Aproveite Viagens a Partir do Porto e Faro Para Os Mais Diversos Destinos Europeus Por Apenas 10€…Só Até Dia 20…

Janeiro 19, 2010

Ryanair - Low Cost Company

Hoje trago mais uma novidade patrocinada pela companhia aéria Low cost Ryanair, passo a transcrever a mesma, e não tecer qualquer comentário à mesma.

«Ryanair disponibiliza 500 rotas por apenas 10 euros

A companhia aérea “low cost” Ryanair está a vender um milhão de voos, a partir do Porto ou Faro, por apenas 10 euros. Há mais de 500 rotas, em toda a Europa, à sua disposição.
Esta promoção da Ryanair vale para viagens às terças, quartas e quintas-feiras, entre Fevereiro e Março. A reserva deve ser feita até à próxima quinta-feira, dia 21 de Janeiro.
Segundo o comunicado da companhia, “estes lugares a 10 euros têm ‘tudo incluído’ e estão disponíveis para mais de 500 rotas europeias da Ryanair, mas deverão ser reservados até à meia-noite da próxima quinta-feira (21 de Janeiro)”.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/42463-ryanair-disponibiliza-500-rotas-apenas-10-euros, a 18 de Janeiro de 2010, no Jornal I

Boas Viagens

RT


Campanha de Inicio de Ano…Ryanair da Viagens a 4€…Boa Oportunidade Para Se Viajar a Preços Reduzidos…

Janeiro 5, 2010

Ryanair - Low Cost Company

Hoje trago uma notícia que faz ver algumas companhias aérias, uma low cost faz ver algumas companhias onde praticam valores muito acima.

A ryanair, faz colocar em causa projectos como o TGV, mas vejam a oferta desta publi reportagem, deixando o comentário da mesma para os leitores.

«Ryanair disponibiliza 1 milhão de lugares a 4 euros

Para viagens a realizar entre o final de Janeiro e Fevereiro

A companhia low-cost Ryanair anunciou que a partir da meia-noite desta segunda-feira, 4 de Janeiro vai disponibilizar 1 milhão de lugares a 4 euros.

Segundo o comunicado, estas tarifas a 4 euros «tudo incluído» estão disponíveis para mais de 400 rotas europeias da Ryanair mas deverão ser reservados no site da companhia antes da meia-noite de quinta-feira (7 de Janeiro).

«Esta oferta a 4 euros da Ryanair inclui todas as taxas e encargos, diz a companhia. «Como tal, todos os passageiros que decidam evitar as despesas opcionais, ao efectuarem o pagamento com o Cartão Pré-Pago amplamente disponível da MasterCard, transportando só a mala de mão e não optando pelo embarque prioritário, poderão viajar à tarifa publicitada de 4 euros», conclui o comunicado. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/geral/portugal-ryanair-aviacao-turismo-ferias/1113793-5238.html, a 04 de Janeiro de 2009, no Jornal I

Boas Viagens

RT


Easyjet Patrocina Passagem de Ano Em Madrid…Veja Como Pode Participar…

Dezembro 27, 2009

Após o Natal, temos começar a pensar na passagem de ano, passo a transcrever uma oferta para uma passagem de ano diferente, pela Easyjet, e a que um diário da nossa praça, faz uma publireportagem, passo a transcrever a mesma, não fazendo nenhum comentário à mesma.

«Easyjet oferece passagem de ano em Madrid

A Easyjet lançou um passatempo na sua página do Facebook para oferecer uma viagem para duas pessoas a Madrid. Para participar, basta tornar-se fã da easyJet no facebook e completar uma frase sobre a easyJet e uma viagem a Madrid.
A festa de passagem de ano realiza-se nas Puertas del Sol , em Madrid.  A viagem de ida realiza-se dia 31 de Dezembro de 2009 e o regresso no dia 1 de Janeiro de 2010.
Os resultados do concurso são divulgados sai 29 de Dezembro na página do Facebook da easyjet.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/39169-easyjet-oferece-passagem-ano-em-madrid, a 24 de Dezembro de 2009, no Jornal I

Boas Entradas!

RT


Viagens Porto-Faro pela Ryanair…Mais Uma Grande Oferta Desta Companhia Aérea

Setembro 3, 2009
Ryanair Oferece voos Porto- Faro

Ryanair Oferece voos Porto- Faro

Hoje trago uma notícia que penso seja boa, pois vai permitir juntar o Norte ao Sul. Esta «borla» deve ser vista como, uma oportunidade de conhecer a empresa em causa, e de conhecer a região em causa, passo a transcrever a notícia e de seguida faço o meu comentário:

« Porto-Faro grátis na Ryanair (e mais cinco rotas desde a Invicta) – à venda até amanhã

A Ryanair volta à carga com uma campanha de um milhão de bilhetes grátis em toda a Europa, desta feita com um brinde extra para os portugueses: Porto – Faro, a nova e primeira rota doméstica da “low cost” em Portugal, é grátis. A campanha decorre apenas hoje e amanhã (até às 00h) e abrange voos de terças a quintas entre 26 de Outubro (dia de estreia do Porto – Faro) e 10 de Dezembro. Além da ligação aérea entre as capitais do Norte e do Sul, há voos grátis – ou melhor dizendo, marcados a €0,01 – do Porto para Barcelona-Girona, Madrid, Marselha MP2, St. Ettienne-Lyon e Tours. As taxas estão incluídas (à excepção das obrigatórias por pagamento com cartão de crédito – *só não se paga se usar Visa Electron – e check-in on-line). Os nossos testes revelaram vários voos grátis (a 4.ª é sempre um “must”) disponíveis mas o site não parece estar nos seus melhores dias, apresentando, pelo menos há momentos, dificuldades e lentidão no processamento de dados.»

In: http://blogs.publico.pt/fugas/, a 2 de Setembro de 2009, em Blog do Jornal Publico

O meu comentário:

Mais uma vez a companhia aérea Ryanair, vem surpreender tudo e todos, ao dar «borlas», para desta forma inaugurar uma nova rota, o que só demonstra estar a agir de encontro aos interesses do mercado, neste caso, dos consumidores portugueses.

Uma empresa, para convencer da sua credibilidade, ou mesmo, demonstrar neste caso a prestação do serviço, e mostrar que o mesmo tem qualidade, e que vale o valor dispendido na aquisição do mesmo, pode usar esta técnica, que é de «oferecer» a experimentação do serviço, para os consumidores poderem degustar o mesmo.

Os serviços, geralmente e como todos devem ter a percepção, são geralmente, primeiro comprados, e depois somente é que são degustados, ou usados, é o caso de viagens, cinemas, espectáculos, concertos, etc, logo é óbvio que não devemos decepcionar o o consumidor em geral, e devemos em serviços ser tão ou mais exigentes como nos produtos, devemos sempre apresentar qualidade máxima face ao preço definido.

O caso da Rynair, é poder demonstrar a qualidade dos seus voos e poder redefinir-se cada vez mais como uma companhia de baixo custo, mas com qualidade, e que cumpre os horários e que acima de tudo, e até à data não tem nenhum incidente a registar.

Parabéns aos Markteers da Ryanair, e Obrigado por tentar mostrar que a cidade do Porto não é assim tão longe da cidade de Faro, e que o avião consegue ser mais barato que os transportes terrestres, e que pode mesmo por em causa, grandes obras como a do TGV em Portugal.

Penso que deviam pensar mesmo na necessidade do TGV, face a uma melhoria dos nossos caminhos-de-ferro, e tendo como base, companhias de aviação de Baixo Custo a operar em Portugal.

Deixo a Questão: Que pensa desta «Borla» oferecida pela Ryanair?

Tenho Dito

RT


Algarve a Perder Turistas…e Qualidades…Porque Será?? Há Soluções??

Agosto 8, 2009
Algarve, Armação de Pêra

Algarve, Armação de Pêra

Hoje trago uma notícia que não me surpreende, e demonstra a falta de preparação dos empresários algarvios para a globalização turística dos últimos anos, passo a transcrever o artigo e de seguida passo a realizar a minha análise:

« Hotéis do Algarve estiveram mais vazios em Julho

A taxa de ocupação global média por quarto desceu 8,3% nas unidades de alojamento do Algarve e as receitas também desceram 13,8% em relação ao mesmo período de 2008.

Segundo dados da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), as maiores descidas registadas na procura da hotelaria algarvia no mês passado verificaram-se nas “zonas do Carvoeiro/Armação de Pêra (menos 13,9%), Portimão/Praia da Rocha (menos 10,0%) e Albufeira (menos 7,5%).

A zona de Monte Gordo, no concelho de Vila real de Santo António, foi a que registou a taxa de ocupação mais elevada no Algarve, com 90,3%, enquanto que Faro e Olhão foram as zonas com a taxa média de ocupação mais baixa, com 50,0%.

As principais descidas, por categoria, verificaram-se nos aldeamentos e apartamentos turísticos de 3 e 2 estrelas (menos 8,8%) e nos hotéis e aparthotéis de 4 e 3 estrelas (menos 7,7%).

Os portugueses representaram 27,8% das dormidas totais no Algarve, seguidos dos britânicos com 26,3% e dos holandeses (9,6%).

A tendência para a quebra nas taxas de ocupação já se verificaram em meses anteriores no Algarve, com os empresários a remeterem a principal culpa para a crise económica mundial.

Em Junho a taxa de ocupação global média por quarto também registou quebras de 4,3%, face ao mês homólogo de 2008, para 68,8%.

Em Maio passado a taxa de ocupação hoteleira no Algarve desceu 13,4% relativamente ao período homólogo de 2008.»

In: http://economico.sapo.pt/noticias/hoteis-do-algarve-estiveram-mais-vazios-em-julho_67026.html, em Diário Económico, a 07 de Agosto de 2009

A Minha Análise:

Era de se esperar que o turismo no Algarve decrescesse, quer por questões como a crise mundial, concorrência mais atroz de outros destinos, ou mesmo por abuso dos empresários do Algarve, em Verões anteriores.

Pois bem, podemos tomar que a crise, fez com que muitas pessoas não fossem de férias, pois com o flagelo do desemprego, ou por, não poderem tirar férias, faz com que obviamente a ocupação decresça; outro factor são os empresários, terem esticado demasiado os preços nos anos anteriores, sou do tempo que nos anos 90, por vezes, chegaram me a pedir por um café, 200$00, o que convertendo, actualmente é 1€, achei um absurdo na altura 1€ por um café, tendo em conta, que o custo do café, ainda hoje não excede os 30 cêntimos, de tal forma, que absurdos destes, afastaram os turistas, pelo menos os Portugueses, que já para irem de férias para lá já são esforços enormes; a concorrência de destinos a nível global, é outra questão, como o abrir das fronteiras na década de 90, com a globalização, com a moeda única e mais actualmente com o recurso às companhias de Aviação Low Cost, pode-se encontrar férias noutro país, que podem ficar ou preço igual ou pouco superior às do Algarve.

Destinos estes que são nomeadamente Espanha, Tunísia, etc. Espanha tem destinos que com melhor clima, recursos a hotéis e não a apartamentos em regimes de Pensão Completa, ou mesmo, Tudo Incluído, em que a água do mar é quente, pois é mar Mediterrâneo, e temperaturas mais altas, e ainda, existem autocarros que levam as pessoas, sem estas terem que se deslocar no seu transporte privado, os destinos nestas condições são Salou e Benidorm, são os que se podem comprar com o Algarve, pelo menos directamente.

Outros destinos que não ficam caros, aqui mesmo ao lado no país vizinho também, são Palma de Maiorca, Ibiza, Tenerife e Gran Canária, estes destinos recorrem a voos de companhias Low Cost, ou mesmo, as agências de viajem no verão, recorrem a Charters, o que faz com que o custo do serviço seja reduzido, e como tal, possa ter preços um pouco superiores ao Algarve, mas com qualidades que muito agradam ao público Português.

O avião de companhias aérias de baixo custo e como frisei aqui há dias veio revolucionar as deslocações das pessoas, o problema do Algarve, é que está relativamente perto e com custos pouco significativos para quem mora em Lisboa, mas se analisarmos, 75% da população portuguesa, está situada acima do Rio Mondego, e para essa população, fazer 5 ou 6 horas de viagem, e com custos mais elevados para chegar ao Algarve que os que partem de Lisboa, somando que ganham menos que os da capital, e ainda têm que pagar os preços inflacionados dos verões algarvios, digamos que é difícil persuadir pessoas a irem para lá. As pessoas preferem ir a uma agência de Viagens, compram um pacote e onde desta forma conseguem controlar os custos das férias, vão de autocarro, ou avião, e lá só gastam se quiserem, e tendo melhor clima, e por vezes coisas mais baratas que no Algarve, estão mesmo a ver, porque não se vai para o Sul.

É verdade, que a crise veio também afectar os destinos mais procurados lá fora, sei que estes destinos tiveram decréscimos também, mas não na mesma escala que os algarvios se queixam, é verdade também que o clima no Algarve, já não é o mesmo que há 10 anos atrás, a temperatura não está tão alta e a água do mar está mais fria, e isto, é algo que não podem contornar, mas podem contornar em serviço, prestar melhor serviço a um preço justo, e não a tentar roubar, para trabalharem 3 meses, o ano todo, a oferta tem que ser constante, de modo, a que não sofra grandes oscilações de preços e qualidade, e fazer como os outros, recorrerem a companhias de baixo custo de aviação, como a Ryanair que agora tem base no Porto, transfers e autocarros de norte a sul do país, tentar arranjar soluções para que as portagens sejam mais baixas, o combustível seja mais baixo, para reduzir custos, e se tornarem competitivos como os outros destinos europeus, contratem pessoas licenciadas que saibam o que fazer do Algarve, e não coloquem pessoas que visem o lucro no curto prazo, mas sim pessoas que vejam o Algarve como investimento de curto prazo e retorno de longo prazo.

Deixo a Questão: Pensa que o Algarve se tem esforçado por ser um destino de eleição para todos os Portugueses (de Norte a Sul)?

Tenho Dito

RT


Ryanair Ataca a Europa a Partir do Porto…

Agosto 6, 2009
Ryanair a Revolucionar a Partir do Porto...Pré-visualizar

Ryanair a Revolucionar a Partir do Porto...

Hoje trago uma notícia que parece que veio revolucionar a mobilidade em Portugal, e pode mesmo, colocar em causa grandes obras como o TGV, passo a transcrever a notícia e se seguida faço a minha análise à mesma:

« Ryanair anuncia primeiro voo doméstico entre Porto e Faro

A companhia aérea de baixo custo Ryanair anunciou hoje o seu primeiro voo doméstico em Portugal, entre o Porto e Faro, com quatro frequências semanais a partir de 26 de Outubro

Em conferência de imprensa, o director de marketing e vendas da Ryanair para Espanha, Portugal e Marrocos anunciou ainda um reforço de 140 para 210 milhões de dólares (de 100 para 146 milhões de euros) do investimento na futura base da companhia no Porto – com início de operação agendado para Setembro – em resultado da aquisição por 70 milhões de dólares (48,6 milhões de euros) de um terceiro avião a sedear no Aeroporto Sá Carneiro.

Segundo Luis Fernández-Mellado, os voos entre o Porto e Faro ocorrerão às segundas, quartas e sextas-feiras e aos domingos.

A partir de 27 de Outubro, a Ryanair lançará ainda duas outras novas rotas para a Alemanha a partir do Porto, para Dusseldorf e Baden Baden, com três frequências semanais às terças e quintas-feiras e aos sábados.

Os bilhetes para as novas rotas para Faro, Dusseldorf e Baden Baden estarão à venda na Internet a partir de quinta-feira, sendo que até sexta-feira estarão disponíveis um milhão de lugares a um euro, incluindo taxas de aeroporto, para voos em Outubro e Novembro.

No total, a Ryanair passará a operar 21 rotas no aeroporto do Porto, responsáveis pelo transporte de 1,8 milhões de passageiros/ano.

Questionado sobre a possibilidade de a Ryanair vir a lançar um segundo voo doméstico a partir do Porto, com destino a Lisboa, Luis Fernández admitiu que “tudo pode acontecer no futuro”.

“A Ryanair está a fazer uma grande aposta no Porto e a expandir-se por toda a Europa, arrancando com novas rotas todas as semanas”, disse, acrescentando que, “como o Porto passou a ser uma base [da companhia], é muito provável que vão abrindo novas rotas”.

No início de Julho, o director de comunicação da Ryanair na Europa, Daniel de Carvalho, considerou que a rota Porto/Lisboa “não deixará de ser interessante” quando as obras de expansão previstas permitirem diminuir os actuais condicionamentos do Aeroporto da Portela.

CRISE AUMENTA LUCRO. Relativamente ao impacto da crise económica nos resultados da Ryanair, Luis Fernández afirmou que esta está a assumir-se como uma “oportunidade” para a companhia “crescer e aumentar o número de passageiros”.

“Em 2008 transportámos 57 milhões de passageiros na Europa e, em 2009, esperamos transportar 67 milhões, mais nove milhões, dois dos quais em Portugal”, disse Luis Fernández.

Segundo recordou, entre Abril e Junho a companhia aumentou o lucro em sete vezes, para 136,5 milhões de euros, devido à diminuição do preço dos combustíveis e ao aumento de 11 por cento nos passageiros transportados.

Ainda assim, as receitas mantiveram-se estáveis, nos 775 milhões de euros, tendo o presidente do conselho de administração da ‘low cost’, Michael O’Leary, revisto em baixa as previsões do lucro no exercício 2009/2010 (que termina a 31 de Março) de 300 para 200 a 250 milhões de euros.

O’Leary salientou, contudo, que o modelo de tarifas baixas da Ryanair demonstrou ser um êxito em tempos de crise, permitindo à companhia continuar a reportar lucro, quando muitos dos concorrentes registam quebras no volume de passageiros e “quedas substanciais” dos resultados.»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/16830-ryanair-anuncia-primeiro-voo-domestico-porto-e-faro, a 05 de Agosto de 2009, no Jornal I

A minha análise:

Excelente, fantástico, são palavras que podemos usar para qualificar a base da companhia Irlandesa na cidade do Porto.

Apesar de muitas vozes contra, apesar de quase se perder esta oportunidade, a Ryanair consegui abrir uma base no Porto, e com esta situação, fica a ganhar em primeira instância a companhia, mas acima de tudo a cidade, que ganha mais facilmente visitantes, ganha notoriedade, e consolida a cidade, como uma das principais cidades da Europa, e que muitas vezes é renegada para segundo plano em detrimento de cidades europeias, que têm menos qualidade que o Porto.

Infelizmente, desconheço a base do estudo, que levou a Ryanair a abrir uma base na cidade do Porto, mas penso que deve ter sido um estudo isento de influências externas, que geralmente, ensombram estes estudos e em vez de se sair a ganhar, saímos (Portugal) geralmente a perder.

O Porto já tinha apostado num conceito de mobilidade, mesmo acima de algumas cidades europeias, apostando em conseguir levar ao aeroporto o metro, de forma a se poder interligar, todos os transportes, como aviões, barcos, comboios e estradas; poucas cidades se podem gabar de ter uma interligação deste nível, repare-se uma cidade que não consegue ter esta interligação, é a capital, Lisboa não consegue ligar as linhas de caminho de ferro ao aeroporto, a não ser por estrada, o que seria muito útil, pois muitos voos só saem da capital e muitas pessoas usam o comboio como forma de chegar a Lisboa, para esses destinos, caso a Ryanair abra voos brevemente para a capital, pode-se deixar de investir nisso, pois faz-se mesmo o transbordo de avião.

Penso que as três primeiras rotas, são bem escolhidas, sendo que a rota caseira, é algo que à muito se ansiava, mais que a cidade do Porto, penso que começar por cativar nos percursos mais longos, como é o caso de Faro, é algo que vai com certeza fazer a companhia crescer, em notoriedade entre o publico Português, e crescer a nível de lucros.

Com uma, outra rota caseira, como por exemplo, Lisboa, e mantendo o nível de preços praticado actualmente, podemos dizer que o investimento na grande obra como o TGV, vai ser como deitar, recursos fora, ninguém vai querer andar de TGV, pelo preço alto praticado e demorar bem mais que se for de avião, por quantias que podem rondar, com taxas e tudo, cerca de duas dezenas de euros. O automóvel particular, também está ameaçado, face a custos de combustível e portagens, isto a contar que se utilize as redes viárias, mais rápidas como é o caso das auto estradas; é muito caro, o combustível, mais portagens, nos casos em que viagem, poucas pessoas no automóvel, está mesmo fora de questão.

Os governantes que em Setembro próximo, forem indigitados para formar governo, devem ter em ideia que a grande obra TGV, pode já estar a ficar comprometida, pelo menos, se praticar os preços que têm ideia de serem praticados, pois penso que sob ponto de vista ambiental, é um veiculo bem mais limpo que o avião, deve-se verificar se o custo beneficio compensa essa construção.

O mesmo se aplica ao aeroporto de Lisboa, será que deve ser construído nos trâmites programados? Será necessário um tão grande? Porque não manter o da portela para voos de companhias low cost, ou o contrário? Porque não verificar se é mesmo necessário?

Todas estas questões merecem e devem ser equacionadas, senão repara-se que basta uma companhia de viagens low cost, vir revolucionar o conceito de transporte, para o destino das grandes obras nacionais, poder cair por terra.

Um conselho, as mutações em questões aérias tem sido muito céleres.

Deixo a questão: Que pensa das novas rotas da Ryanair a partir da cidade do Porto?

Tenho Dito.

RT