200 Entrevistas de Emprego Com Recusa Culminam em Suicidio…

Jovem Suicida-se ao Fim de 200 Entrevistas de Emprego...

Hoje trago uma notícia muito triste, vou transcrever a referida notícia, e vou efectuar um pequeno comentário à mesma.

«Jovem suicida-se após 200 entrevistas de emprego mal sucedidas

Vicky Harrison suicidou-se aos 21 anos depois de ser recusada em mais de 200 entrevistas de trabalho. A jovem britânica morreu devido à toma de muitos comprimidos depois de procurar emprego ao longo de dois anos

A jovem deixou apenas uma nota dizendo que não queria continuar a viver sendo como era. Porém, segundo o namorado Nathan, que ainda não acredita que a jovem desapareceu, «Vicky era uma rapariga que sobressaía, divertida e bonita».

A mãe da jovem, Louise, de 43 anos, afirma que Vicky era «uma menina brilhante e inteligente, mas que se deixou deprimir ao não encontrar emprego. Estar parada tanto tempo era para ela humilhante e não aguentava mais».

Na carta que deixou, apenas lançou um apelo aos pais: «Por favor, não fiquem tristes. Não é vossa culpa. Quero que todo o mundo seja feliz».

SOL com agências »

In: http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=170470, a 25 de Abril de 2010, em Jornal Sol.

O meu comentário:

Este caso entristece-me, pois penso que ninguém merece ser tratado como um mero numero, ou mesmo objectivo, coisa que aliás muitas organizações dos nossos dias, tem por hábito de realizar, esquecem que as pessoas são humanas e não são máquinas.

Em Portugal, ou penso que registado, nunca aconteceu algo semelhante, mas pelo andamento das nossas condições de vida, qualquer dia, vamos ter casos deste, pois a juventude, está a ser marginalizada e relegada para segundo plano, em virtude de ter estudado, de se ter licenciado.

Acreditamos que durante alguns anos, a juventude foi relegada para segundo plano, em virtude das condições económicas se terem degradado, no entanto, o que assistimos actualmente, é sim, a um desprezo pelos estudos dos jovens, e não aposta nos mesmos, o que vão gerar problemas sociais mais caóticos que os até agora aconteceram, isto se, nada for feito para dar novo animo e novo pulso, a uma geração que se esforçou, e que só quer ter direito a poder viver, direito a poder ser feliz.

Servindo de exemplo, o caso desta jovem do Reino Unido, podemos analisar que a situação é um acto de desespero, e que devemos ter em conta que, com as recusas sucessivas, as pessoas vão se abatendo, e perdendo a vontade de continuar, e culminam com um desespero, que inicialmente se sentem inúteis e posteriormente «ficam» mesmo inúteis, e tem forte tendência para situações adversas, como foi o caso desta jovem, que se suicidou.

Eu apelo mais uma vez, a todos os responsáveis, entre eles os governos, empresários, organizações, etc, que podem influir de forma directa nesta mesma situação, de tornearem e contratarem pessoas jovens e com qualificação superior, de forma a poder dar oportunidade à juventude, que ao mandar as pessoas para a reforma, que as substituam por pessoas mais novas e licenciadas.

Penso que os licenciados, merecem uma oportunidade, especialmente os mais perto dos anos 80, pois são pessoas que muitas vezes, ainda não tiveram oportunidade de mostrar o que valem, e que estão ansiosos por o fazer, ressalvando, que muitos deles, querem começar a vida com o seu par, e anseiam por ter filhos, e dar netos aos país, no entanto, o emprego precário, as recusas de emprego, e o desprezo por todos valores, está a destruir a geração dos anos 80.

Deixo mais uma vez o apelo, APOSTEM NOS JOVENS LICENCIADOS…

Tenho Dito

RT

O Hotel Menos Reputado do Mundo…Não é Em Portugal…Espreitem e Fiquem a Saber Onde é…

O Pior Hotel do Mundo.... Fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt

No decorrer do dia de ontem, trouxe um dos melhores hotéis do mundo, e que está em pleno coração do nosso Alentejo. Hoje trago os piores hotéis existentes na Europa, e nisto, podemos ficar descansados que para já, estão no Reino Unido, passo a transcrever a notícia mas não vou tecer nenhum comentário à mesma.

« O pior hotel da Europa

Sujo e imundo classificam Grosvenor. Oito em 10 dos piores hotéis europeus ficam no Reino Unio

O hotel Grosvenor fica perto da torre de Blackpool, em Lancashire, no Reino Unido, mas as más notícias para os hóspedes é que não é possível ver a atracção turística da cidade porque as janelas estão demasiado sujas.

Segundo o «Daily Mail», que se baseia nas votações online do TripAdvisor, dez hotéis figuram na lista dos piores da Europa, encabeçada pelo Grosvenor, em Blackpool, no Reino Unido, seguido de Villaggio Club Porto, em Budoni, Itália, e o Hotel do Park, em Londres.

Os utilizadores do TripAdvisor queixam-se dos quartos mal cheirosos, dos lençóis com manchas, das paredes com humidade e das camas que se assemelham a bancos de jardim.
Os comentários publicados no TripAdivsor vêm acompanhados por fotografias de louças de casas de banho partidas, tectos imundos e tomadas eléctricas sem conserto.

Mas o Grosvenor, que cobra 25 libras por pessoa, não é o único hotel no Reino Unido a precisar de uma reforma: desta lista dos piores da Europa figura 8 hotéis britânicos.

Dos 33 clientes que fizeram a avaliação do hotel de 2 estrelas, 28 admitiram ter passado uma estadia «terrível».

Um dos hóspedes do hotel escreveu: «Quando abri a porta, fui recebido por paredes com humidade, tecto com bolor, azulejos a cair na casa de banho, buracos nas tomadas eléctricas e o cabo da televisão pendurado».

Nesta lista, constam ainda, em quarto lugar, o Boston Court, em Londres; em quinto, o Cromwell Crown, também na capital britânica; seguido do hotel Dam, em Amesterdão, Holanda. Os 7º, 8º e 9º lugar da lista de piores hotéis são também em Londres e a 10 posição cabe ao hotel Minster, em York. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/dinheiro/reino-unido-hotel-hoteis-viagens-ferias-tripadvisor/1134064-3851.html, a 25 de Janeiro de 2010, em Agência Financeira

Nem Tudo é Mau em Portugal…

RT

A Publicidade Tem Nova Paixão- A Internet….

Publicidade na Internet, Algo em Crescimento     Fonte:www.cedezinho4.blogs.sapo.pt

Publicidade na Internet, Algo em Crescimento Fonte:www.cedezinho4.blogs.sapo.pt

Hoje o tema é sobre mudança de canal de comunicação, da televisão para a internet, passo a transcrever a noticia e seguida faço o meu comentário:

« Publicidade online ultrapassa televisão pela primeira vez

Reino Unido é a primeira grande economia mundial a atingir marco histórico para os mediaA publicidade na Internet superou pela primeira vez a televisão, ultrapassando os 1,92 milhões de euros em seis meses. A conclusão é de um estudo que aponta o Reino Unido como uma grande economia que atingiu este marco histórico nos media, com a publicidade especificamente pensada para a Internet a subir 4,6%.

Nos primeiros seis meses deste ano, avança a agência Reuters, a Internet foi o destino escolhido para quase um quarto (23,5%) dos anúncios britânicos. Com uma despesa equivalente a 1,8 mil milhões de euros, a televisão ficou para trás, respondendo por 21,9% do total gasto em publicidade no país, uma queda de 17% na comparação com o ano passado.

Segundo o estudo da Internet Advertising Bureau (IAB), os meios impressos receberam 18,5% do total gasto em publicidade, enquanto o correio electrónico ficou com uma fatia de 11,5%. No geral, houve uma queda de 16% nas despesas com anúncios, em parte devido à crise mundial.

Segundo o IAB, do total gasto com publicidade online, 1,15 bilhões de euros, ou 60%, foi gasto em motores de busca incluindo o Google.

Foi preciso um pouco mais do que um ano para que a Internet tenha conseguido destronar a televisão, que durante meio século liderou no Reino Unido. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=1092835&div_id=1730, a 1 de Outubro de 2009, em agência Financeira

O meu comentário:

Pois bem, parece que no final da primeira década de 2000, estamos assistir à viragem da publicidade, para a terceira grande tecnologia de massa, a tão conhecida e denominada de Internet.

Antigamente a publicidade, era muito usada, na telefonia, vulgarmente conhecida como rádio, era por este canal que se obtinha a publicidade, pois as pessoas passavam muito tempo a ouvir a telefonia, sendo que até existiam novelas da rádio; o canal que anos depois conquistou as pessoas, foi a televisão, essa foi denominada de caixa mágica que viria a revolucionar o mundo, famílias inteiras à volta da televisão, e foi ai que se devolveu muito a publicidade, pois a utilização do vídeo, com recurso a som, deu para dar novas opções, e dar mais emoção à publicidade, primeiro a preto e branco, anos mais tarde já a cores e com efeitos cada vez melhores, devido à entrada em cena da informática.

Actualmente, penso que as gerações mais novas, passam mais horas a navegar na Internet, qualquer coisa que necessitem tem como recurso principal de procura a Internet.

Perante esta, mudança sociológica das pessoas, e que recorrem à Internet para tudo, desde o banco, seguros, noticias, etc, era de se esperar que a publicidade, começasse a ser mais direccionada para a internet, mas o caso não é novo, uma das formas de as pessoas possuírem Internet sem assinatura, no final dos anos 90, em Portugal, foi devido somente à publicidade.

Pois, repare-se, elaboraram-se portais, como o Clix, Sapo, Teleweb, Oni, Telecel, etc, onde estas empresas, basicamente compravam 2 MB de banda, por célula e deixavam as pessoas se ligar a esta banda, pagando somente na altura à Portugal Telecom o preço de uma chamada local, o preço da Internet para o utilizador era gratuito, mas para a empresa do portal, era sustentado com recurso à publicidade no referido portal. A partir daqui, quanto mais clientes ou pessoas, acedessem ao portal, maior era a possibilidade de as mesmas verem a publicidade e de comprarem o produto X ou o serviço Y, como em horas de ponta, os 2M, para muita gente eram escassos, a internet era lenta, o que poderia dar a noção que muita gente passava muitos minutos no portal, e como tal via a publicidade, e que seria propensa a adquirir o produto X ou serviço Y.

Esta mudança de hábitos, vem globalizar a publicidade, os produtos, os serviços e as organizações, pois como a Internet é Global, tudo que lá está, pode ser consultado, acedido em qualquer parte do mundo, hoje em dia, a publicidade é algo que ainda dá muita margem de lucro, e então na Internet pode ser tomada como global, e naturalmente surgir o termo de Clientes Globais, onde o cliente pode estar em qualquer parte do mundo.

O mesmo, se pode dizer, em empresa que hoje em dia não esteja na Internet, não se apresente, não demonstre o que faz, ou as soluções que tem para oferecer ao mercado, a referida empresa, não existe.

Por exemplo, uma empresa com 100 funcionários e que fabrica portas, tem publicidade local, tem clientes fixos, mas não tem website, nem correio electrónico, no entanto, outra numa garagem, que fabrica portas, com apenas 5 ou 6 funcionários, tem website, e correio electrónico, mais facilmente consegue vender, do que a primeira, pois estar na Internet, é o primeiro passo para o mercado tomar conhecimento que aquela empresa existe e tem a solução para determinados problemas.

Para concluir, devemos ter em atenção, que a publicidade é um bom instrumento do Marketing, escolher os canais de comunicação é fulcral para uma boa publicidade, no entanto, se temos mais pessoas on line e com crescimentos diários face as que assistem a televisão, não resta margem para duvidas, que a Internet superou a televisão, e como tal, tem maior taxa de publicidade que a televisão.

O estudo refere ao Reino Unido, sendo este um país conservador, digamos que podemos começar por extrapolar por essa Europa fora.

Deixo a Questão: Colocaria Publicidade ao Seu Negócio na Internet?

Tenho Dito

RT

Juventude à Rasca…Tal Como Acontece em Portugal, no Reino Unido a Regra é a Mesma…Desprezo aos Jovens…

Reino Unido

Reino Unido

A notícia que trago hoje, é a repetição de um problema que já referenciei aqui, mas este pelos vistos também acontece em outros países desenvolvidos, passo a transcrever a notícia seguida da minha análise:

« Desemprego juvenil pode originar «geração perdida»

Número de jovens sem trabalho atinge valor mais elevado em 15 anos

O aumento do desemprego entre os jovens britânicos para níveis nunca registados nos últimos catorze anos ameaça deixar o Reino Unido com uma nova «geração perdida», escreve o «El País».

Segundo os últimos números divulgados, esta quarta-feira, classificados pelos analistas como «horríveis», a crise de emprego no país fez disparar o número de jovens com menos de 24 anos sem trabalho, alcançando um valor superior a um milhão: no total, no fim do segundo trimestre, o número chega aos 2,4 milhões e faz subir a taxa de desemprego para 7,8 por cento, um valor não registado desde 1995.

Com um em cada seis jovens no desemprego, os analistas e os sindicatos manifestaram a sua preocupação quanto ao desânimo sentido por milhares de estudantes que acabam os cursos e não conseguem encontrar trabalho. Um factor, advertem, que poderá minar ainda mais o escasso entusiasmo que os estudos superiores despertam entre a juventude britânica, que regista uma das mais elevadas taxas de abandono escolar na Europa.

De acordo com secretário-geral do Congresso de Sindicatos, Brendan Barber, «o Governo deveria fazer muito mais para recuperar o emprego, porque, de outra maneira, corre-se o risco de perder outra geração de jovens com o desemprego». »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=1081719&div_id=1730, a 12 de Agosto de 2009, em Agência Financeira

A minha análise:

Relativamente a esta notícia, tenho a mencionar que é triste que as pessoas estejam a menosprezar as novas gerações a nível de emprego, mesmo lá fora em que teoricamente estariam mais abertos a colocarem menos entraves à juventude no acesso à empregabilidade.

Penso que é geral demonstrar uma antipatia pelos jovens, especialmente no que concerne a emprego, pelos vistos a coisa é geral dos países desenvolvidos, ou seja, não vale a pena se qualificar pessoas, ou mesmo gastar recursos em tal, pois não há possibilidade de estes terem um emprego, ou mesmo fazerem carreira, pois as empresas não apostam, ou não podem apostar, por não conseguirem ampliar os seus negócios, de modo, a colocarem mais pessoas a trabalhar.

Outro problema, para não se empregar jovens é a da progressão, de pessoas internamente, e de não abrir mais vagas para colocar pessoas nos locais iniciais. Ainda há pouco tempo, registei um caso, em que não queriam colocar pessoas nos lugares de onde saíram outras, no regime de progressão, este exemplo, é real, e é do sector público português.

A noticia menciona, que se está em risco de se perder mais uma geração, é pena que não aprendam com os erros, e repitam, no caso aplicado a Portugal, a geração de 80, está perdida, e pelos vistos a de 90 vai caminhar no mesmo sentido, pois temos, como moral repetir tudo o que vemos a ser aplicado lá fora, os bons e os maus procedimentos.

Como tal, é com muita pena minha que vejo que se despreza a juventude em todos os níveis, as pessoas não conseguem ter a percepção que as gerações só terão continuidade se investir nas pessoas, a segurança social não terá consistência se não entrarem jovens para os empregos e não conseguirem fazer carreira, pois a consistência da carreira faz despoletar coisas como investimento privado, consumo privado, etc.

Volto a relembrar, que o investimento em jovens, é o melhor investimento que se pode fazer, pelo menos no que concerne a longo prazo, pois desta forma a cultura organizacional não passa e tem tendência para se perder, semelhante é a rotatividade das pessoas.

Vão se perder jovens, vão se perder oportunidades de poder ter estas pessoas como proactivas, investidoras, pessoas normais, pena é que se muitas não tiverem a sua chance na vida, podem seguir por caminhos alternativos, e mesmo à margem da lei, e que não são benéficos para uma sociedade, que tendencialmente deve ter valores.

A minha opinião, é que situações como as apresentadas nas notícias, apresentem problemas nefastos às sociedades dos países mais desenvolvidos, fazendo com que as pessoas não invistam em educação, por não ser benéfico, pois é perder recursos, essencialmente tempo e dinheiro, que pode ser usado, em outros projectos.

Penso que os governos devem, estar bem atentos a este flagelo, e que tenham a noção que se investirem nestas pessoas, as mesmas não vão caminhar em marginalidades e irão, desta forma, fazer com que se poupe recursos, e que se tenha uma nação mais estável e culta, e com altos padrões educacionais e de responsabilidade.

Volto a frisar, e para terminar, a aposta na juventude, é algo que se tem muito a ganhar no médio-longo prazo, e que beneficia todos os níveis da sociedade.

Deixo a questão: Que pensa desta não aposta na Juventude?

Tenho Dito

RT