Como Pensa Hollywood Dar a Volta À Crise…Com Remakes de Grandes Êxitos dos Anos 80… Conheça As Principais Estreias de 2010…

Hollywood Fonte: http://www.visitingdc.com

Hoje e trago um artigo que saiu no dia de ontem num diário da nossa praça, e já que foi dias de estreia ontem, nada melhor que transcrever uma peça, onde se falas das principais estreias que vão acontecer este ano.

«As estreias de 2010 são de 1980

Hollywood entra na máquina do tempo e resgata sucessos dos 80

A continuar assim para o ano vai haver “McGyver – O Filme”, “Um (Outro) Sonho de Mulher” ou “E.T. II”. O cinema norte-americano entrou numa crise de criatividade e decidiu assegurar o seu futuro com uma viagem ao passado – um passado recente. Já vimos nos últimos anos os regressos de Rocky e Rambo, com Sylvester Stallone aparentemente imune à passagem do tempo. Mas nada nos preparou para rever “O Pesadelo em Elm Street”, que estreia hoje, ou uma versão actualizada de “Tron”. Filmes que não chegaram a ser clássicos, apesar de constarem na colecção de VHS de muita gente nascida nos anos 80, como “Karate Kid”, regressam este ano ao cinema com poucas alterações.

A partir do momento em que se adaptam videojogos – “Prince Of Persia”, o clássico dos computadores pessoais a 286 megahertz chega ao cinema para a semana – com a mesma frequência com que antigamente se faziam sequelas de “Academia de Polícia” (mais um franchise a voltar em 2011), não admira que “Soldados da Fortuna” dê em filme.

Depois de “Avatar” ter batido recordes de bilheteira, Hollywood achou que o futuro do cinema estaria na tecnologia 3D. Agora é a vez das sequelas, remakes e adaptações. Daí que seja possível no futuro ver fusões destas duas fórmulas de sucesso. Sugerimos “Miss Daisy II, 3D”.

Pesadelo em Elm Street
1984-1994
De Wes Craven
Com Heather Langenkamp, Johnny Depp, John Saxon e Ronee Blakley

Pesadelo em Elm Street
2010

de Samuel Bayer
Com Jackie Earle Haley, Kyle Gallner _e Rooney Mara

“Se Nancy não acordar aos gritos, então ela não acorda mesmo”, era o que pregavam os cartazes de promoção do filme, em 1984. A história de um monstro que matava os adolescentes durante o sono foi combustível para insónias durante os anos 80. Freddy Krueger era o vilão perfeito, no único filme em que humanos com garras não se dedicavam à jardinagem (como “Eduardo Mãos de Tesoura”, de Tim Burton) ou a brincar aos mutantes (“Wolverine”, da série “X-Men”). O filme foi um sucesso de bilheteira e deu origem a oito sequelas, uma série _de televisão e bandas desenhadas. Também ajudou Johnny Depp a lançar-_-se no cinema.

Porque é boa ideia fazer um remake?
Para a garotada nascida depois de 1990  saber quem era Freddy Krueger.
Por que razão é má ideia?
O personagem já estava moribundo depois de tanta sequela. Um remake _é uma tentativa de o ressuscitar quando na verdade se devia estar a dar o golpe de misericórdia.
Sabia que…
Existiu realmente um Fred Krueger, colega de escola do realizador Wes Craven que o aterrorizava. A série “Pesadelo em Elm Street” tem, por isso, a sua dívida com o bullying.

Wall Street
1987

De Oliver Stone
Com Michael Douglas, Charlie Sheen e Daryl Hannah

Wall Street O Dinheiro Nunca Dorme
2010

De Oliver Stone
Com Michael Douglas, _Shia LaBeouf e Josh Brolin

De todos os regressos aos anos 80 este é o que parece fazer mais sentido: uma sequela de “Wall Street” com o mesmo realizador e protagonista. O enredo avança 23 anos e estamos novamente no bairro financeiro de Nova Iorque, mas em plena crise. Desta vez Gordon Gekko, o capitalista intratável protagonizado por Michael Douglas _no filme original, não é o vilão mas sim uma espécie de anti-herói que faz tudo para recuperar o sistema financeiro e a filha, os dois responsáveis pelos seus cabelos brancos.

Porque é boa ideia fazer _uma sequela?
O mundo mudou e a Wall Street de hoje não é a mesma de 1987.
Por que razão é má ideia? _Shia LaBeouf pode estragar a sequela assim como fez no último filme de “Indiana Jones”.
Sabia que… “Wall Street” é o único filme na carreira de Oliver Stone a ter uma sequela.


Soldados da Fortuna
1983-1987

De Frank Lupo e Stephen Cannell
Com George Peppard, Dirk Benedict, Dwight Schultz e Mr. T
The A-Team
2010
De Joe Carnahan
Com Liam Neeson, Bradley Cooper, Quinton Jackson e Sharlto Copleya

Foi uma série de sucesso em Portugal em duas fases: primeiro como programa da RTP durante a tarde, depois como série dobrada a passar antes do jantar na TVI. A história de um grupo de justiceiros, mercenários com cadastro mas muito boas intenções, preenche todos os requisitos das séries da época: violência sem sangue (ou até mortos), personagens emblemáticas e um sentido muito apurado de justiça. Esses ingredientes fizeram quatro anos de boa televisão, mas farão um bom filme?

Porque é boa ideia adaptar _a série ao cinema?
Nostalgia.
Por que razão é má ideia?
Nostalgia. E a dificuldade de imaginar os quatro mercenários sem Mr. T.
Sabia que…
Os quatro personagens não eram tão amigos na realidade como na ficção. Mr. T e George Peppard não se podiam ver.


Tron
1982

De Steven Liesberger
Com Jeff Bridges, Bruce Boxleitner _e David  Warner

Tron – O Legado
2010

De Joseph Kosinski
Com Jeff Bridges, Garret Hedlund _e Olivia Wilde

Quando estreou, “Tron” foi um dos primeiros filmes a usarem efeitos especiais feitos por computador. Como maneira de agradecer a ajuda das máquinas, a ficção de Steven Liesberger era uma história pessimista que mostrava como PC movidos a disquetes podem dominar a vida dos homens. Jeff Bridges é o génio informático que consegue entrar num computador e descobre um mundo de corridas de motos em papel milimétrico e lutas de disco entre gladiadores de fatos de borracha. O filme que estreia este ano é uma espécie de sequela.

Porque é boa ideia fazer _uma sequela?
Os efeitos especiais existentes agora podem reinventar as célebres corridas _e vender muitas pipocas. O novo “Tron” tem banda sonora dos Daft Punk.
Por que razão é má ideia?
O software e o hardware entraram de tal maneira nas nossas vidas que o combate humanidade versus máquinas se tornou ligeiramente absurdo.
Sabia que…
O jogo de computador baseado no _filme rendeu mais dinheiro do que _a própria fita.


Karate Kid – Momento da Verdade
1984

De John G. Avildsen
Com Ralph Macchio, Pat Morita _e Elisabeth Shue
Karate Kid
2010

De Harald Zwart
Com Jaden Smith, Jackie Chan _e Taraji P. Henson

A introdução familiar aos filmes de artes marciais regressa em 2010 sem as suas maiores estrelas. Ralph Macchio é agora um ex-alcoólico em recuperação, enquanto Pat Morita é um cadáver (morreu há quatro anos) sem recuperação possível. Para este remake foi chamado Jackie Chan, talvez a única estrela veterana asiática com uma casa em Hollywood, e Jaden Smith, filho _do actor Will Smith. A grande diferença nesta versão moderna e recauchutada _é que o protagonista aprende kung fu _e não karaté._Um factor que não pesou na escolha do título do filme.

Porque é boa ideia fazer um remake? Assegurar uma reforma digna a Jackie Chan. Assegurar um aumento de inscrições em escolas de artes marciais.
Por que razão é má ideia?
Vai estragar as boas memórias que havia do primeiro filme e fazer-nos sentir a falta de Mr. Myiagi.
Sabia que…
O golpe da garça com que Daniel vence o último combate não existe.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/60738-as-estreias-2010-sao-1980—videos, a 20 de Maio de 2010, em Jornal I

Bons Filmes

RT

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s