na saúde.

      Aqui deixo a resposta, porque me identifico como RT, pois sinto que não existe liberdade plena em Portugal, embora possa me identificar, mas no dia em que as pessoas forem transparentes, e que pensem, que todos temos direitos a viver a vida LIVREMENTE, e não depender dos pais para sempre, e temos a LIBERDADE, de casar, e ter filhos. Estes princípios não estão à mercê da maior parte dos jovens licenciados deste país, são de elites e cunhas, e lembrem-se são direitos de nós jovens à luz da Constituição da República Portuguesa.

      De tal forma que desafio todos a me ajudarem, a criar um movimento, algo mesmo forte, de forma a podemos reivindicar os nossos direitos, e são Pessoas como as que têm comentado este Post, que precisamos…

      Patrícia, Obrigado pelo seu comentário, participe mais vezes, tenho muito gosto trabalhar para uma comunidade, e o maior agrado que tenho, são as palavras de agradecimento que tenho recebido aqui, e como foram as da Patrícia.

      Sem mais

      RT

  18. Boa tarde,
    bem realmente todos os comentários que pude ler aqui provam a realidade deste país, enfim. Como é que este país quer evoluir e andar para a frente se não da valor a pessoas mais qualificadas. Nós somos o futuro deste país, mas esses que se dizem os maiores, fazem de tudo para não querer ver isso.Portugal é cada vez mais um país que vive de aparências, ilusões.
    Também estou desempregada, licenciei-me no ano passado e vejo a situação deste país cada vez a piorar. Se temos só licenciatura, dizem que deviamos ter mais formação, se há pessoas com mais formação preferem as menos qualificadas…Concordo plenamente com o Alex “somos a geração dos licenciados mais desprezada de sempre”. agora é viva ás cunhas e não à qualificação!

    Desejo boa sorte para todos.

    • Olá Vera

      Desde Já agradeço a sua participação no blog.

      As pessoas que recrutam, ou os empresários não têm a noção das suas verdadeiras necessidades, pois se temos só licenciatura, deveríamos ter mais experiência, se por outro lado temos experiência, deveríamos ter grau acima da licenciatura…
      Conclusão, colocam sempre pessoas que não são licenciados…

      Repare-se as pessoas só ganham a EXPERIÊNCIA, se alguém lhes facultar uma oportunidade…Perante isto, entenda-se, apostar num licenciado, é fazer o melhor contracto no médio longo prazo, com ganho 200% assegurado.

      Sem mais agradeço

      RT

  19. Concordo com a ideia do RT de criar um movimento. A coisa não vai lá de outra maneira…

    E a primeira coisa enquanto movimento era pressionarmos o Governo a debruçar-se sobre esta questão dos estágios para licenciados nas autarquias.

    Para os membros do Governo isto pode-se ir adiando continuamente porque eles têm os seus salários, tachos, comissões, regalias, pensões, reformas múltiplas, benesses e outros que tais assegurados. Mas para nós é uma questão fulcral! É a nossa sobrevivência que está em jogo!

    E já agora aproveito para falar de uma situação escandalosa que se passou comigo: há cerca de 3 anos tirei um curso de Administração Autárquica no Centro de Estudos e Formação Autárquica (CEFA) de Coimbra, que é um organismo do Estado, com o objectivo de ser integrado nos quadros de uma autarquia após a conclusão do curso.

    A lei referente a este assunto prevê a ocupação de 50% das vagas abertas nas autarquias para os alunos que têm este curso, que mais não é do que uma preparação para o trabalho nas autarquias. O curso foi caro, havia prova de selecção e exames semestrais. Era o equivalente a um curso universitário mas condensado num único ano. Ou seja, fui fazer uma segunda licenciatura.

    Ora acontece que até agora só 2 ou 3 pessoas da minha turma que terminaram o curso foram colocadas em câmaras municipais e afins. E porquê? Porque todos os concursos têm sido congelados desde essa altura para a nossa categoria.

    É de notar que, no acto da inscrição no curso, prometeram-me integração numa autarquia no espaço de 6 meses. Provavelmente queriam dizer 6 meses multiplicados por outros 6 e eu percebi mal…

    Em suma, passei a prova de selecção, gastei uma pipa de massa, andei a caminhar todos os dias para Coimbra (sou de Leiria), empinei legislação e matéria que pouco ou nada tem a ver com a minha área e, superados todos esses obstáculos, continuo desempregado.

    Interessante, não?

    • Ola Nuno Russo

      Mais uma vez agradeço a sua participação no Blog.

      Concordo que sejam encabeçados no movimento, a questão dos estágios, mas mais importante do que somente o estágio, é a continuidade do trabalho, ou seja, a colocação efectiva.

      Não me importo de termos esse movimento, constituído por jovens licenciados à procura de conseguir sobreviver nesta selva que é o mundo do trabalho e que cada vez está mais arisca.

      Quanto ao seu exemplo, penso que é demonstrativo da impunidade e do mau planeamento que temos no nosso país.

      Grave é que as politicas dos governos são para 4 anos, e penso que deveriam ser um horizonte de médio-longo prazo, e os executivos deveriam ser obrigados a seguir as boas práticas implementadas pelos governos anteriores.

      É completamente ridículo, o sucedido consigo, e com a mentira do curso, deveria ser indemnizado por os gastos e o tempo perdido.

      Sem mais

      RT

  20. Boa tarde. Posso referir que todos os comentários que li aqui, concordo plenamente com eles, infelizmente também sou uma licenciada desempregada..se temos poucos estudos, não nos empregam, se temos curso superior, já é demais..quem compreende este país??e até as empresas quando pedem alguém quase sempre tem de possuir experiência e como é possível termos experiência quando terminamos um curso?senão nos derem trabalho, nunca vamos ter experiência..este país é um caos…Quanto a esses estágios também acho que não vão existir, mas quero estar atenta para ver o que vai dar afinal.obrigada pela atenção.

    • Olá Carla Casimiro

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      No que concerne à sua opinião, concordo com a não existência dos estágios, pelo menos no prazo tão curto como o enumerado pelos nossos governantes.
      Relativamente à atitude das empresas, penso que tem razão, e que é mesmo muito mal exigirem experiência a quem não teve oportunidade de a ter, e mesmo os mais experientes erram, senão não poderiam ser considerados humanos, mas sim máquinas…

      Sem mais agradeço

      Tenho Dito

      RT

  21. Se nos juntássemos para debater esta questão e tentássemos enviar, pelo menos, uma carta às entidades a quem cabe a gestão dos estágios? Seria possível?

    Suponho que a maioria do pessoal que por aqui tem passado seja de Lisboa, mas talvez desse para conferenciarmos nalgum local da cidade. Unidos temos mais força do que cada um por si, como bem sabem.

    • Olá Nuno Russo

      Desde já agradeço ao tua sugestão, acho que pode ser uma ajuda, no entanto, não sei de onde é a maioria das pessoas que têm dado o seu contributo no Blog, nem muito menos, os milhares de anónimos que sei que lêem o Blog, mas que não comentam.
      Eu pessoalmente, não estou em Lisboa, estou no norte na Invicta, mas caso a situação de nos juntarmos não seja viável, penso que poderemos todos pensar numa forma de pressão que agrade a todos, e que abranja todo o País, pois penso que o problema deve ser tomado, como sendo nacional, sendo que, as regiões da província e os licenciados desses locais, devem ter mais problemas que os dos grandes centros.

      Deixo a em aberto a sugestão no Nuno, ou mesmo, outra que pretendam, partilhemos todos, para solucionar o problema…

      Tenho Dito

      RT

  22. Boa noite a todos , tal como a maioria que aqui comenta sou um jovem recem-licenciado , tambem estou à procura do 1º emprego na minha área (ciências sociais) , no entanto não esta facil , tenho saltado de biscates a biscates a ver se sobrevivo , os meus país ainda ajudam-me no entato ja estou cansado de depender da família , e o que recebo e mais o que faço nas biscates não da para ter casa própria nem cumprir os meus sonhos (divido apartamento com ex-colegas de faculdade) , sinto-me triste e em baixo , não acho normal , os meus amigos que quando eu estava a fazer directas a estudar durante os 4 anos de licenciatura (pré-bolonha) , eles andavam na farra , enquanto apanhavam o autocarro para ir para a praia no verão eu ia no mesmo autocarro mas saia na porta da faculdade para ir estudar , hoje eu sou licenciado (ate ja me chamaram de doutor sem o ser) , esses meus amigos hoje trabalham , mesmo recebendo menos do que um licenciado , eles trabalham , alguns conseguiram entrar para segurança e chegam a ganhar 1200 euros por mês (fazendo horas extras) , pois agora perguto se fiz bem em gastar a minha juventude (tenho 23 anos) a “marrar” nos livros , a não sair para me divertir para vir directo para o desemprego , penso que apesar de tudo valeu a pena e que hoje sou uma pessoa com uma maturidade e conhecimentos superiores aos que tinha , e que a culpa não é dos livros , esses fizeram a parte que lhes competia , ainda tenho esperança que as coisas melhorem.
    Quanto aos estágios (os tais 5000) , há mto que estou à espera , espero que não seja um truque para nos enganar , se sim temos todos que sair na rua e protestar , revolta-me ver pessoas com 2 ou 3 reformas e que ainda trabalham (reformas gordas) , é uma vergonha , é preciso “REVOLUÇÃO” e já , estou farto de me oferecerem apenas estágios sem remuneração , apenas com subsidio de alimentação , estou muito revoltado , sinto que os meus sonhos foram passados por cima por um tractor , namoro há 3 anos e meio e quero formar família , a minha namorada tambem é recem-licenciada e trabalha numa loja num centro-comercial , tambem não encontra trabalho , ao que parece estamos condenados a isto , no entanto se ficarmos sentados á espera que os “outros” nos tirem desta situação , não vamos conseguir nada , temos que levar as nossas vozes e protestar , nem que seja 24 sobre 24h a gritar nos ouvidos de quem tem o poder .
    Por mim ficava aqui horas e horas a escrever , devo dar os parabens à pessoa que fez este blog e devo dizer que me senti muito bem a ler a poder partilhar a minha situação com pessoas som os mesmos problemas que eu.

    • Olá José M

      Desde já agradeço a sua participação no Blog

      Infelizmente o seu depoimento, é algo que parece que é fotocopia da maior parte das situações que por aqui tem comentado, e mesmo da minha, sou um pouco mais velho, no entanto, sei o que sente, e sei o que passa, eu mesmo, fundador e alimentador deste blog, estou exactamente na situação que está, sendo que para agravar, namoro à 8 anos, e ela com o mesmo problema de empregabilidade.

      Penso que temos um factor a favor, eles necessitam para ter estabilidade na seg social, dentro de uns anos, que a juventude tenha filhos, e a que não possui escolaridade superior actualmente, tem tido filhos, mas nada de relevante, eles necessitam de toda a juventude coesa, e mesmo assim… Penso que seja aqui, a nossa contra proposta, se eles não colocarem os estágios, e pior, não conseguirem emprego efectivo para nós licenciados, penso que devemos mandar os senhores que agora estão na casa dos 40, 50 e 60 anos, ter os filhos…pois se eles aparentemente não nos devem nada, nós também não devemos nada, não pedimos para nascer, nem para não ter emprego.

      Vamos nos juntar, e orgulho me de poder, usar este blog, como ponto de discussão, estão à vontade. Faça-se Justiça.

      Obrigado

      Tenho Dito

      RT

  23. Boa tarde!
    Como todos aqui sinto me muito revoltada com esta promessa da treta dos estágios!Tive uma pequena esperança com estes 5000 estágios pois, já tenho 33 anos, licenciada em sociologia com pós-graduação, e continuo a não ter um trabalho que me dê estabilidade profissional e pessoal!
    Quero agradecer ao Hangover por ter iniciado este blog,sempre que quero ver se há novidades a este respeito venho aqui.
    Algum novidade comuniquem para todos sabermos!
    Cumprimentos!

    • Olá Teresa

      Desde já agradeço a sua participação neste blog.

      Penso que tem razão para estar revoltada, eu sinto o mesmo, e pior, penso que toda a sociedade deve ser responsabilizada, pois muito do que estamos hoje a passar advém de governantes que formaram governo no pós 25 de Abril até agora, e que muitos erros cometeram e hoje estamos nisto.

      Lembro-me que se viveu muito bem, no tempo do António Guterres, mas penso o que também este cometeu erros…

      Não sei não, mas o ideal era um golpe de estado, por pessoas que tenham consciência e respeito pela constituição, e o que nela versa, nomeadamente de igualdade de direitos a todos, coisa muito assimétrica em Portugal.

      Sem mais agradeço

      Tenho Dito

      RT

  24. http://www.dgaep.gov.pt/index.cfm?OBJID=78BE7236-46D2-4258-B549-37542967D30C&ID=148

    Notícias
    Orçamentação do Programa de Estágios na Administração Pública
    Publicada em: 22-12-2009
    Proveniente do Gabinete de Sua Excelência o Secretário de Estado da Administração Pública divulga-se a seguinte nota de esclarecimento sobre a orçamentação do Programa de Estágios na Administração Pública:
    Estando a decorrer os procedimentos para apresentação e carregamento das propostas de orçamento dos serviços e organismos para 2010, encarrega-me o Senhor Secretário de Estado de, sem prejuízo de informação complementar que venha a ser disponibilizada por ocasião da entrada em vigor do diploma que enquadrará o novo Programa de Estágios Profissionais da Administração Pública Central, bem como a respectiva Portaria regulamentadora, informar que as várias componentes a que terão direito estes estagiários podem ser pagas globalmente pela rubrica 04.08.02 – Transferências Correntes – Famílias – Outras – Alínea A0 – Estágios Profissionais na Administração Pública.
    Mais se informa que os serviços devem suportar 50% da despesa através do respectivo orçamento, abrangendo o período de Julho a Dezembro de 2010, e que o restante montante será suportado, quer por uma dotação específica a prever para o efeito no Orçamento do Estado de 2010, quer através de fundos comunitários.
    A despesa incluirá a atribuição de uma bolsa de estágio correspondente a duas vezes o IAS (838,44€ a valores de 2009), um subsídio de refeição (93,94€ a valores de 2009) e ainda um seguro profissional por estagiário. Este seguro será negociado centralmente pelo MFAP, de acordo com as regras da contratação pública, não havendo ainda qualquer indicação quanto ao seu custo. Como referência, informa-se que o preço do seguro contratado para a edição de estágios profissionais em 2006 se fixou em 74,50€ por estagiário.
    Os serviços que tenham já apresentado a respectiva proposta de orçamento, sem que nela esteja reflectida a sua intenção de acolher estagiários, deverão promover a alteração do orçamento antes do fim do primeiro semestre do próximo ano, dado que se prevê que os estágios iniciem no começo do segundo semestre do mesmo ano.
    A versão do diploma que foi submetida a negociação dos sindicatos e que se mantém, no que respeita a esta matéria, estabilizada está disponível no Site da DGAEP.

    • Olá PS

      Desde já agradeço a sua participação e a partilha da respectiva informação.

      Relembro, caso tenham algo que queiram partilhar, estão à vontade, pois é com orgulho que faço serviço publico, pois não existe nada no publico para partilha e comentário de informação.

      Sem mais

      RT

      • Boas olha pelo menos ja consegui um part-time , não é na minha área , mas pronto , sempre é melhor do que estar parado , vou vender cartões de crédito na Barclays , espero correr bem , até arranjar algo melhor

      • Olá José M

        Desde já agradeço a sua participação neste blog.

        Pelo menos já encontrou algo onde pode pelo menos ganhar algum, pois penso que deve querer trabalhar na sua área. É como eu digo, dá para entreter, o que já não é mau, não nos faz ficar malucos.

        Sem mais agradeço

        RT

    • Olá Marco

      Desde já agradeço a sua participação no blog.

      Ainda não sabemos quando começam as inscrições, no entanto mal tenha essa mesma informação, ou alguém aqui do blog saiba, faça favor de indicar, que publico a resposta, pois penso que seja uma dúvida bastante pertinente.

      Sem mais agradeço

      RT

  25. concordo com muita gente. nós licenciados somos tanto iguais ou melhores do que a maioria que está nos quadros da função pública. e que, aliás, são umas grandes “bestas” no atendimento ao público em qualquer serviço.

    • Olá Tiago.

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      Somos bons, só não temos oportunidade, quer seja na Função Pública, quer seja no Privado, sinto-me cada vez mais triste, pois não nos querem para nada, nem temos possibilidade de poder ter uma vida norma, digo casar, ter filhos, sair de casa dos país.

      Eu pelo menos, escrevo e faço este blog, e fico grato quando alguem comenta, ou me dá feed-back, pois assim, e apesar de nada ganhar, sinto que estou a trabalhar para uma comunidade, e para pessoas, sinto me útil, já não posso dizer o mesmo em termos profissionais.

      Obrigado pelos comentários

      Sem mais agradeço

      RT

  26. acho que aqueles que tiverem algum “padrinho” na função pública até podem ficar nos quadros. aos restantes é-lhes prometido mil e uma coisas como sempre e no final acabam sem nada.relativamente aos recém-licenciados de maiores de 23… meus amigos vocês tiveram grandes oportunidades no passado qundo hoje poderiam estar a dar graças a Deus. as opotunidades devem-se centrar, sobretudo nos mais novos que são tão iguais ou melhores até do que alguns dos funcionários antigos. inovação acima de tudo porque esta é a futurapopulação activa com qualidade caso contrário o país ficará com uma população cada vez mais envelhecida porque muitos procuram a sua sorte no Estrangeiro

    • Olá, Tiago

      Desde já agradeço o seu comentário.

      Penso que em parte tem razão, que é necessário dar oportunidade às novas gerações, e aos mais jovens, no entanto, não esqueçamos, que para ser maior de 23 anos, basta os que agora têm 23 anos, e não tenham cocluido o 12º ano, e queiram ingressar no ensino superior.
      A Igualdade na minha óptica deve ser salvaguardada, apesar de a maioria das organizações, privilegiar os cursos pré Bolonha em detrimento dos pós Bolonha.

      Igualdade acima de tudo.

      Sem mais Agradeço

      RT

  27. Boas a todos,

    Alguem sabe alguma coisa dos estagios nas instituiçoes sociais? no site oficial nao tem pdf de candidatura online, so pa entidades, será mais um embuste.

    cumprimentos

    • Olá Intro

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      Eu além das informações aqui colocadas, não sei mais nada adicional, no entanto, ao que sei, esse formulário em PDF, é para entidades (empresas) poderem candidatar para receberem estagiários.

      Quanto ao embuste…até ao momento é o que parece, pois já estamos a terminar Março e estágios, nem os ver, e os anos a passar.

      No entanto, se alguém tiver alguma informação, ou quiser partilhar algo, mais uma vez disponibilizo o blog, mandem os comentários ou mesmo informações, que as coloco no blog, para que exista partilha.

      Sem mais agradeço

      RT

  28. Ola!

    No passado dia 19 de Março, saiu um novo decreto-lei sobre novos estágios na admnistração pública em que no âmbito de aplicação afirma que é para a admnistração central e autarquias locais. Ontem sai uma portaria com as vagas para a admnistração central. E para a local?
    no dia de ontem foi publicada uma noticia no correio da manha, c 7000 estágios para a admnistração local e central, mas para a local ainda não saiu nada.
    Alguém me consegue explicar o que se passa. Não sei onde posso pesquisar mais informações sobre estes estágios.
    Desde já agradeço a quem me consiga adiantar mais qq coisa.

    • Olá Diana

      Desde já agradeço a sua participação neste blog.

      Pelo que sei, a Diana até está a nos dar uma novidade, pois eu pelo menos, não sabia que tinha saído em Decreto Lei, nem ninguém se manifestou nesse sentido no blog.

      Por essa forma não a posso ajudar, no entanto, a questão está em aberto e todos podem colaborar ou em ajudar a Diana, ou mesmo, partilhar algo adicional para todos.

      Sem mais agradeço

      RT

  29. Ola a todos! Saiu no dia 23 de Março esta noticia no Correio da Manha.

    A partir da próxima segunda-feira estão abertas as inscrições para apresentação de candidaturas para os estágios profissionais na Função Pública. São 5000 as vagas para estágios dirigidos a jovens licenciados de todo o País, com idade até aos 35 anos.

    A apresentação e o processo das candidaturas podem ser feitos no portal da Bolsa de Emprego Público, no endereço http://www.bep.gov.pt , onde estará disponível (a partir de quarta-feira) toda a informação referente à primeira edição do programa.

    O prazo termina no dia 9 de Abril, as listas de candidatos seleccionados estará disponível a 26 de Maio e o início do estágio está marcado para o dia 1 de Julho.

    O número de vagas distribui-se por várias áreas. A que regista o maior número é Direito com 1300 vagas, seguida de Gestão e Administração com 592 vagas e Economia com 414 vagas.

    O Governo está confiante no sucesso da iniciativa. Em declarações à agência Lusa, o secretário de Estado da Administração Pública, Gonçalo Castilho dos Santos, sublinhou a “diversidade” das ofertas disponíveis no programa de estágios, destacando que “estes lugares de estágio resultaram da propostas dos próprios serviços, tendo sido posteriormente definidas as áreas onde se entende que é útil e vantajosa esta experiência de formação”.

    • Olá Teresa

      Desde já agradeço a sua participação no blog.

      Obrigado pela partilha de informação, e como prometido aqui fica disponível para todos os interessados.

      Sem mais agradeço

      RT

  30. Boas,

    ouvi agora na sic que vao iniciar as candidaturas online na segunda feira, nao disseram onde mas decorrem ate 9 de abril
    se descobrirem mais alguma coisa postem por favor

    cumprimentos

  31. Boas ao que parece os estagio vão mesmo sair , uma amiga minha viu na SIC que começam as candidaturas na segunda feira , estou a ver se encontro alguma coisa no site do governo.

  32. Alterar tamanho de letra
    Nuno Jesus Estágios profissionais para jovens licenciadosEstágios profissionais para jovens licenciados
    23 Março 2010 – 15h17
    Inscrições a partir da próxima segunda-feira
    Função Pública: 5000 estágios profissionais
    A partir da próxima segunda-feira estão abertas as inscrições para apresentação de candidaturas para os estágios profissionais na Função Pública. São 5000 as vagas para estágios dirigidos a jovens licenciados de todo o País, com idade até aos 35 anos.

    A apresentação e o processo das candidaturas podem ser feitos no portal da Bolsa de Emprego Público, no endereço http://www.bep.gov.pt , onde estará disponível (a partir de quarta-feira) toda a informação referente à primeira edição do programa.

    O prazo termina no dia 9 de Abril, as listas de candidatos seleccionados estará disponível a 26 de Maio e o início do estágio está marcado para o dia 1 de Julho.

    O número de vagas distribui-se por várias áreas. A que regista o maior número é Direito com 1300 vagas, seguida de Gestão e Administração com 592 vagas e Economia com 414 vagas.

    O Governo está confiante no sucesso da iniciativa. Em declarações à agência Lusa, o secretário de Estado da Administração Pública, Gonçalo Castilho dos Santos, sublinhou a “diversidade” das ofertas disponíveis no programa de estágios, destacando que “estes lugares de estágio resultaram da propostas dos próprios serviços, tendo sido posteriormente definidas as áreas onde se entende que é útil e vantajosa esta experiência de formação”.

    L.M. com Lusa

  33. Boa tarde,

    Já dei uma vista de olhos no site e o processo para concorrer parece bastante acessível. Tem vagas em diversas áreas (até na minha-sociologia, o que me surpreendeu)em diversas zonas do país. Agora vamos ver….no que vai dar…A partir de 2ªf vai ser a correria ao site!
    Boa sorte para todos!!!

  34. Bem vem ai mais 2000 agora para o poder local , o dito PEPAL :

    “O Governo aprovou um decreto-lei que cria um novo programa de estágios. Desta forma estão disponíveis mais dois mil estágios para jovens licenciados.

    Comente esta notícia
    Já estavam abertas cinco mil candidaturas para estágios na Função Pública (vídeo). A este número o Conselho de Ministros abriu mais “dois mil novos estágios na administração local”. Desta forma, o programa pretende “contribuir para uma melhor transição para a vida activa de um elevado número anual de jovens desempregados à procura do primeiro ou de novo emprego”.

    Em nota enviada às redacções, o Governo refere que os estágios são destinados a “jovens licenciados, desempregados, à procura do primeiro emprego ou à procura de emprego correspondente à sua área de formação e nível de qualificação”. “

    • Olá José M.

      Desde já agradeço a participação no blog.

      Esperemos que seja verdade…é que pressuponho que essa notícia tenha sido no dia 1 de Abril, logo pode ser engano…

      Sem mais agradeço

      RT

      • LOL penso que não visto que no site da BEP onde tem o PEPAC ja se encontra o fomulário para a PEPAL .Agora as datas do PEPAL é que não sei.

      • Olá Jose M.

        O PEPAC, está em estágios, no site BEP, quando ao outro protocolo não sei responder, no entanto, se alguém souber, agradeço que auxilie o o José M

        Sem mais agradeço

        RT

  35. Boa Noite a todos,

    Li alguns comentários, a questão da idade falo por mim tenho 40 anos (sempre trabalhei vs estudei), determinado momento da minha vida senti necessidade, de realização pessoal.

    Retomei os estudos, terminei a Licenciatura em psicologia Clínica (pré-bolonha), posterior a 2008, actualmente a tirar o mestrado (infelizmente não estou a trabalhar).

    Relativamente aos estágios, falo por mim: estou inscrita centro emprego Porto/ recebi telefonema centro emprego de Valongo, fiquei admirada, área de residência é Porto (já fui à entrevista “ Estagiário, no âmbito do Programas de Estágios Profissionais” idade superior a 35 anos licenciatura terminada há 2 anos (neste caso solicitavam Psicólogos/estágio 9 meses).

    Equacionei, ser “centro Valongo” a indicação auferida, quando não têm no próprio distrito, requerem a outros “centros emprego”

    Aguardo resposta (entrevista foi em Fevereiro).

    Na minha situação, não é os 40 anos, as minhas colegas têm 22 a resposta é idêntica (tem experiência), se não nos dão oportunidade, como vamos demonstrar… o nosso valor….

    Temos uma ordem… já paguei… o que desejam fazer!!!!
    Revolta e muito.

    A triste realidade do nosso País… as prioridades deveriam ser (Saúde, Educação, Trabalho).

    As discrepâncias nas classes sociais… para não mencionar factor “ C “ cunha não a dos sapatos!

    Cumprimentos,

  36. Vi aqui o comentário do José no dia 2 de Abril, alguém me pode dizer qual o decreto-lei que aprovou o Pepal?Já tive a pesquisar e nao encontro nada sobre o pepal

    • Olá Diana

      Desde Já agradeço a participação no Blog.

      Não é PEPAL, mas sim PEPAC, quando ao DL não tenho presente o número do mesmo, mas a portaria que regulamenta é a 186A52.

      Sem mais agradeço

      RT

    • O Governo aprovou hoje um diploma em que abre duas mil vagas para estágios profissionais na administração local. Uma medida que visa ajudar os jovens licenciados a conseguir emprego.

      O diploma hoje aprovado em Conselho de Ministros vai permitir “criar 2000 novos estágios na administração local, que acrescem assim ao Programa de 5000 estágios na Administração Central já em curso”, revela o comunicado.

      O Governo esclarece que “os destinatários deste programa são jovens licenciados, desempregados, à procura do primeiro emprego ou à procura de emprego correspondente à sua área de formação e nível de qualificação”.

      Este programa confere ainda a possibilidade das autarquias, “pela primeira vez”, definirem o “local do exercício do estágio noutras entidades, como instituições particulares de solidariedade social e em empresas, permitindo assim diversificar as oportunidades para os jovens candidatos”.

  37. Olá a todos:
    Estiva a dar uma vista de olhos por muitos dos vossos comentários.
    Tenho um filho que também concorreu aos novos estágios.Tem 23 anos acabou há pouco tempo o curso.
    Li as mensagens dos mais novos e dos mais velhos. Todos têm razões de queixa no que diz respeito ao direito a trabalhar,é certo.
    No entanto quanto à escrita e quanto a erros, deixam muito a desejar. Deveriam rever, para licenciados, o vosso português.Isso poderia traduzir-se numa mais-valia. Explicações não fazem mal a ninguém.

    • Olá, João Nogueira

      Desde já agradeço a sua participação no blog.

      Penso que a sua opinião é curiosa, no entanto, penso que a maioria dos erros que aqui aparecem, são baseados numa escrita que surgiu com a Internet, penso mesmo, que a maioria dos universitários, tem muito cuidado nas suas escritas no que concerne à sua actividade Profissional.

      Sem mais agradeço

      RT

    • Concordo com o hangover na internet normalmente não nos preocupamos com os erros , às vezes escremos tão rápido com o teclado que se passa por cima de muitas regras ou com letras trocadas , principalmente por letras que ficam proximas ,isso é normal.

  38. Não tendo a haver directamente com os Estágios Profissionais (penso eu…) mas na Iniciativa Emprego 2010 (Resolução do Conselho de Ministros n.º 5/2010) no 2º eixo de intervenção, “inserção de jovens no mercado de trabalho”, uma das medidas preconizadas consiste na “Requalificação de 5000 jovens licenciados em áreas de baixa empregabilidade de forma a facilitar a sua adequada inserção no mercado de trabalho;”.
    Alguém conhece alguma iniciativa com este propósito ?

    • Olá José E.

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      Eu pessoalmente não conheço nenhuma iniciativa desse género, no entanto deixo a questão em aberto, se alguém souber responder ao José, está a vontade, que eu publico a referida resposta.

      Sem mais agradeço

      RT

    • Acabei de receber uma oferta do IEFP para trabalhar como escriturário… exige o 9º ano e pagam 237 Eur por mês!

      Mas que treta é esta?

      Um licenciado em Gestão = 9º ano = metade do salário mínimo nacional

      • Olá José

        Desde Já agradeço a sua participação no Blog e a partilha dessa mesma situação.

        Realmente, tenho a indicar que é lamentável, já ninguém consegue viver com o salário mínimo, quanto mais com o valor que apontou.

        Tenho pena, é que o IEFP compactue com essas mesmas situações..

        Tenho Dito

        RT

  39. Bom dia,

    Esta ideia do PEPAC parece-me óptima, ou melhor parecia-me, até ao momento em que me informaram que não há entrevista sequer, aquele momento crucial de qualquer fase de selecção!!! Para não falar que de momento os candidatos estão a ser notificados das ofertas, muitas vagas foram já preenchidas e nenhum desses candidatos teve de comprovar nada do que escreveu no boletim de candidatura… Foram aceites muitos candidatos, cujas licenciaturas além de não estarem inseridas sequer correctamente na área de formação à qual pertencem, nem correspondem às licenciaturas pretendidas em muitas das ofertas. Um site, uma fórmula fazem a selecção dos candidatos! Não seria tão mais fácil e justo os candidatos candidatarem-se junto da entidade que melhor do que ninguém sabe aquilo de que precisa? Dia 1 de Julho teremos as entidades deste país a receberem estranhos nos seus serviços, pessoas que podem nem sequer corresponder àquilo que pretendem, que não sabem se têm o perfil, as competências necessárias para desempenhar as funções que deveriam desempenhar correctamente.

    Cumprimentos,
    Daniela

    • Olá Daniela

      Desde já agradeço a sua participação no blog.

      Parece-me correcto, o seu ponto de vista.

      No entanto, inscrevi-me e na candidatura aparece pendente, e nem sequer fui notificado para nada, nem para nenhuma oferta…

      Como posso ver o ponto situação, desta mesma situação? Se alguém me poder esclarecer, agradeço.

      Sem mais agradeço

      RT

    • Concordo , não foi pedido nenhum documento comprovativo , não houve entrevista e ja estão escolhidos os estagiarios , para mim fomos enganados , foi muito mal feita esta selecção , uma vergonha , nem sei o que dizer , não estava a espera deste metodo se selecção , de certeza que nem foram conferir se esses candidatos ja fizeram algum estagio profissional tutelado pelo Estado , ja nem penso nesses estágios , ja vi que o melhor a fazer é emigrar , ja tive duas ofertas de emprego em Cabo Verde , estou a ver que a solução é essa .Quem diria nos agora temos que emigrar para as ex-colónias , é a unica solução , muitos dos meus conhecidos ja estão a caminho.

      • Olá José M.

        Concordo plenamente contigo, penso que seja absurdo o método de escolha e de selecção, mais ainda, penso que todos os candidatos, deveriam ter acesso aos critérios de selecção e como são selecionados os candidatos…

        Ainda assim, penso todos os candidatos, deveriam ter que fazer prova do que preencheram online, senão eu poderia dizer que tinha média de 20…

        Enfim, tristeza de país e de critérios que são usados.

        Parece mais uma forma de dar uns tachos com recurso a mais umas cunhas…

        Tenho Dito!

        RT

  40. Boa tarde, antes mesmo do inicio das inscrições para o PEPAC, acompanhei os comentários aqui deixados, e é com bastante desagrado que vos digo que a seleccção para o PEPAC, é uma tremenda falsidade, senão vejamos:
    1º tenho pessoas “conhecidas” que apesar de terem notas bastante inferiores à minha,e nem sequer preenchem os requisitos exigidos foram selecionados;
    2º A 2 deles nao foi pedido nenhum comprovativo apenas dados pessoais;
    3º Um deles ingressou para um mestrado este ano (falta 1 ano para terminar sensivelmente) e na ficha de candidatura colocou e foi assumido que já é “mestre”, independentemente de já ter ou não terminado o mestrado.

    Enfim assim continua o nosso Portugal,afinal o mundo é mesmo dos mais espertos e nao dos mais honestos.Bos sorte aos que ainda acreditam…

    • Olá Juliana Viana

      Desde já agradeço a sua participação no Blog

      Relativamente ao assunto dos estágios, parece-me ser mais uma maneira de colocar mais «cunhas», e pessoas amigas dos amigos.
      Tenho pena que não tenham visto as pessoas com mais idade, e que se encontrassem no desemprego, pois penso que devemos dar a mão a todos, mas os que estão a receber subsidio de desemprego, são prioritários, de modo a se poder conter mais a despesa.

      É triste a falta de respeito do Estado, pelos jovens de hoje em dia, especialmente os licenciados.

      Tenho Dito
      RT

  41. Boa tarde,

    Juliana estou precisamente na mesma situação… Tenho média mais alta que pessoas que conheço que foram seleccionadas, além de que tenho Mestrado e a minha licenciatura está especificamente pedida numa das ofertas… Para não falar na quantidade de mentiras inventadas por muita gente!!! Esta ideia teria tudo para dar certo se o processo tivesse sido diferente!!!Não sei se aqui se pode falar de cunhas, as candidaturas estão online e podemos ter acesso a elas, vemos os notificados… Mas ainda assim conheço entidades que têm estagiários a fazer o estágio curricular com quem gostariam de ficar, e por isso mesmo pediram vagas… No entanto, tendo em conta o processo parece que vai ser impossível… Neste caso seria integrar dignamente um licenciado, a ganhar um ordenado minimamente decente, visto que os estágios curriculares não são remunerados!E se são bons no que fazem têm direito a uma oportunidade! Ontem esta situação finalmente chegou ao telejornal… Ainda assim não sei se haverá mudanças!

    Cumprimentos.

    • Olá Daniela

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      Daniela, não existe coerência na selecção das pessoas, eu penso mesmo, que foi mais uma maneira de atirar areia para os olhos das pessoas, e de dar falsas esperanças às pessoas, neste caso, digo abertamente, são mentiras, e que no seu extremo, pode até ser considerado, burla no seu limite máximo.

      Tenho pena que os jovens, sejam enganados mais uma vez, especialmente os que nunca tiveram oportunidade de mostrar o seu valor, são sempre os mesmos.

      Mais uma vez ficam a ganhar as cunhas, e os privilégios de quem tem «padrinhos».

      Tenho Dito

      RT

    • Olá Nuno Russo

      Vês no site onde te inscreveste, la tem um ranking, penso que seja ai, que o pessoal anda a ver em que lugar ficou, mas se não for, agradeço que me corrijam e coloquem aqui onde consultar.

      Sem mais agradeço

      RT

    • Há uma opção que é pesquisar estagio , depois tens que meter apenas a rea , o curso e depois escolheres as instituições , depois surge um conjunto de opções em que podes ver , eu seleciono sempre todos , se não me engano são : Candidaturas pendentes , notificações , estagios aceites , estagios recusados , aceitou outro estagio e elegiveis .Ao selecionar esses , poderas ver a lista dos candidatos que estão nessa situação.

  42. Bom dia,

    Não coerência não existe, nenhuma mesmo… Não faz sentido o modo de selecção, a fórmula, a admissão de pessoas cuja licenciatura não foi inserida na área de formação correcta ou que nem o nome da licenciatura escreveram, a não comprovação de qualuqer dado, algo feito só depois de as vagas estarem preenchidas… Espero sinceramente que as entidades nesta fase seguinte, de apresentação de prova documental, se assim o entenderem, comecem a rejeitar os estagiários, não faz sentido receberem pessoas que não estão habilitadas a desempenhar determinadas funções… E nas Portarias nada indica que não possam recusar!!!

    Cumprimentos

    • Olá Daniela

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      No referido, por si, concordo plenamente, com as suas palavras, e penso mesmo, o mais justo seria mesmo rejeitarem quem não tem habilitações para o cargo.

      Sem mais agradeço

      RT

  43. Vejam só a notícia que saiu no Público:

    “Apenas 2700 jovens licenciados até aos 35 anos aceitaram até agora vagas para os estágios na Função Pública, um número que surpreendeu o Governo, já que fica aquém dos cinco mil lugares disponíveis.”

    Isto é MENTIRA, pois estão inscritas 23.000 e tal pessoas à espera de vaga! Estou indignado!

    • Olá Nuno Russo

      EU também estou indignado, pois estou inscrito, e em muitas das classificações estou entre o 200º e o 500º, não entendo, como não colocam as pessoas.

      Será que para além de nos inscrevermos, temos que fazer algum procedimento especial, temos que nos «colocar» em algum estágio, se sim como o fazemos??

      Se alguém souber a resposta a duvida do Nuno ou à por mim aqui deixada, agradeço que responda.

      Muito Obrigado

      RT

      • Não é preciso fazer mais nada , a não ser que tenhas uma cunha , a verdade é que fomos todos enganados da forma mais descarada possível e ainda têm a lata de dizer as pessoas que não foram ocupadas pq não foram aceites , MENTIRA , foram feitas 6000 notificações sim , mas muitos (os primeiros “lords” das listas) receberam mais de uma notificação , vi casos em que pessoas aceitaram 1 e rejeitaram os outros (uns 9 ou 10) pq claro so podem aceitar 1. Fomos enganados e agora querem enganar a opinião pública e nós os jovens ficamos com a imagem de priguiçosos quando fomos completamente enganados pelo primeiro ministro , uma VERGONHA.Enviem emails ao provedor da justiça ,site : http://www.provedor-jus.pt/queixa.htm

        Ou aos vários partidos da oposição ou ao proprio PS (procurem no google) a reclamarem a situação , temos que nos levantar e fazer alguma coisa , mesmo que eu não fique em nenhum estágio pelo menos que ocupem os 5000 com outros jovens colegas , temos que nos unir , o bloco de esquerda ja me respondeu 2 vezes a dizerem que estavam a par da situação e depois para dizer que já têm uma posição , no entanto quanto mais formos a reclamar mais força teremos.

      • Olá Jose M.

        Desde Já agradeço a sua participação no Blogue.

        Concordo a sua opinião, penso que fomos enganados e que os estágios foi mais uma manobra de diversão política para nos iludir, e ao povo em geral.
        Mas não me importo, que caso não exista estágio para mim, pelo menos exista para algum dos colegas que anda como eu desesperado, à procura de trabalho, penso que se for para pessoa de bem e sem cunhas, se não for para mim, que seja para alguém honesto.

        Tenho Dito

        RT

      • *preguiçosos , desculpem os erros é que estou mesmo irritado e a escrever rápido saem mtas asneiras.

    • Também se disse que as vagas em Lisboa, Porto e Coimbra foram todas ou quase todas preenchidas.

      Por isso as que ficaram por preencher será em locais ou “profissões” onde menos pessoas se candidataram.

      Há muito que acompanho o que foi aqui falado e não concordo com tudo o que tem sido dito, mas acho dificil tentar-se discustir algo por aqui 🙂 ficaria muitos pontos de vista por serem esclarecidos.

      Que isto está mau, está.
      Que os exemplos deviam vir de cima e no entanto é onde só à corrupção, grandes subsidios, grandes reformas e outras maneiras de meter ao bolso, sim.
      Mas há muito, que muitas pessoas podia fazer para melhorar a sua vida e não o fazem porque parece dar trabalho.

  44. Olá,

    Eu sou uma ainda estudante, mas quase licenciada (Engenharia do Ambiente). E nem sei muito bem o que fazer a partir do momento em que tiver o certificado de habilitações na mão. Candidatei-me para alguns mestrados, mas um pouco a medo! Penso que seja muito arriscado apostar uma área sem ter as mínimas noção da necessidade no mercado. Alguém que já passou pelo mesmo me pode ajudar? Será que devia tentar fazer um estagio profissional ou algo do género do referido no post?

    • Olá Isabel

      Desde já agradeço a sua participação no Blog.

      No que concerne ao seu comentário, não sei bem que lhe diga, pois eu pessoalmente, continuo a pensar, quanto mais qualificação neste país, menos emprego, pelo menos é o que a experiência me indica.

      Pessoalmente ando atrás de um novo projecto, e não o consigo encontrar, em virtude, do desrespeito que este país tem por pessoas com grau de licenciatura.

      No entanto, vou deixar aqui o post, e caso tenham conselhos a dar à Isabel, ou sobre se vale a pena estudar em Portugal ou não, façam-no, pois todos serão publicados neste blog.

      Sem mais agradeço

      RT

  45. Gostaria se possivel que me informassem do seguinte:
    há cerca de meio ano atrás, surgiu a 1a fase de estagios profissionais, e uma das condições era a de nunca termos frequentado anteriormente o Inovjovem.

    Agora com esta 2a fase, não encontro o site adequado para obter informações, e a minha duvida em particular era confirmar que a condiçao anterior de nunca ter frequentando o inovjovem ou outro estagio “patrocinado” pelo estado…

    Obrigado

    • Olá Ricardo

      Desde já agradeço a sua participação no Blog

      Não sei a resposta para a sua questão em concreto, no entanto, deixo a mesma aqui exposta no blog, de forma, a que se alguém souber a resposta, possa o esclarecer.

      Sem mais agradeço

      RT

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s