Curso de Culinária Para os Mais Pequenos…Veja Aqui os Detalhes do Mesmo…

Curso de Culinária Para Os Mais Pequenos... Fonte: http://www.ionline.pt

Hoje e por ser Domingo, em vez da tradicional peça gastronómica, este Domingo, trago algo que, pode ajudar os mais pequenos a confeccionarem uma refeição em casa, para os mais graúdos, vou transcrever a referida reportagem, mas como se trata de uma publi-reportagem, não vou tecer, nenhum comentário à mesma.

«Minichefes. A cozinha não morde

E se amanhã forem os seus filhos a arregaçar as mangas e a preparar o jantar? Depois do curso “A cozinha não morde”, em Cascais, eles serão capazes disso e muito mais

A cozinha não morde é o nome destes originais cursos de culinária para crianças. E se é verdade que a cozinha não morde e até diverte muito, todos as receitas feitas pelos mais pequenos, sob a orientação de Berenice Cisneiros, dão vontade de trincar. Com uma enorme experiência na área da gastronomia, Berenice Cisneiros criou, há cerca de três anos, estes cursos com ingredientes diversos: farinha na ponta do nariz, curiosidade nas mãos e mãos na massa, para aprenderem as primeiras receitas na sua casa em Cascais. “É uma excelente oportunidade deles largarem o computador, deixarem a cidade e virem contactar com a natureza, os animais e a culinária”, explica Berenice. “Temos os minicozinheiros, com idades entre os oito e os dez anos, em grupos de seis, porque precisam de muita atenção e os jovens cozinheiros, entre os 11 e os 14 anos.” Os cursos de Verão podem ser de um ou dois dias e às 10 horas em ponto começa a aventura. “Desde que chegam até a hora em que os pais os vêm buscar, não param. Tudo começa com uma ida ao mercado de Cascais ou uma visita à horta. No mercado aprendem a reconhecer e distinguir os peixes, os legumes e as frutas. Ensino-lhes as suas características, qualidades e como escolhê-los. Na horta, apresento-lhes os legumes e as ervas aromáticas, escolhem os que serão usados para o almoço e plantam outros.”

Já na cozinha, às 11h30, arregaçam-se as mangas, prende-se o cabelo às meninas e põem-se os aventais e os chapéus de cozinheiro. “Num ambiente familiar para eles, cozinham a sua própria refeição e habituam-se a comer de tudo, até ingredientes de que pensavam não gostar.” Começa a preparar-se o almoço e os pequenos candidatos a grandes chefes de cozinha contam ovos, pesam a farinha, calculam o tempo para o prato ficar pronto, aprendem novas palavras e descobrem sabores. Há açúcar que se entorna, ovos que se partem mal, perguntas curiosas e grandes expectativas. Os menus podem incluir sopa de meloa com salmão, tarte de acelgas com salada de agriões com laranja e nozes, pizzas ou lasanha. “O truque está na facilidade de execução das receitas e em alguns pormenores originais que beneficiam o resultado final. Por exemplo, numa salada, se introduzirmos uns grãozinhos de milho frito ou de romãs ou um molho com um pouco de mel e alho, esta ganha um gosto diferente que os cativa.” As coisas mais complicadas já aparecem cortadas, as facas são de plástico e os acessórios coloridos adaptam-se às mãos dos mais pequenos. “Eles têm uma grande expectativa de ver como sai o prato e entusiasmam-se com o resultado final. Aparecem-me aqui crianças que se vê logo que vão ter jeito para a cozinha.” Ao almoço conversam sobre as receitas e os sabores e ouvem-se comentários muito engraçados e espontâneos como “Hum, isto afinal ficou bom”. Depois do almoço, descansam um pouco e por volta das três da tarde é hora de começar a preparar o lanche. No menu não faltam panquecas com recheio de framboesa, brownies, mousse de maracujá ou areias de Cascais. “Por volta das quatro e meia é a hora do lanche e estamos sempre a correr para eles conseguirem lanchar antes que os pais cheguem. Os minis levam as receitas para casa, porque precisam da ajuda dos pais. Os jovens têm de as escrever e estar mais atentos. Às vezes ainda não saíram daqui e já estão a enviar um sms aos pais, a pedir para comprarem os ingredientes para repetirem a receita em casa.” E no pouco tempo que sobra, todas as crianças querem brincar com Jasmim, a cadela Labrador que mora nesta vivenda onde a cozinha não morde, nem o cão. Já a pensarem voltar, porque nestes cursos apetece mesmo ser repetente. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/62957-minichefes-cozinha-nao-morde, a 04 de Junho de 2010, em Jornal I

Bons Pratos!

RT

Advertisements

2 respostas a Curso de Culinária Para os Mais Pequenos…Veja Aqui os Detalhes do Mesmo…

  1. Simonede Anmdrade Chaim Fernandes diz:

    Sou professora do jardim 1 e gostaria de aperfeiçoar mais as aulas e eu amo cozinhar,então pensei em dar aulas de culinária para as crianças mas não sei como e o que dar.
    Gostaria de receber por email algumas dicas ,desde já agradeço.

    • hangover diz:

      Olá Simonede Fernandes

      Desde já agradeço a sua participação no blog.

      Como o xavena de palavras é somente um veiculo informativo, e que no caso em questão, transcreveu na integra uma reportagem que saiu num diário da nossa praça, não me vai ser possível ajudar nessa mesma questão.

      No entanto, fica aqui disponível e se alguém souber como podemos ajudar a nossa leitora, que indique que publicarei aqui as devidas soluções.

      Tenho Dito

      RT

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: