Discos Que Nos Vão Surgir Até Ao Final do Ano…de 2011…

Hoje trago um artigo que considero bastante interessante, pois versa, sobre os próximos discos a serem editados…em Portugal…

« Os discos que rodam até ao final do ano

De Setembro em diante nem tudo é mau. Esteja de olhos e ouvidos bem abertos para conhecer outros sons dos músicos de sempre, a apresentação de bandas revelação e o aniversário de grupos míticos. Este disco não toca mas vai ser música para os seus ouvidos

Em mais um regresso ao trabalho o que se quer são sonoridades fresquinhas para acompanhar o corpo cansado e ainda preguiçoso. Na rádio ou no mp3 vão ouvir-se novas vozes e ainda o retorno de grandes nomes. Há um pouco de tudo: artistas revelação lançam os álbuns de estreia, cantores míticos apresentam novos trabalhos e bandas já há muito retiradas regressam em edições nostálgicas para sacudir o pó do baú das memórias. Nacional, internacional e nacional cantado em inglês. Faça o círculo perfeito (e em harmonia) para descobrir as suas companhias para os meses que se seguem.

Nacional: em bom português e não só
Há números gordos que são difíceis de ignorar. Servem de exemplo os 40 anos de carreira de Sérgio Godinho. O cantor já pediu várias vezes que não se associe o lançamento do novo álbum ao aniversário mas é tarefa complicada. “Mútuo Consentimento”, que vai estar disponível nas lojas a partir de dia 12 de Setembro, tem vindo a ser revelado pelo autor, que já apresentou dois temas na internet. Godinho estava em pausa discográfica desde 2006, data em que lançou “Ligação Directa”, disco pai do tema “Às Vezes o Amor”. Paulo Gonzo também deve lançar um álbum cantado em português. Este será o sucessor de “By Request” do ano passado, disco em que o cantor reinterpretou temas de Ray Charles e James Brown.

“Komba” dos Buraka Som Sistema tem apresentação marcada para o Outono, os Mundo Complexo marcam dez anos de existência com uma colectânea, os Macacos do Chinês trazem o segundo disco e Valete traz o “Homo Libero”, aquele que será o duplo álbum do rapper licenciado em Economia. Quanto aos Doismileoito, quarteto da Maia com especial gosto por rock”n”roll, já lançaram nas redes sociais e na rádio “Quinta-feira” para primeiro single novo álbum, produzido por Nuno Rafael.

A ter em atenção o sangue fresco que vai correr nos próximos tempos. O trio Julie & The Carjackers apresenta-se com “The Imaginary Life of Rosemary and Me” e os Paus – constituídos por gente já experimente dos Linda Martini, dos extintos Vicious Five e dos If Lucy Fell – também lançam o primeiro longa duração, depois do EP “É Uma Água”. O escritor Jacinto Lucas Pires e o artista plástico Tomás Ferreira são Os Quais, com um primeiro álbum, e Rita Braga é a autora “Cherries That Went To The Police”. Os We Trust também extenderão o repertório depois do single “Better Not Stop”.

Na mesma linhagem independente estão novos trabalhos de Old Jerusalem, Rose Blanket, João Só e os Abandonados, oLUDO, Iconoclasts e o disco a solo do homem à frente dos Diabo na Cruz, Jorge Cruz. Prometidas estão também notícias para os que esperam algo vindo de gente como Jorge Palma, Carlos Nobre (melhor, Pacman, a solo) e B Fachada.

O que vem de lá de fora
Regressos em grande, junções explosivas e até realizadores que fazem música. Há razões mais que suficientes para ficar com os ouvidos alerta. Destaque para a estreia dos Superheavy. Como o próprio nome indica este campeonato é outro, o dos pesos pesados. O grupo que junta Mick Jagger dos Rolling Stones, Dave Stewart dos Eurythmics, Joss Stone, Damian Marley e A.R.Rahman, compositor do filme “Quem quer ser bilionário?” vai mostrar do que é capaz. Também particular é o novo trabalho de Bjork, parcialmente gravado no iPad. “Biophillia” deverá ser uma nova experiência musical, com imagens, vídeos e ainda aplicações nos aparelhos da Apple dando ao utilizador a oportunidade de fazer uma versão nova das canções, entre outras prendas inesperadas.

Em registo dito normal – mas não menos entusiasmante – estão o regresso de Tom Waits com “Bad As Me”, dos Coldplay com “Mylo Xyloto” e ainda dos Metallica que se fazem acompanhar por Lou Reed em “Lulu”. Ryan Adams, The Drums, Beirut, Florence and The Machine, dEUS, Feist e Marisa Monte também cortarão o silêncio dos últimos tempos.

Ainda David Lynch dará um ar da sua graça. O realizador que várias vezes compôs temas para os seus filmes, apresentará o álbum “Crazy Clown Time”. “Good Day Today” é o exemplo de uma electrónica ambígua mas menos negra do que os enredos na tela. Esperar para ouvir.

Regresso ao passado
Dois mil e onze é o Ano Internacional das Florestas e da Química. É também o ano de grandes efemérides. Vinte anos depois, “Nevermind”, disco épico dos Nirvana que inclui temas como “Smells Like Teen Spirit” e “Come As You Are”, ressurge com imagens ao vivo e um DVD. “Achtung Baby” dos U2 que comemora a mesma idade, chega agora em formato de filme recordando a gravação do disco em Berlim. Também na onda cinematográfica aparecem os Pearl Jam com um documentário realizado por Cameron Crowe. Os Pink Floyd terão toda a discografia remasterizada para outro saborear das músicas da banda de Cambridge. A comemorar ao dobro estão os Queen que deverão fazer completar a reedição de toda a discografia, recomeçando por “The Works” e até “Made in Heaven”. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/145893-os-discos-que-rodam-ate-ao-final-do-ano, a 30 de Agosto de 2011, em Jornal I

RT

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: