Passagens de Ano a Menos de 500€… Conheça Onde…

Passagem de Ano por Menos de 500€ Fonte: http://www.ionline.pt

O artigo que trago hoje versa, sobre a possibilidade de se viajar por menos de 500€, passo a transcrever o referido artigo.

« Viajar com menos de 500 euros

A passagem de ano pode ser uma valente chatice, uma real rambóia ou uma noite romântica. Só depende de si. Não comece já a desesperar e a insultar todos os amigos que ainda não sabem o que vão fazer na noite de 31 para 1. Não vão ser eles a sua salvação: somos nós. Escolhemos dez viagens para passar o ano lá fora e cá dentro, sem ultrapassar os 500 euros (por pessoa, claro). Escolha a sua e apresse–se. As vagas não duram para sempre

Madeira. A pirotecnia mais popular de Portugal (236€)

A Madeira tem fama de ter o melhor fogo-de-artifício de Portugal. Se quer passar o ano a olhar para o céu, esta pode ser uma boa opção. Lembre-se que os hotéis costumam encher nesta altura do ano – mais de 75% já têm as reservas preenchidas e por isso é melhor apressar-se. O ponto alto da primeira noite do ano são os oito minutos de fogo-de-artifício, disparados de 40 postos espalhados pelo mar. Se não estiver de ressaca, passeie pelas levadas no dia seguinte.

+ Info: www.topatlantico.pt

Tunísia. Uma semana com sol e dromedários (484€)

Por menos de 500 euros é talvez o destino mais quente onde conseguirá passar férias durante sete dias. Mas não esteja a contar com temperaturas estonteantes nem tenha grandes expectativas de ficar muito bronzeado (a temperatura máxima nesta época na estância turística de Monastir ronda os 20 graus). Se não se quiser preocupar com nada vá para um resort, basta mostrar a pulseira que terá no pulso e pode comer e beber à vontade.

+ Info: www.almeidaviagens.com

Pousadas de Portugal. Escolha uma e retire-se (270€)

Em Sagres, Vila Viçosa, Belmonte, Beja ou no Porto, basta escolher uma pousada à medida do que quer fazer na passagem de ano e preparar as malas. Os programas a partir de 270 euros incluem alojamento em quarto duplo, pequeno-almoço buffet e outros mimos como jantar de fim de ano e champanhe à meia-noite. Se prefere umas férias perto da praia, opte por Sagres e dê o último mergulho do ano. Escolha o Porto se quer uma noite mais animada.

+ Info: www.taguseasy.pt

Londres. As doze badaladas do Big Ben (327€)

Agasalhe-se bem e passe o ano a ouvir as doze badaladas do Big Ben. Os ingleses gostam de festejar a última noite do ano como se fosse a última na Terra e os milhares de garrafas de champanhe e cerveja que se vão acumular nas ruas de Londres são a prova disso. Conte com uma noite caótica, mas divertida e lembre-se que as festas nas discotecas da cidade saem caras. Durante o dia, aproveite para ver museus e fazer compras, com sorte já apanha os saldos.

+ Info: www.besttravel.pt

Isla Mágica. Passar o ano com os miúdos (308€)

Vamos ser realistas: por menos de 500 euros dificilmente conseguiria passar o ano com os miúdos na Disneyland de Paris, mas há outras soluções. Sevilha, por exemplo, e o parque temático Isla Mágica. O programa de três noites inclui alojamento num hotel de cinco estrelas, jantar com gala de fim de ano, bar aberto (os miúdos podem dispensar esta parte) e um dia completo na Isla Mágica, com montanhas russas para todos os gostos e tamanhos.

+ Info: www.taguseasy.pt

Açores. Porque a passagem de ano também pede verde (399€)

Nos Açores há bosques que parecem saídos de um conto de fadas. Há vaquinhas e hortênsias azuis e lagoas verdes. É um paraíso, na verdade. Se quiser passar o ano rodeado de natureza, daquela mesmo bonita que só se vê nos postais que os primos da Suíça enviam, então os Açores são para si. O preço inclui quatro noites no Hotel Canadiano, de três estrelas, voo e taxas. Só não inclui o jantar de fim de ano. É melhor marcar antes.
+ Info: www.abreu.pt

Dubrovnik. Romantismo q.b. e festas a noite toda (419€)

Passar o ano novo em Dubrovnik, na Croácia, tem várias vantagens: entra em 2011 uma hora mais cedo, vai ver um espectáculo de fogo-de-artifício impressionante e terá a oportunidade de visitar esta cidade fundada no séc. VII numa altura em que está toda iluminada. O forte de Dubrovnik é decorado para a ocasião. O programa da agência de viagem inclui voo e estadia no Hotel Tirena, de três estrelas, a seis quilómetros do centro histórico.
+ Info: www.netviagens.sapo.pt

Roma. Gelati, pasta e ano novo com quilos a mais (323€)

Pense bem: entrar o ano a comer bem, não soa nada mal, pois não? Pois. E em Itália, já se sabe que a comida é boa. Por 323€ tem direito a quatro noites num hotel de três estrelas, voo incluído, com partida de Lisboa. É tempo suficiente para visitar a Piazza di Spagna, atirar uma moeda na Fontana di Trevi (para ter a certeza que volta), dar um salto ao Vaticano para ver a Capela Sistina e, mesmo com frio, comer gelati de todos os sabores e mais alguns.
+ Info: www.besttravel.pt

Paris. Entrar no ano a beber vinho e a comer croissants (470€)

Ah, Paris! Passar o ano de mãos dadas junto ao Sena, namorar num bateau mouche, comer croissants num qualquer café numa qualquer esquina (em Paris são mais bonitas), beber vinho num restaurant e subir ao cimo da Tour Eiffel e toda uma série de clichés que em Paris são obrigatórios. Com partidas de Lisboa ou Porto, o preço inclui três noites no hotel Pavillion Republique les Halles, avião e taxas. Ah, Paris! Está à espera de quê?
+ Info: www.abreu.pt

Andorra. Ano novo bronzeado do pescoço para cima (411€)

Não é só o facto de poder esquiar ou fazer snowboard. Nem o facto de Andorra ser quase aqui ao lado (quaisquer treze horas de carro o deixam lá). Nem sequer o bronzeado esquisito (cuidado com os escaldões) que ganhará. São também as compras mais baratas que poderá fazer. Este preço inclui cinco noites num apartamento T1 Magic Canillo, de quatro estrelas. Entre em 2011 de esquis nos pés, gorro na cabeça e óculos de neve.
+ Info: www.almeidaviagens.com »

 

In: http://www.ionline.pt/conteudo/93489-viajar-com-menos-500-euros, a 15 de Dezembro de 2010, em Jornal I

Boas Férias

RT

Anúncios

O Hotel Mais Querido Pelos Artistas Vai Ser Vendido…

Hotel Mais Conhecido Pelos Artistas Fonte: http://www.ionline.pt

Hoje trago uma notícia sobre curiosidade sobre um hotel, passo a transcrever a referida peça jornalística.

« Chelsea, o hotel mais desejado pelos artistas vai ser vendido

A casa de todos os artistas e escritores, em Nova Iorque, está no mercado. Construído em 1883, foi imortalizado em canções e filmes

Que hotel no mundo se pode orgulhar de ter acolhido quase todos os artistas, músicos, pensadores, actores e escritores mais conhecidos da história? Que hotel tem mais músicas a si dedicadas do que uma musa inspiradora, curvilínea e de pestanas compridas?

A resposta é só uma: Hotel Chelsea. Chelsea Hotel, para os amigos. Arthur Miller viveu ali, com Marilyn Monroe. E Bob Dylan escreveu canções nos quartos de Chelsea, tal como Leonard Cohen. Construído em 1883, é um dos ícones de Nova Iorque e foi, até 1899, o edifício mais alto da cidade, com doze andares. O Hotel Chelsea nasceu como a primeira cooperativa privada de apartamentos da cidade, tendo-se transformado em hotel em 1905, mantendo, no entanto, a lógica dos apartamentos para arrendar. Hoje conta com 125 quartos e 101 unidades residenciais.

Desde 1946 que o hotel está nas mãos de três famílias que agora decidiram vender o edifício. “Está na altura de deixar que um novo proprietário com, talvez, algumas ideias e recursos inovadores, revitalize e dê uma nova energia ao Chelsea”, referiu em comunicado Paul Brounstein, um dos proprietários do hotel.

“Adoro este sítio, mais do que qualquer outra coisa, mas faz sentido. Olhamos em volta e o quê? Este é o único sítio do mundo que não muda? Isso não faz sentido. Claro que tem de mudar”, referiu David Linter, um dos moradores do Hotel Chelsea, ao canal NY1.

No comunicado, os proprietários acrescentam ainda que “irão sentir falta do espírito do edifício, bem como dos moradores”. “Mas sabemos que o Chelsea vai ser sempre uma referência e local de passagem obrigatória para as grandes mentes criativas do passado, presente e futuro”, referem.

Quanto ao futuro dos moradores, é uma questão ainda envolta em dúvida. A carta que receberam por parte dos proprietários não explica o que poderá acontecer.

Uma portuguesa em Chelsea

Rita Barros é fotógrafa, mudou-se para Nova Iorque em 1980 e desde 83 que vive no Hotel Chelsea. É autora do livro “Quinze Anos: Chelsea Hotel”, publicado em 1999.

Rita foi apanhada de surpresa pela carta dos proprietários: “As razões invocadas são pouco compreensíveis dado que o prédio que funciona como hotel e residências continua a ser rentável mesmo durante esta recessão. É um golpe difícil de digerir. O hotel, mais do que um prédio de interesse público, representa uma verdadeira comunidade de pessoas com interesses comuns e maneiras de viver semelhantes. O lobby, com as paredes cobertas de obras de residentes ou antigos residentes, acaba por ser a sala de estar onde negócios são feitos, filmes planeados e diferentes grupos se encontram para trocar ideias.”

Muitas das obras de arte expostas no hotel, foram doadas pelos artistas como forma de pagamento pelos quartos. O preço pelo qual o hotel será colocado no mercado não é ainda conhecido.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/84359-chelsea-o-hotel-mais-desejado-pelos-artistas-vai-ser-vendido, a 21 de Outubro de 2010, em Jornal I

RT

Campeonato de Cachimbos… Conheça Aqui os Detalhes Desta Competição

Campeonato de Cachimbos... Fonte: http://www.ionline.pt

Hoje trago uma competição fora do comum, muito mais, nos dias de hoje, em que se persegue os fumadores, no entanto, estes fumadores que vão ler na peça transcrita são especiais.

« Cachimbo. Este campeonato não é para fumadores de bancada

Eram 300, fumam por desporto e vieram a Portugal ao Campeonato Mundial de Fumadores de Cachimbo. O objectivo? Não perder a chama – durou mais de três horas

“Já passou das três horas. Como é que é possível?” O espanto era partilhado pelos 298 concorrentes já eliminados do World Pipesmoking Championship, no Casino Estoril. A mesa final estava a ser disputada por dois resistentes italianos quando o segundo classificado perdeu a chama. Literalmente. O cronómetro marcava 3h10m e Gianfranco Ruscalla arrecadava, pelo terceiro ano consecutivo, o título de campeão do mundo de Fumadores de Cachimbo.

Justo vencedor da 12.a edição da competição, o italiano de 51 anos é também o detentor do recorde mundial, com um tempo imbatível de 3h33m29s a fumar – marca que este ano não conseguiu superar. “O ar condicionado e a humidade da sala fizeram com que o tabaco queimasse mais rápido do que era suposto”, explicou Gianfranco ao i antes de subir ao palco para receber o troféu. A língua cinzenta – resultado de três horas de cachimbo na boca – e os dedos cheios de cinza não ajudavam à conversa e a ânsia por um copo de água apressou a saída.

“Pensa que isto é fácil? Não é!”, dizia um concorrente espanhol, espantado com a capacidade de concentração do melhor do mundo. Na verdade quem visse Gianfranco sentado à mesa podia facilmente confundi-lo com um jogador profissional de póquer: olhos no cachimbo, boné a esconder subtilmente os olhos e, acima de tudo, uma concentração de fazer tremer qualquer Buda. Afinal, é assim que se faz um vencedor.

“Isso e sorte, porque também é preciso”, diz o recordista português do cachimbo, José Miranda Ferreira, que se apronta a explicar as regras do jogo: aos concorrentes são distribuídos um cachimbo Vauen, 3 gramas de tabaco Alston Black (o equivalente a dois cigarros), um calcador de madeira (que retira a cinza em excesso) e dois fósforos. Nem mais, nem menos. “Os participantes são distribuídos por mesas de dez, nas quais há um controlador que, como o próprio nome indica, controla a actividade dos fumadores. Depois cada um tem cinco minutos para encher o cachimbo e mais um minuto para pôr o tabaco a queimar.” Parece simples? Não é. “Alguns nem conseguem ultrapassar os dois minutos. Esgotam logo o tabaco”, conta o campeão nacional a sorrir, como quem acha graça à falta de jeito alheia. Mas não, antes pelo contrário. Ali, entre os 300 inscritos nesta edição, não há ponta de competição. Entre conversas de corredor é fácil perceber que este campeonato, que não é para fumadores de bancada, é um pretexto saudável para “reunir, viajar e conviver”.

“Ganhar? Não. Vim pela tertúlia”, conta Paula Coelho, uma das duas mulheres portuguesas inscritas no concurso. Recordista nacional na categoria de senhoras, com 1h04m59s, fuma cachimbo há dez anos e tem o sonho de fundar o Museu do Cachimbo. Bancária de profissão, colecciona todo o tipo de artefactos e bibelôs que sugiram o seu utensílio favorito. No dia do campeonato, aliás, trazia botões de punho e brincos em forma de cachimbo. Senta-se à mesa dos fumadores há já sete anos e promete voltar na próxima edição.

Truques

O campeonato mundial de fumadores de cachimbo realiza-se de quatro em quatro anos e reúne aficionados dos quatro cantos do mundo. Esta edição contou com 300 inscrições distribuídas por 22 países. Portugal teve 40 representantes, mas não conseguiu entrar para o ranking dos melhores. A página projectada na parede da sala anunciava os 25 primeiros classificados. Na lista figurava apenas uma mulher, Elisabeth Dobning, da Áustria, com um total de 2h05m13s a fumar cachimbo. Apesar de a austríaca não estar entre os melhores do mundo, a organização do campeonato decidiu atribuir um prémio exclusivo à senhora que fizesse o melhor tempo. “É uma questão de cortesia”, diz José Ferreira, que assegura não haver “distinção entre homens e mulheres. Todos competem por igual”. A única diferença evidente no campeonato, diz ainda, “está na técnica de fumar”.

Isto porque cada concorrente tem os seus truques. Mas se a grande maioria não os partilha com os colegas, o campeão português não se incomoda que lhe conheçam as manhas (ver infografia). E quase como quem desvenda um mistério, ensina a técnica do vencedor: “O Ruscalla calca muito bem o tabaco, o que ajuda a que a queima seja mais lenta. Logo, é obrigado a ter muita paciência e a controlar os níveis de ansiedade.”

Um segredo? “Um bafo pequeno a cada oito segundos. Assim garante-se que o tabaco não é rapidamente consumido, mas que se mantém aceso.” Depois é tudo uma questão de ir mantendo sempre uma pontinha acesa”, diz José, homem que sabe do que fala. Começou a fumar cachimbo aos 16 anos, “porque era mais barato”, mas agora já só lhe pega uma vez por mês, “quando a malta se junta”. Em casa tem mais de 250 cachimbos a monte, mas nem por isso se assume um coleccionador. E, ao contrário da maioria, “só fuma por desporto”. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/82794-cachimbo-este-campeonato-nao-e-fumadores-bancada, a 12 de Outubro de 2010, em Jornal I

Muito Fumo!

RT

Alfaiates Ainda Existem…Senão Acredita Espreite Aqui…

Alfaiates para todos os gostos...Este é em Aveiro... Fonte:http://www.ionline.pt

Já pensou na ideia de fazer um fato por medida? Pois bem, se pensa que é difícil, trago uma peça jornalística que vai desmentir esta questão. Tem também algumas casas, e alfaiates, onde pode recorrer e alguns preços de referência para o efeito.

« “O alfaiate é como o barbeiro. Se servir bem, é para a vida”

Diz-se que não há nada como um fato executado a partir de um modelo real. O i falou com os mestres nacionais na arte do corte e costura e tirou a prova de que estão cá para ficar

Hoje em dia é fácil encontrar fatos por medida em lojas como a Massimo Dutti ou a Hugo Boss, mas se procura o real deal o melhor é ir à origem da confecção. Na década de 30 eram os alfaiates os responsáveis pelo trajar clássico da alta roda nacional. Em 2010 são os filhos desses mesmos artesãos a dar continuidade a uma arte em vias de extinção. A escassez de técnicos especializados é hoje o elefante na sala de qualquer ateliê. São por isso os habitués (e jovens com sentido estético apurado) – que não abdicam de ter no armário peças únicas e personalizadas – que dão alento à sobrevivência do corte e costura por medida. “Quer um fato bem feito? Vá a um alfaiate!”, diz João Teodósio, que sabe do que fala.

João Milheiro Teodósio A falta de mão–de-obra contribuiu para o encerramento da alfaiataria com o mesmo nome. “Trabalho não falta, já não há é pessoal.” Aos 73 anos está reformado, mas por “amor à profissão” – a única que conhece desde os 11 anos – mantém o ateliê em casa. A clientela, “homens nos 50 anos, porque a mocidade já não liga a estas coisas”, é seleccionada, mas deixa saudades dos tempos em que bastava passar nos Pastéis de Belém, perguntar pelo “João alfaiate e toda a gente sabia onde era”. João promete executar um fato clássico, “à antiga, feitinho à mão”, em duas semanas. Mas só porque está sozinho, porque antes ele e a mulher, “a melhor costureira de Lisboa”, eram a “dupla temível” da alfaiataria nacional. Rápidos, eficientes e perfeitos.

Travessa de Santo António, 23, Lisboa;

Tel: 213 625 280. Preço: 500€

Camisaria Pitta “Somos a camisaria mais antiga da Península Ibérica, com 123 anos de existência.” Quem o diz é o Sr. Vasco, responsável pela loja desde 1977 e defensor da ideia de que “um bom fato é como um quadro”, sendo o alfaiate o artista por excelência. Excelência é, aliás, o fio condutor da imagem da casa. A oficina tem um leque completo de serviços: tiradas as medidas, resta escolher a fazenda disponível no catálogo da loja e, se for o caso, levar uma camisa que faça pendant. Depois é esperar um mês e meio para conhecer o resultado. E como a história da moda é feita de regressos à origem, nesta alfaiataria o “clássico” é transversal a todas as épocas: “Os fatos que se vendem nas lojas saem de moda rapidamente. Aqui não. Confeccionamos os fatos de sempre e para sempre.”

Rua Augusta, 193 2.º, Lisboa; Tel: 213 427 526; Preço: 2000€

Américo Gonçalves Américo, o pai, abriu o ateliê em 1973. Hoje são os filhos a dar continuidade ao negócio. Vítor, 52 anos, é um dos mais novos mestres portugueses na arte da costura. Lembra com orgulho uma das páginas do livro de honra da Casa Gonçalves, na qual um rapaz de 19 anos descreveu o seu primeiro fato por medida como uma “experiência fabulosa”. Apesar de não impor o seu gosto pessoal aos clientes, admite que prefere que a roupa fique com um aspecto “fofo”, fugindo à traça quase exclusivamente clássica da concorrência. Ao contrário de outros colegas de profissão, a procura é de tal forma heterogénea que não lhe permite definir um cliente-tipo. “É que os alfaiates são como os barbeiros. Se servirem bem, é para vida.”

Rua Galeria de Paris, 36-1.º Esq. Porto;

Tel: 222 059 695. Preço: 800€

Lourenço & Santos, Lda Em Outubro, a loja celebra o primeiro centenário. A gerência mudou há uns anos, mas o nome ficou para sempre. Agora, sob a alçada do grupo Diniz & Cruz, é Paula Cruz a dar a cara pela marca. Situada no coração da Baixa lisboeta, pela porta entram diariamente “executivos, bancários e até jogadores de futebol” da nossa praça. O método tradicional (de confecção artesanal) continua a dar cartas nas vendas, mas o semitradicional (com algumas entretelas coladas) é o mais indicado para os clientes apressados. É a diferença entre esperar uma semana e um mês pela execução de um fato por medida. Por enquanto o target é masculino, mas Paula admite “vir a alargar o leque de vendas à roupa feminina por medida”. Mas não há pressa. É que a Diniz & Cruz já está no mercado de pronto-a-vestir para mulheres, representada pela marca Dalmata.

Praça dos Restauradores, 47-A e B, Lisboa; Tel: 213 462 570. Preço: 500€

Fernando Martins Almeida Aprendeu a ser alfaiate durante a escola primária, mas só depois do serviço militar é que se especializou na confecção industrial para outras marcas. Hoje, aos 60 anos, trabalha em parceria com a mulher, Maria de Lurdes. “Tiro as medidas, faço as provas, o corte e os acertos. Depois a minha mulher fica responsável pela confecção.” Homem de dois ofícios, relata com entusiasmo a viagem, há dois anos, a Basileia “para tirar medidas à selecção suíça de hipismo”. Trabalha com tecidos importados de Inglaterra e Itália e até tem em stock alguns catálogos “da marca que fornece os tecidos à Casa Branca”.

Rua Dias Cainarim, 15, Esgueira, Aveiro;

Tel: 234 311 528 Preço: 700€ »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/77027-o-alfaiate-e-como-o-barbeiro-se-servir-bem-e-vida, a 7 de Setembro de 2010, em Jornal I

Boas Roupas!

RT

Guia Para o Ultimo Fim de Semana de Agosto… Conheça Boas Sugestões…

Noites do Ritual 2010...   Fonte: www.artesonorarevista.wordpress.com

Hoje e com e sendo fim semana, deixo umas dicas que li num diário da nossa praça no decorrer do dia de ontem, passo a transcrever a referida reportagem na integra.

« Guia de fim-de-semana

Lá porque Agosto se está a acabar e vem aí Setembro, não entre em depressão pós-férias. Para o ajudar a esquecer o regresso ao trabalho (se for o seu caso; se ainda tem férias para gozar, aproveite bem), dedicamos-lhe nove páginas com festas para todos os gostos, tribos, idades ou épocas: da música electrónica à gótica, da praia a uma máquina do tempo, do Porto ao Algarve

1. Música: Noites Ritual no Palácio de Cristal

Agosto está a chegar ao fim e assim terminam também os festivais de Verão. Este, nos jardins do Palácio de Cristal, pode ser considerado o último e a entrada é livre. Nas noites de sexta e sábado, 12 bandas nacionais vão passar pelos dois palcos montados nos jardins. Na primeira noite, o português Samuel Úria será o centro das atenções, bem como os Diabo na Cruz ou os OqueStrada. Sábado é a vez de The Legendary Tigerman.

Jardins do Palácio de Cristal, Porto. Sexta e sábado a partir das 21h30

2. Festa: Noite Branca em Loulé

A Noite Branca, em Loulé, é a festa algarvia mais parecida com a passagem de ano no Brasil. Todos se vestem de branco e despedem-se do Verão no centro da cidade a dançar e a beber nos bares improvisados na zona histórica. Perto de 150 artistas vão estar à solta pelas ruas. Além das actuações de DJ, as lojas e espaços culturais estarão abertos pela noite dentro. Prepare-se para uma enchente: no ano passado mais de 25 mil pessoas vestiram-se de branco.

Loulé, Algarve. Noite de sábado, entrada livre.

3. Feira: Mercado de trocas em Oeiras

No sábado, o mercado de Oeiras transforma-se numa feira de trocas  de objectos em segunda mão. Quer melhor maneira de se desfazer da televisão antiga que tem em casa? Ou da bicicleta que descansa há séculos na garagem? Para vender tem de se inscrever no site da Câmara Municipal de Oeiras ou através do 210 976 532.  Não vale levar comida, pijamas, roupa interior ou electrodomésticos grandes. A organização avalia todos os objectos antes de serem vendidos.

Mercado municipal de Oeiras. sábado, 9h00-17h00

4. Mergulho: Banho 29 em Lagos

A 29 de Agosto, que este ano é um domingo, as praias de Lagos enchem-se de gente para o ritual do mergulho da meia-noite. A tradição já é antiga. Começou quando os camponeses desciam a serra com as suas famílias, burros e carroças para tomarem o seu banho de mar. Dizia-se que o Diabo andava à solta e não era seguro tomar banho antes do dia terminar Agora a ocasião é festejada com fogueiras na praia, música, chouriço assado, e um mergulho tardio, claro.

Meia praia, Lagos, Algarve. domingo às 00h00

5. Oficina: Um dia no Museu

Será um dia cheio de arte e criatividade para os seus filhos (e você estará oito horas por sua conta, sem crianças). Este programa do Museu Colecção Berardo tem muitas actividades que vão permitir que os miúdos fiquem a conhecer o museu e as suas obras de forma divertida, estimulando todos os sentidos. Observação importante: o programa inclui almoço.

Museu Colecção Berardo, Lisboa. das 10h00 às 18h00; Preço: 25€; Tel.: 213 612 913 »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/75612-guia-fim-de-semana, a 27 de Agosto de 2010, em Jornal I

Aproveite…

RT

6 Locais Onde Se Pode Admirar As Vistas Deslumbrantes da Cidade do Porto…

Vistas da Cidade do Porto Fonte: http://www.anetours.pt

Para se começar bem a semana, e para finalizar esta ultima semana de férias de Agosto, que tal ver o Pôr-do-sol num terraço da cidade do Porto? Para se saber a resposta dos melhores locais para o efeito, vou transcrever uma reportagem que saiu num diário da nossa praça no final da semana transacta.

« Os seis melhores terraços com vista sobre o Douro

Pode beber um copo, almoçar ou jantar, dançar e até relaxar com uma massagem. Faça o que fizer, estará a muitos metros de altura e com a cidade debaixo dos seus olhos

Bar/Restaurante Hotel Boa-Vista A viagem começa na foz do Rio Douro, no Hotel Boa-Vista. No quarto andar há uma esplanada em forma de “U” com as mesas em ferro, verdes e redondas. O bar/restaurante é envidraçado e tem capacidade para 35 pessoas. A principal atracção é o cocktail especial Boa-Vista, mas os lanches também são uma excelente aposta. Todos os dias se servem almoços das 12h30 às 15h00 e jantares das 19h30 às 23h00. Encerra aos domingos. O bar está aberto das 12h30 à 1h00.

VIP Lounge – Hotel Porto Palácio No 19.o andar do hotel Porto Palácio encontra-se o VIP Lounge, um espaço com vista panorâmica sobre a cidade, onde se vê o rio e o mar. A grande aposta deste espaço com três anos é a carta de whiskies com 210 opções e os chás, de sabores e qualidades variadíssimas. Às quartas e quintas-feiras pode ouvir uma actuação de piano ou um dueto de guitarras; às sextas e sábados conte com a animação de um DJ. Há ainda a promoção Summer Drink: entre as 19h00 e as 20h00 tem direito a um Mateus Rosé Sparkling ou a um Offley Rosé Porto, como aperitivo.

SPA Satsanga – Hotel Vila Galé Se depois de uma semana de trabalho precisa de relaxar, pode ir até ao Hotel Vila Galé, subir ao 19.o andar e desfrutar dos mais variados serviços que o SPA Satsanga oferece, tudo com vista para a cidade do Porto. O serviço mais caro é a massagem “Romeu e Julieta” (para dois), que custa 110 euros. O espaço está aberto das 10h00 às 20h00 ao sábado e das 10h às 13h30 e das 16h às 20h00 ao domingo e feriados.

Restaurante Portucale No 13.o piso da Albergaria Miradouro está o restaurante escolhido pelo ex-presidente da República Mário Soares quando visita o Porto. Das janelas panorâmicas vê-se toda a cidade, mas o que faz a diferença é o bacalhau à Marinheiro ou o bife à Portucale. Os doces conventuais são a principal atracção da carta de sobremesas.

Hotel D. Henrique Tem uma das vistas mais grandiosas e existe desde 1973. O Mosteiro da Serra do Pilar, a Sé Catedral, as Caves do Vinho do Porto, a Torre dos Clérigos, o Pavilhão Rosa Mota, a Câmara Municipal e a Ponte da Arrábida podem ser vistos de dentro do bar. A esplanada é recente e com ela veio a novidade dos gelados (“que têm sido um êxito”, diz Jorge Apolinário, chefe do bar). A música ao vivo às sextas e sábados à noite é outra das características deste spot. Não se esqueça de beber a especialidade da casa, o cocktail Henrique, das 12h00 até às duas da manhã.

Zenith Lounge No terraço do Ipanema Park funciona como um after-work bar de terça a domingo, entre as 16h00 e as duas da manhã. Do terraço pode ver-se o pôr do Sol sobre o rio Douro. Pode ainda desfrutar da paisagem dentro da piscina, deitado numa espreguiçadeira ou num pouf enquanto saboreia a especialidade da casa, uma sangria Zenith. Uma vez por semana é proporcionado um Sunset Dinner Party, com início às 20h00, que inclui um cocktail ao pôr do Sol, jantar e festa com um DJ nacional. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/74570-os-seis-melhores-terracos-com-vista-o-douro, a 20 de Agosto de 2010, em Jornal I

Boas Vistas!

RT

Conheça o Destino Turistico Mais Procurado no Ano…2020…

Destino Mais Procurado em 2020 Fonte: http://www.g1.globo.com

Hoje trago um artigo sobre uma peça que versa sobre uma curiosidade, em qual será o destino de férias mais procurado em 2020, vou transcrever a peça jornalística.

« Viagens: este destino vai ser o mais procurado em 2020

França lidera actualmente o turismo mundial, seguida dos EUA. Mas ambos serão ultrapassados nos próximos anos

Os principais destinos do mundo em termos turísticos estão a mudar. Dentro de uma década, o actual líder vai ser destronado.

Dados do Conselho Mundial de Viagens e Turismo citados pelo espanhol «Expansión» referem que os maiores destinos de turismo no mundo estão a registar cada vez mais procura. A França é actualmente o país de eleição, ou seja, aquele que recebe mais turistas. Este ano, o país dos croissants e do champagnedeverá receber 70,9 milhões de visitantes e daqui para a frente, o número continuará a subir, mas cada vez menos. Em 2020 vai ficar-se pelos 91,6 milhões, e perderá o primeiro lugar das preferências.

Os Estados Unidos, actualmente o segundo destino turístico mundial em número de visitantes, também perderá essa posição na próxima década. Para este ano são esperados 55,5 milhões de turistas, e em 2020 serão 81,1 milhões.

O novo líder do sector, que ocupa actualmente a terceira posição, será a China. Depois de receber este ano 54,7 milhões de turistas, de acordo com as previsões do Conselho Mundial, o número de turistas vai disparar ano após ano, até chegar aos 103,6 milhões em 2020. Os Estados Unidos serão ultrapassados já em 2011, a França em 2018.

O pior comportamento entre os países mais procurados para férias será, ainda assim, o da vizinha Espanha. Actualmente como 4º destino mundial, mas muito perto do 3º e 2º, com 52,8 milhões de turistas, registará subidas ligeiras durante a próxima década e chegará a 2020 com 65,7 milhões de visitantes. Manterá a quarta posição, mas a uma distância muito maior dos líderes do pelotão.

A Itália manterá a 5ª posição, passando dos 41,5 milhões de turistas previstos para este ano, para 55,1 milhões daqui a uma década. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/china-eua-franca-turismo-ferias-viagens/1185895-1730.html, a 20 de Agosto de 2010, em Agência Financeira

RT

Guia Para Gozar Férias Sem Olhar Para a Idade…

Férias para todas as idades... Fonte: http://www.agenciafinanceira.iol.pt

Hoje trago um roteiro de destinos de férias sem limite de idade que saíram este mês num site da Agência Financeira, vou transcrever o mesmo.

«Férias sem limite de idade. Veja aqui

Termas, campos de golfe, férias ecológicas ou passadas na companhia dos animais de estimação são algumas das sugestões para os mais velhos, nem por isso menos activos

Envelhecer não implica parar. As pessoas vivem cada vez mais tempo e têm cada vez mais fôlego para trabalhar, mas também para ir de férias.

O site de reservas Hotéis.com sugere uma lista de hotéis longe da confusão da praia. Termas, campos de golfe, rótulos ecológicos são algumas das principais atracções. Há até hotéis onde os donos podem vir acompanhados dos seus amigos de quatro patas.

Danubius Hotel Gellert, Budapeste, Hungria

Este hotel fica na cidade da água que cura e é, por isso, um dos melhores locais para fazer termas. Na margem do rio Danúbio, partilha o edifício com o famoso Gellért Bath and Spa Budapest.

Um espaço com vários extras: piscina gaseificada interior, banhos termais, piscina exterior com banho de ondas, banho termal exterior, jacuzzi, banho turco, sauna, solário e massagens. Tudo a partir de 70 euros.

Thermae 2000, Valkenburg, Holanda

Construído na encosta da montanha Cauberg, este hotel oferece as condições ideais para banhos de saúde, com água rica em minerais.

Mas há mais: vários tipos de sauna (de eucalipto, exterior, romana e turca), tratamentos de desintoxicação, anti-envelhecimento e de redução do stress, bem como inúmeros tratamentos de beleza e massagens (ayurvedica, shiatsu, pedras quentes, mel russo, pantai luar). Uma experiência a partir de 216 euros, para um quarto duplo.

Gleneagles Hotel, Tollcross, Escócia, Reino Unido

Considerado um dos melhores resorts de golfe do Reino Unido e até de todo o mundo, é aqui que se encontram três dos principais campos de torneios de golfe escoceses.

Mas há mais para além do golfe: piscina exterior aquecida, courts de ténis, solário ou banho turco. E ainda aulas de tiro, falcoaria e um centro equestre. Férias que ficam por, pelo menos, 308 euros.

The Grand Del Mar, San Diego, Califórnia, E.U.A.

Este resort possui um campo de golfe de torneios, o Grand Golf Club, mundialmente reconhecido.

Os hóspedes podem comer no Addison, o restaurante que tem recebido vários prémios desde que abriu, em 2007. Os turistas podem ainda alugar carros de golfe e desfrutar de banheiras de hidromassagem, numas férias que custam 278 euros por cada quarto duplo.

Hotel Jardim Atlântico, Madeira, Portugal

Para quem aprecia umas férias com rótulo verde, nada como dar um salto à Madeira. O Hotel Jardim Atlântico é uma das poucas instituições hoteleiras portuguesas a deter a Eco-Label (rótulo ecológico) da Comissão Europeia.

Um hotel «verde» desde 1993, onde se podem saborear pratos típicos da região, mas também dietas integrais e de frutas. Todos os alimentos são naturais, comprados aos agricultores locais e o pão é caseiro. Ali as férias ficam por 87 euros por dia.

Maya Ubud Resort and Spa, Ubud, Indonésia

Este hotel espreguiça-se por 10 hectares de colinas verdes, numa península sobre dois vales, deslizando do topo da colina até ao rio. Recebeu um prémio de hotel ecológico este ano e também o de melhor hotel do sudoeste asiático, melhor spa e melhor resort.

Hotel Skt. Petri, Copenhaga, Dinamarca

Para quem não vai de férias sem o animal de estimação, o Hotel Skt. Petri em Copenhaga é uma aposta segura. Depois do check-in, o animal é alimentado com biscoitos caseiros com o seu nome gravado. O hotel encarrega-se de o passear e há camas e taças especialmente desenhadas para o amigo de quatro patas. Umas férias que custam 133 euros por dia.

Travel Charme Kurhaus Sellin, Ostseebad, Alemanha

Vida de cão pode, afinal, ser de luxo. Neste hotel, cão e dono nunca têm que se separar: os quartos, o bar e o terraço são abertos aos hóspedes de quatro patas. Umas férias diferentes, a partir de 115 euros.  »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/turismo/ferias-turismo-hoteis-lazer-viagens-agencia-financeira/1183834-5208.html, a 11 de Agosto, em Agência Financeira

RT

Sugestão de 5 Restaurantes Onde Se Pode Degustar Bom Peixe na Grande Lisboa… Conheça Aqui os Destalhes…

Onde Se Porde Degustar Bom Peixe na Brasa em Lisboa... Fonte: http://www.olhares.aeiou.pt

Tempo de Verão e de Férias, e que tal um bom peixe grelhado? Pois bem e por ser Domingo, trago como sugestão uma reportagem que saiu num diário da nossa praça, e que versa sobre restaurantes cuja ementa principal é constituída por peixe, pena mesmo, é que os mesmos sejam somente na grande Lisboa, no entanto, transcrevo a referida reportagem, para quem viver em Lisboa e Arredores, ou para os que puderem visitar os mesmos.

« Aqui há peixe: cinco restaurantes sem espinhas

Duarte Calvão, crítico gastronómico e responsável pelo Peixe em Lisboa, escolhe alguns pratos: do Mergulho no Mar (Tavares) às sardinhas em Alfama

Apetece-lhe saborear um peixe fresco e saboroso, na cidade ou, melhor ainda, de olhos postos no mar? Ninguém melhor que o crítico gastronómico Duarte Calvão, responsável pela organização do evento Peixe em Lisboa, para sugerir alguns sítios onde se pode comer bom peixe. Perguntámos e ele respondeu sem grandes dúvidas.

Tavares
“Há um bocado a ideia de que o melhor peixe é comido grelhado, mas é evidente que um bom peixe também brilha quando o prato é mais sofisticado. Há restaurantes que têm acesso aos melhores produtos e isso sente-se. Um dos pratos de peixe mais notáveis criados nos últimos anos em Portugal é o Mergulho no Mar, do José Avillez, no Tavares.” Mas o que é o Mergulho no Mar? É um prato de robalo cozido a baixa temperatura, durante 20 minutos, acompanhado de bivalves como lingueirão, mexilhão e berbigão, e servido com algas alface de mar, Dulcea carnosa, kodium e salicórnia e escaldado no final com água de mar ligeiramente alimonada.

Monte Mar
E porque a paisagem também faz parte de uma refeição, pedimos a Duarte Calvão um prato de peixe saboreado com vista sobre o mar. “Há um restaurante na estrada do Guincho, o Monte Mar, com uma varanda sobre o mar e que tem sempre muito bom peixe. Além dos célebres filetes de pescada com arroz de berbigão, tem peixe do dia grelhado, assado à padeiro ou no sal, bacalhau assado, linguado frito com açorda e medalhões de cherne.”

Ribamar

Outro lugar que Duarte Calvão gosta de recomendar é o restaurante Ribamar, em Sesimbra. Situado na Avenida dos Náufragos e com uma magnífica vista sobre o mar, é o porto de abrigo dos verdadeiros apreciadores de peixe. “Servem peixe grelhado muito bom e têm óptimos peixes com receitas, do imperador cozido em vapor ao pregado ou ao robalo, até pratos típicos de Sesimbra, como os choquinhos à pé descalço”, diz Duarte. Choquinhos à pé descalço? João Garcia, empregado do Ribamar, explica: “São chocos com tinta. O prato vem assim, não tem companhia. O acompanhamento, que pode ser batata frita ou cozida, tem de ser pedido. É um prato de pescadores. Já os pratos de peixe, como o linguado grelhado, têm alho francês e tomate em vapor a acompanhar.”

Lautausco

“Adoro sardinhas assadas e elas vão engordando ao longo do Verão. Há quem diga que as melhores são as do fim do Verão. Costumo comê-las no Lautasco, um restaurante em Alfama com pátio ao ar livre, assadas com pão, que fica bem embebido na gordura da sardinha”, sublinha Duarte Calvão. No Lautasco, o dono, José Martins, explica o segredo das sardinhas que serve: “Temos sardinhas até Outubro, porque ela vai engordando. Este ano Junho foi mau, ela estava muito seca, agora já pinga. Também temos um arroz de lulas com gambas, arroz de tamboril, cataplana mista de peixe e as famosas pataniscas de bacalhau com arroz de tomate, que servimos há mais de 35 anos.”

A Travessa
A terminar, Duarte Calvão dá mais uma dica. “Não posso deixar de referir A Travessa, em Lisboa, já que o António Moita, um dos proprietários, é um grande especialista em peixe. Em vez de pedir os pratos de sempre, é bom ouvir a sua sugestão para o dia.” Vamos então ouvir a sugestão de António Moita, pescador desde muito novo: “Hoje recomendo os lombos de peixe-galo com emulsão de champanhe, que vão para a mesa com legumes salteados, puré de nabo e batata cozida com casca e salteada. Também temos a raia em vapor com manteiga queimada e alcaparras e o tamboril flamejado numa base de creme de marisco.” Segue-se uma curiosa revelação. “Os portugueses gostam cada vez menos de ver espinhas no prato, por isso, servimos tranches de corvina grelhada numa cama de folha de espinafre e com redução de lima, para não ser a história do peixe grelhado, ponto final. E ao sábado temos os mexilhões feitos no tacho com alho-francês e vinho branco ou nata fresca, que acompanha com batatas fritas.”»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/72696-aqui-ha-peixe-cinco-restaurantes-sem-espinhas, a 06 de Agosto de 2010, em Jornal I

Boas Refeições!

RT

Conheça os Detalhes da Feira Medieval de Santa Maria de Feira…

Feira Medieval de Santa Maria da Feira... Fonte: http://www.umaventuraemaveiro.blogspot.com

Começou esta semana mais uma feira medieval, desta feita  em Santa Maria da Feira, passo a transcrever um roteiro para a referida Feira que saiu num diário da nossa praça.

« Viagem Medieval A fundação de um reino… 900 anos depois

Em Santa Maria da Feira, reviver outros tempos, com os ingredientes mais importantes, dos espectáculos à alimentação típica sem esquecer as noites da Idade Média

Um salto no tempo. Uma viagem até ao século XII. Um castelo, uma rainha, o seu filho, a formação de um reino. Os cenários estão montados em Santa Maria da Feira e a ideia é, como explica Paulo Pais, administrador executivo da Empresa Municipal Feira Viva, “fazer um filme com os episódios mais relevantes dos 39 anos que medeiam o dote de Dona Teresa e a coroação de D. Afonso Henriques como Rei de Portugal”. A 14.a edição da Viagem Medieval em Terras de Santa Maria arrancou ontem e prolonga-se até ao dia 8 de Agosto, com recriações históricas a acontecerem todos os dias nos 33 hectares do recinto.

Recriações

Hoje, às 22h00, os visitantes que se deslocarem ao castelo vão receber a notícia do nascimento do “encolheito”. Como reza a crónica da época, em 1109 os condes teriam já duas filhas, Urraca e Sancha, e um filho varão belo, grande e formoso, “salvo que nasceu de pernas encolheitas”, a quem deram o nome de Afonso. Amanhã, à mesma hora e no mesmo local, D. Henrique vai ser proclamado “conde e senhor de todo o Portugal”. No domingo acontece um dos momentos altos desta viagem. Dona Teresa visita as terras da feira. O cortejo sai às 17h00 da Igreja da Misericórdia.

O filme continua durante toda a semana com batalhas, investiduras, tomadas do castelo e cortejos. O programa completo está em http://www.viagemmedieval.com.

Para as crianças

As asas de Ícaro, o Bosque Mágico, [Dês]Venturas do Reino, ou as Vivências do Mosteiro são algumas das áreas temáticas pensadas para os mais pequenos. Apesar de a entrada no recinto do evento ser gratuita, as áreas temáticas são pagas. Os preços variam consoante as actividades, mas as crianças até aos três anos não pagam. Há para todos os gostos, desde os teatros de marionetas, até aos jogos de aventuras, as acrobacias e os trabalhos manuais. Acontecem normalmente entre as 15h00 e as 20h00, mas o melhor é consultar o programa. Há ainda uma pulseira identificativa que é colocada no pulso dos miúdos à entrada no recinto.

Para comer

Quatro zonas de tabernas, quatro restaurantes de ementas diversas no Rossio, outro no castelo, um só de peixe e outro de carnes de caça, também no Rossio, e mais um de comida árabe no Sukh, o mercado municipal transformado agora em mercado árabe.

Para pernoitar

O Campo de Tendilhas é mais uma das novidades desta 14.a edição. Para quem quer ficar no centro dos acontecimentos, a Viagem Medieval tem à disposição um espaço destinado à pernoita em pleno recinto. O Campo de Tendilhas vai funcionar até 9 de Agosto, na Quinta do Castelo, junto à sede dos escuteiros.

Destina-se a maiores de 16 anos, ou menores acompanhados pelos pais ou encarregados de educação. Durante a estadia, cada utilizador terá uma pulseira identificativa, pessoal e intransmissível. Pernoitar uma noite neste espaço vai custar um euro e meio por pessoa, mais três euros pelo espaço a ocupar pela tenda, que deverá ter capacidade máxima para quatro pessoas (campodetendilhas@viagemmedieval.com;»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/71361-viagem-medieval-fundacao-um-reino-900-anos-depois, a 30 de Julho de 2010, em Jornal I

Boas Visitas!

RT