Onde se Pode Beber Um Bom Nectar dos Deuses na Cidade de Lisboa… Conheça 6 Espaços Divinais…

Bons Locais para de Beber um Vinho em Lisboa Fonte:http://www.ionline.pt

Hoje e por estarmos com ambiente de calor, podemos ser tentados a beber, e por que não beber um copo de vinho, li no dia de ontem, uma reportagem onde são apresentados 6 locais na cidade de Lisboa, onde se podem beber um bom copo de vinho, passo a transcrever a respectiva reportagem, mas não vou comentar a mesma, em virtude de se tratar de uma publi-reportagem.

« Wine bars. Seis sítios em Lisboa para provar o néctar dos deuses

Há quem diga que um copo de vinho por dia é o elixir para uma vida longa. Descobrimos os melhores bares e garrafeiras onde pode experimentá-lo

Alfaia
A fadista Mariza é habitué da garrafeira Alfaia, no Bairro Alto. “Uma das vezes em que cá esteve até achou estranho ouvir a sua própria voz numa música”, conta o proprietário Pedro Marques. Quando em 2003 abriu o pequeno espaço na Rua do Diário de Notícias, a ideia era criar uma sala para os clientes que esperavam por mesa no restaurante Alfaia, do outro lado da rua. Nunca imaginou que a garrafeira se tornasse um local de peregrinação turística e, segundo um guia americano, um dos melhores sítios para beber vinho na Europa. Os copos variam entre os 3 e os 6 euros. “Tirando o Barca Velha. Quando abri a garrafa, 95% dos clientes foram portugueses que pagaram 25 euros por um copo”, conta Pedro. Sugestão: vinho verde Quinta do Tamariz, 3 euros o copo.
Rua do Diário de Notícias, 125. De 2.ª a 6.ª das 14h à 1h; sábado e domingo das 16h à 1h

Bairrus Bodega

Um rapaz de chapéu e chinelos chega indeciso ao balcão do Bairrus Bodega: “Queria um vinho para beber agora ao fim da tarde num dia de calor, mas não sei qual pedir.” Andreia Meireles, uma das proprietárias, dá-lhe a provar um copo de vinho verde Sottal. Andreia e a amiga Natália chegaram ao Bairro Alto há dois anos e todos achavam que eram loucas por abrir um bar que não servia cerveja ou caipirinhas. “Só temos vinhos e licores tradicionais, como o de alfarroba ou de caroço de nêspera”, conta Andreia. Mesmo sem cerveja, conseguiram conquistar o público jovem do Bairro Alto, que às sextas e sábados enche a rua de copo na mão. Sugestão: sangria tinta de espumante a 1,5 euros o copo (só há à sexta e sábado).
Rua da Barroca, 3, Lisboa. De 3.ª a 5.ª das 19h às 2h; sexta e sábado das 19h às 3h

Clara Chiado
António Clara, antigo proprietário do restaurante Clara, no Campo dos Mártires da Pátria, abriu há 8 meses um wine bar num edifício pombalino no Chiado. No rés-do-chão, o espaço funciona como loja gourmet e bar de vinhos e petiscos e no andar de cima como restaurante onde uma refeição ronda os 30 euros. A sua filha, Natália Clara, é quem gere a casa que sofreu muito na altura da erupção do vulcão islandês. “A maior parte dos frequentadores são turistas que passam aqui à porta”, explica. Os clientes podem escolher nas prateleiras o vinho que querem levar para a mesa e acompanhá-lo com ovos mexidos com morcela (5 euros) ou um prato de queijos (10 euros). Sugestão: vinho branco Sottal, a 4 euros o copo.
Largo Rafael Bordalo Pinheiro, 27, Lisboa. De 2.ª a sábado das 10h às 00h

Miradouro de S. Pedro de Alcântara

O quiosque do patamar inferior do miradouro de São Pedro de Alcântara é a prova de que a vista ajuda a valoriza um vinho. E de que maneira… Em 2009, funcionava exclusivamente como wine bar, mas tudo mudou com a chegada dos famosos cachorros quentes de Cascais. “Tivemos de nos gerir com menos marcas para termos mais espaço para vender cachorros”, justifica João Abreu, um dos gerentes. Mesmo assim, vale a pena lá passar ao fim-da-tarde para um copo de vinho depois do trabalho. Sugestão: vinho tinto Burmester, a 3 euros o copo.
Miradouro de São Pedro de Alcântara, Lisboa. De 2.ª a 5.ª, das 12h às 00h; 6.ª e sábado das 12h às 2h; domingo das 12h às 21h

Artis

tis, também conhecido como Bartis, foi desde os anos 80 um dos bares de jazz mais conhecidos do Bairro Alto. Muitos noctívagos ficaram inconsoláveis quando o bar fechou portas e reabriu com nova gerência em Dezembro do ano passado. Os instrumentos e posters na parede continuam lá, assim como a receita da famosa tosta de frango. O que mudou mesmo foi a carta. Flávio Fernandes, o gerente do novo wine bar Artis – “que continua a ter jazz” – aposta em “petiscos e vinhos portugueses, principalmente de pequenos produtores vinícolas”. A lista é extensa e um copo pode custar entre os 3,5 e os 9 euros. Sugestão: vinho tinto Quinta dos Aciprestes, a 4,90 euros o copo.
Rua do Diário de Notícias, 95, Lisboa. De 2.ª a 5.ª, das 12h às 00h; 6.ª e sábado das 12h às 2h; domingo das 12h às 21h

Chafariz do Vinho

Chafariz do Vinho fica situado num sítio improvável: dentro da Mãe d’Água, perto da Praça da Alegria. Tal como o nome indica, é um dos chafarizes obrigatórios da cidade para beber um copo de vinho (que custam de 2,5 euros para cima). Na carta há vinhos chilenos, franceses e italianos que mudam de 15 em 15 dias, ou não fosse um dos sócios o jornalista e especialista em vinhos João Paulo Martins.
Rua da Mãe d’Água à Praça da Alegria, Lisboa. De 3.ª a domingo das 18h às 22h

Com a colaboração de Samuel Alemão, da “Revista de Vinhos”»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/67727-wine-bars-seis-sitios-em-lisboa-provar-o-nectar-dos-deuses, a 5 de Julho de 2010, em Jornal I

Bons Néctares!

RT

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s