Cuidados A Ter No Regresso Das Férias…Aceite Algumas Sugestões Para Corpo, Mente e Casa…

Regresso de Férias... Fonte: http://www.ionline.pt/

Ontem foi assinalado para muitos, como sendo o regresso ao trabalho, à escola, à universidades, etc, como tal, li num diário da nossa praça algo, sobre este regresso. Decidi partilhar com os leitores o guia de regresso de férias, que foi publicado por um diário da nossa praça. Aqui vai…Aproveitem as sugestões…

« Há vida além das férias. Cuide da casa, corpo e mente

Esqueça as resoluções de ano novo. A passagem de ano não passa de uma noite de festa e de um dia seguinte de ressaca. É em Setembro que se recomeça. As aulas, o trabalho, as responsabilidades. Acaba-se o Verão e a rotina instala-se. Mas há vida além das férias e do bom tempo. Há um mundo de possibilidades a ser explorado, desde renovar a casa ou prepará-la para o Inverno, tirar cursos e workshops para que o dia-a-dia não se limite ao percurso casa-trabalho, trabalho-casa, até ao exercício físico ou relaxamento. Aproveite para fazer tudo aquilo que sempre quis. Setembro é que é

Cabeça:

“Deve encarar-se este regresso à rotina com espírito de renovação”, explica Catarina Mexia, psicóloga clínica e terapeuta familiar. “É muito importante que, principalmente os casais, individualmente ou em conjunto, cultivem interesses, que alimentam a vida do casal e o ego.” Setembro não tem de ser o mês maldito do calendário. O truque é “tirar partido” desta altura: “É preciso pensar ”ok, as férias foram boas, mas venho de um período em que tive tempo de recarregar baterias e agora é altura de pôr mãos à obra”.” Segundo Catarina Mexia, “o recomeço pós-férias pode ser um momento de tensão entre casais, porque conviveram durante muito tempo, com os miúdos sempre presentes”. Se precisar de conversar, no Green Festival está uma equipa de psicólogos pronta para isso. No Centro de Congresso do Estoril, até dia 17. E agora, respire fundo e cultive a mente.

1- Para si, que passa o dia rodeado de números, facturas, clientes, estratégias de marketing ou telefonemas atrás de telefonemas: dê largas à imaginação e liberte o artista que há em si. Pintura, desenho, cerâmica, joalharia, o que importa é criar.
Arco (arco.pt), R. de Santiago, 18, Lisboa; Next Art (next-art.net), R. da Vitória, 73, 2º, Lisboa; Arrisco – Espaço de Arte (arrisco.pt), R. Jerónimo Mendonça, 262, Porto

2- Agora imagine o final de um dia de trabalho. É sexta-feira e quer estar com os seus amigos mas não apetece sair. Fique em casa e prepare um repasto para o grupo. Ai não sabe cozinhar? Aprenda: Academia de Sabores Vaqueiro – Lisboa e Porto (vaqueiro.pt), 800200575;
Prama – vegetariano (prama.pt), R. Visconde
de Santarém, 71, 3º, Lisboa, 213523113; ABC – Escola de Artes e Tradições, (abc-escola.net),
R. Alves Redol, 292, Porto, 228331300

3- Então e aprender a fazer roupa? Ou malha. Já imaginou usar as suas próprias criações? Para não falar do terapêutico que é: enquanto dá às agulhas não pensa em mais nada. Se teve uma avó pouco didáctica no que toca aos lavores, aqui vai uma ajuda. Knit (knit.com.pt); Oficina da Roupa (oficinadaroupa77.blogspot.com), Junta de Freguesia de S. José, Calçada Moinho de Vento, 3, Lisboa; Riera Alta – Atelier Urbano (rieraalta.blogspot.com), R da Maternidade, 124, Porto, 220964702

4-Se é uma daquelas pessoas com coisas para dizer ou mostrar ao mundo, mas não sabe como, não desespere. Há cursos que ensinam a escrever tudo e outros que explicam que não é bonito cortar as pernas de alguém pelos joelhos, quando se fotografa: Movimento de Expressão Fotográfica (mef.pt), Lg. das Pimenteiras, 6A, Carnide, Lisboa; Instituto Português de Fotografia  (ipf.pt) 223326 875 (Porto); Escrever Escrever (escreverescrever.com), Pça Luís de Camões (Chiado), 36, 3º, Lisboa; Produções Fictícias (producoesficticias.pt), 213864554.

Corpo:

“Fazer exercício poderá ser uma boa forma de ganhar energia e vitalidade para enfrentar a actividade quotidiana”, diz Edgar Borja, personal trainer do Holmes Place de Alvalade. “Com as novas vertentes de depressões pós-férias, a actividade física estimula a libertação de serotonina, o que ajuda na motivação para o dia-a-dia”. E não só. “Fazer ginástica ajuda a diminuir os níveis de stress, que nesta altura – com o regresso ao trabalho e dos miúdos às aulas – podem atingir níveis altos”, avisa Edgar. E se pensa que quaisquer 30 minutos por semana são suficientes, desengane-se: “Segundo a Organização Mundial de Saúde deve-se fazer exercício, no mínimo, duas vezes por semana, num total de duas horas semanais.” E desculpas de falta de tempo também não servem: “Existem programas curtos e de intensidade progressiva que se encaixam no dia-a-dia, nos horários de cada um.”

1- Fica com lágrima no olho cada vez que vê Joaquín Cortez a dançar flamenco? Bate palmas ao som de Gipsy Kings? Os seus pés ganham vida de forma desenfreada cada vez que ouve a guitarra de Paco de Lucía? Aprenda a dançar:
Escola Flamenca, (escolaflamenca.com) 916306034 (Lisboa); Baila Pasión (bailapasion.pt) 252641385 (Póvoa de Varzim)

2- Ainda agora regressou ao trabalho e já se sente cansado? Nada que umas horas de relaxamento não resolvam. Massagens, meditação, flutuar na água. No bem estar vale tudo. Harden Spa (hardenspa.com), R. António Cândido Pinto, 40, Braga; Acqua City Spa (acqualisboa.pt), Av. D. João II, lote 1.02.2.1G, Parque das Nações; Spatitude (spatitude.com) Av. 5 de Outubro, 55 B, Lisboa; Sheraton Porto (sheratonporto.com),  R. Tenente Valadim, 146, Porto.

3- Com o Inverno vêm os chocolates, as horas no sofá ao fim-de-semana, as comidas pesadas e, porque não dizê-lo com frontalidade: o sedentarismo. Combata já as gordurinhas que estão por vir e sinta-se melhor. VivaFit (vivafit.pt); Holmes Place (holmesplace.pt); Ginásio Clube Português (gcp.pt), Pça Ginásio Clube Português, Lisboa; Ginásio de Manutenção do Porto (gmporto.com), R. Faria Guimarães, 753.

4- Nada melhor do que uma espécie de extreme makeover para recomeçar de novo. Corte o cabelo, aprenda a maquilhar-se, compre roupa nova. E peça ajuda aos profissionais.

Cabelo: Metrostudio, R. do Crucifixo, 120, Lisboa, 213474129; Anjos Urbanos, R. Passos Manuel, 223, Porto, 223390745
Roupa: Ellora – Consulta de Imagem – Largo Vitorino Damásio, 3C, lj 4, Lisboa/Av de França, 256, ed. Capitólio, lj 42, Porto (ellora.eu)
Maquilhagem: Lisboa Make up School, Av. da Liberdade, 148, Lisboa, 216069222; Sephora CC Gai Shopping, 223744593.

Casa:

“Para a maioria das pessoas mudar a decoração da casa assusta”, diz Pedro d’Orey, team manager dos decoradores da QuartoSala (quartosala.com). No entanto, não é preciso destruir paredes ou deitar fora o sofá que escolheu o ano passado para que a sua casa se torne mais confortável: “Para quem não está interessado em dar uma volta de 180 graus na casa, algumas operações cirúrgicas
podem contribuir para dar novo fôlego à casa.” São pequenas alterações fáceis e baratas de conseguir. Segundo Pedro d’Orey, “são questões sensoriais em que normalmente as pessoas não pensam”. A casa de um Homem é o seu palácio. Seja para dormir,  ver séries no sofá, dar comida às crianças entre berros e brinquedos no chão, ou, quem sabe, trabalhar, é importante que se sinta confortável e verdadeiramente em casa. O QuartoSala dá as dicas.

1- Minimalismo, precisa-se:  Livre-se da tralha. Arrume na arrecadação, ou se tiver
mais coragem, dê toda a tralha inútil que tem vindo a coleccionar e a expôr em casa e que nada acrescenta à sua decoração a não ser ruído visual.
Se os amigos não quiserem, chame os EMAÚS, eles agradecem: R. do Almada 134/138, Lisboa, 919829496; R. da Boavista 114, Porto, 222024018

2-Deixe a luz entrar: Substitua as cortinas antigas  por tecidos mais ligeiros e luminosos. Pode optar por soluções minimalistas, como painéis de tecido, ou funcionais, como estores de madeira lacados. Por outro lado, aposte na cor e movimento e troque as almofadas do sofá por outras com cores. Aposte nos tecidos com motivos dos anos 50 para um ar retro.
Area (areastore.com); QuartoSala 214411110

3- Ar Puro: Mande limpar os sofás, os tapetes e as  cortinas. Mesmo que não tenha nódoas gritantes, o facto de limpar altera o cheiro da casa. Os tecidos e os tapetes têm tendência a adquirir cheiros que têm a ver com a transpiração e no caso dos tapetes com a sujidade dos sapatos. Mastercare: 914046877; Nós Limpamos (noslimpamos.com) 963947992; Protecleaning (protecleaning.com) 219211637

4-Novos Cenários: Mude a iluminação. Está na hora de encostar aquele candeeiro que transmite uma luz pouco acolhedora ao seu ambiente. Crie cenários de luz inspiradores. Peça a ajuda de profissionais. Faça das suas paredes uma fonte de inspiração. Cubra uma das paredes da sua sala com uma tela impressa com uma imagem em grande formato. Personalize.
Gillamp (gillamp.pt); Megarim (megarim.pt) 21843450; Exporlux (exporlux.pt) 234639230 »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/78041-ha-vida-alem-das-ferias-cuide-da-casa-corpo-e-mente, a 13 de Setembro de 2010, em Jornal I

Aproveite as dicas…

RT

Anúncios

Festejos em Honra a S. Pedro.. Veja os Detalhes dos Mesmos na Cidade de Vila Nova de Gaia e Póvoa de Varzim…

São Pedro Fonte: http://meninaboneca.zip.net

Hoje trago uma óptima sugestão para este fim-de-semana, passado os festejos do Santo António, do São João, chega a hora de se festejar já este fim de semana o São Pedro, vou transcrever uma reportagem que saiu no dia de ontem em um diário da nossa praça, sobre os festejos do são Pedro, mas não vou comentar a mesma, em virtude de se tratar de uma publi reportagem.

« Depois do Santo António e S. João… chegou o S. Pedro

Continuam as festas populares, com um programa que vai dos concursos de karaoke aos torneios de futebol. Tudo com bairrismo.

O Porto ainda mal teve tempo para recuperar da folia do S. João e à sua volta já se deu início a outras celebrações. Na Freguesia de S. Pedro da Afurada, em Vila Nova de Gaia, arranca hoje o primeiro fim-de-semana das festas em honra de S. Pedro.

Esta sexta-feira tem como ponto alto uma noite de fados, pelas 22h. Amanhã haverá noite de karaoke com a presença de do DJ Zé Tomix. Domingo é dia de festival folclórico a partir das 15h, com a participação do Rancho Folclórico da Afurada, Grupo de Folclore da Cela (Alcobaça), Grupo Folclórico da Madalena (Gaia), Rancho Danças e Cantares da Lapa (Póvoa do Varzim) e do Grupo de Danzas e Cantares (Espanha).

Como explicou ao i o presidente da Junta de S. Pedro da Afurada, Eduardo Matos, tratam-se de festas “fundamentalmente religiosas”, pelo que um dos destaques da edição deste ano será a “missa campal” e a procissão com o andor que sairá da Igreja de Santa Marinha (Gaia) e seguirá por via marítima até à Afurada. “Vamos recriar as primeiras festas de S. Pedro, a primeira procissão de 1918”, refere Eduardo Matos.

Além do tradicional fogo-de-artifício, as festas incluem ainda as participações musicais de nomes como Tony Carreira e Quim Barreiros. “Certamente que não encontrará umas freguesia com cinco mil habitantes com nomes musicais como Tony Carreira e, a nível religioso, temos a melhor procissão que já vi”, comenta o presidente.

A primeira jornada das Festas de S. Pedro da Póvoa de Varzim inicia-se hoje, pelas 15h, com a iniciativa “S. Pedrinho e a Pequenada”, que conta com a participação dos jardins-de-infância do concelho, no auditório da lota. Às 22h é exibido no Diana Bar o documentário “O Casamento de Eça de Queiroz”, realizado por Luís Costa Ribeiro. No sábado, às 18h, é inaugurada a exposição de Júlio Resende no Museu Municipal de Etnografia e História. Domingo haverá jogo de futebol, pelas 17h30, entre a Câmara Municipal e as juntas de freguesia. Para as 22h está marcada a inauguração dos tronos de Regufe, Belém,

Mariadeira, Sul, Matriz e Norte. O programa geral das festas de S. Pedro da Póvoa de Varzim inclui a missa, procissão e uma noitada de S. Pedro com animação, sardinhas e vinho nas ruas da cidade até ao amanhecer.

As Festas de S. Pedro realizam-se na Póvoa de Varzim desde 1962. No Arquivo Municipal estará patente uma exposição de cartazes, programas e documentos até ao final das Festas.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/66240-depois-do-santo-antonio-e-s-joao-chegou-o-s-pedro, a 25 de Junho de 2010, em Jornal I

Bons Festejos!

RT

Portagens na A28…Câmaras Municipais e Comunidades Unidas na Manutenção da A28 Como SCUT

Zona da Póvoa de Varzim - A28 Fonte: http://www.povoa2010.blogspot.com

Hoje trago um assunto polémico e que tem causado algum desconforto no seio da comunidade nortenha, especialmente a do litoral norte, trata-se das portagens nas SCUT, passo a transcrever a notícia e faço um breve comentário sobre o assunto.

« Câmaras do Litoral Norte unidas para impedir portagens na A28

Os municípios de Viana do Castelo, Esposende, Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Matosinhos solicitaram uma reunião ao ministro das Obras Públicas para tentarem travar a introdução de portagens na SCUT Norte Litoral.

O anúncio, hoje feito, em conferência de imprensa, pelo presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, refere ainda que aqueles cinco municípios decidiram constituir a chamada “Plataforma do Entendimento”, expressamente para “encetar o diálogo” com o Governo sobre as portagens.

Em causa está a A-28, entre Viana do Castelo e o Porto, que funciona em regime SCUT (sem custos para o utilizador) mas que o Governo já anunciou que pretende portajar, tendo já instalado, naquela via rápida, pórticos para o pagamento.

A plataforma pretende apresentar ao ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações as razões defendidas pelas cinco autarquias para a não introdução de portagens, uma medida que – sustenta – “afectaria gravemente a economia dos concelhos envolvidos, sobretudo num momento de elevada dificuldade que os cidadãos e empresas atravessam”.

Segundo José Maria Costa, uma das razões é a “manifesta falta de alternativa” à A-28, já que a EN-13 está cheia de constrangimentos, desde rotundas a semáforos, além de que há certos troços que não permitem a circulação de pesados, como a ponte de Fão, em Esposende.

“No Algarve, na Via do Infante, não há portagens, tendo a alternativa, a EN-125, melhores condições que a EN-13”, salientou o autarca de Viana do Castelo, exigindo a aplicação “do princípio da coesão nacional do território”.

Além disso, os cinco municípios querem “lembrar” que a região apresenta índices de desenvolvimento inferiores à média nacional.

“O distrito de Viana do Castelo, apesar de ser do litoral, apresenta índices de desenvolvimento idênticos aos do interior”, sublinhou José Maria Costa.

Para a reunião com o ministro, os autarcas dos cinco municípios prometem levar o excerto do programa do actual Governo que refere que “quanto às SCUT, deverão permanecer como vias sem portagem, enquanto se mantiverem as duas condições que justificaram, em nome da coesão nacional do território, a sua implementação: localizarem-se em regiões cujos indicadores sejam inferiores à média nacional e não existirem alternativas de oferta do sistema rodoviário”.

De acordo com o presidente da Câmara de Viana do Castelo, os autarcas querem confirmar, junto do Governo, se este princípio “vai ser aplicado aos municípios que são servidos pela A-28”.

“O nosso primeiro passo será o contacto directo com quem vai ter nas mãos a decisão. Sem este encontro, estão de fora outras abordagens”, sustentou José Maria Costa, sem, no entanto, fechar a porta a outras medidas na luta contra as portagens.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/34326-camaras-do-litoral-norte-unidas-impedir-portagens-na-a28, a 23 de Novembro de 2009, no Jornal I

O meu comentário:

Sobre este assunto, já muita tinta correu, e pelos vistos muita mais vai correr, isto porque a opinião não é consensual.

As populações que estão afectadas pela A28, estão contra a implementação das portagens, mais pelo transtorno e pela falta de soluções para a circulação, que propriamente pelo custo inerente à circulação das pessoas.

Os governantes, são saberem o tráfego que circula na referida artéria, já vêm a possibilidade de colocar portagens para assim equiparar com Lisboa, onde paga-se para entrar na cidade, e da mesma forma, poderem sustentar  grandes obras nacionais, não quero dizer que são só os do norte que vão pagar, mas se avançarem com as portagens nas SCUT, nomeadamente na A28, os do norte vão pagar mais que os restantes.

O problema cifra-se mais uma vez, na destruição da EN13, em alguns trajectos que deram lugar à actual A28, e fazendo com que a EN13 passa-se para os municípios em muitos casos, desfigurando essa mesma EN para artéria municipal.

Não existem soluções para a circulação na beira litoral, o governo se optar por portajar a A28, tem que dar alternativas viáveis de circulação, de modo, a que quem viaja de Viana do Castelo para o Porto, não demore o mesmo que Porto a Lisboa, 3 horas.. Caso aconteça, penso que quem perde é o país, pois sabemos que o porto de Leixões é usado para interface de entrada de mercadorias e saída das mesmas, oriundas de todo o norte, sabemos que cadeias turísticas e hoteleiras cifradas em Vigo, vêm várias vezes por semana ao aeroporto de Francisco Sá Carneiro buscar pessoas, de voos provenientes de locais longínquos, etc.

Basicamente, penso que a perda para a economia será maior, que o ganho para a mesma, de tal forma que, se colocar portagens, as pessoas tendencialmente vão circular pelas estradas municipais, o que vai causar índices elevados de poluição, devido ao trânsito, podendo mesmo, causar acidentes de cariz urbano, o que obviamente reduz a qualidade de vida das pessoas.

Outro problema, que se levanta, é a questão dos pórticos colocados, não preverem questões como por exemplo, os automóveis estrangeiros pagam, ou como se fará, o controlo de automóveis alugados ou mesmo emprestados.

A ideia de cercar o Porto com Portagens, isto existe em outras SCUT, deve ter como ideia focada reduzir a competitividade da região a todos os níveis, pois para se chegar a uma infra estrutura, como um Porto, um Aeroporto, brevemente as pessoas vão ter que pagar portagem, o mesmo sucede com um turista que saia do aeroporto, alugue um automóvel, ao entrar na cidade (para consumir, para conhecer a cidade no âmbito do turismo) já estará a pagar, o que penso que é no mínimo ridículo, e como tal deixa de ser uma região atractiva a todos os níveis.

Um exemplo, tenho reparado que numa grande superfície comercial de artigos de mobiliário e de coração, existente em Matosinhos, a que visito algumas vezes, apresenta um índice elevado de pessoas oriundas de Espanha para realizar compras, pois bem, 100% delas, deve usar para chegar ao referido local a A28, essas pessoas, vem muitas vezes por lazer, penso que com a implementação das referidas portagens se vá perder estes turistas que até à poucos anos não vinham cá, por não terem pólos de interesse, agora criamos pólos de interesse, mas cobramos nas entradas..Depois queremos dizer que somos competitivos, e que estamos inseridos na globalidade europeia.

Deixo a Questão: Que Pensa de se colocar Portagens na A28?

Tenho Dito

RT