Receita de Bacalhau Espiritual….

Bacalhau Espiritual.... Fonte: http://www.soraiasilva29.blogspot.com

Este Domingo trago mais uma receita, desta feita a mesma é Bacalhau Espiritual…

« Ingredientes:

600g de bacalhau
60g de margarina
2 dentes de alho
2 cebolas médias
400g de cenouras
2 pãezinhos ensopados em 2,5 decilitros de leite quente
1 colher de sopa de queijo ralado

…………….

90g de margarina
100g de farinha
1 litro de leite
3 ovos
Sal
pimenta
noz-moscada

 

Preparação:

Lasque o bacalhau depois de demolhado e limpo de peles e espinhas.
Rale as cebolas com as cenouras e os alhos, tudo descascado.
Num tacho, refogue o preparado de cebola com a margarina, mexendo sempre até alourar.
Adicione o bacalhau, ligando bem e deixando apurar um pouco.
Acrescente os pãezinhos até estar tudo bem misturado e retire do lume.
Entretanto aqueça a restante margarina, junte a farinha, mexa bem e adicione o leite quente em fio, mexendo sempre.
Quando começar a ferver retire do lume e junte as gemas, mexendo muito bem, para ligar.
Tempere com o sal, a pimenta e a noz moscada.
Junte metade do creme com o preparado do bacalhau com a cenoura.
Bata as claras em castelo e incorpore no restante creme.
Disponha o bacalhau num pirex untado e sobreponha o creme com as claras.
Polvilhe com o queijo ralado e leve ao forno a gratinar.
Sirva assim que retirar do forno. »

In: http://www.petiscos.com/receita.php?recid=837&catid=10, a 03 de Dezembro de 2011

Receita de Leite Creme…

Receita de Leite Creme... Fonte: http://www.receitas-culinaria.org

Hoje trago uma receita especial, bons sabores que nos fazem lembrar a época festiva do final do ano…

« Ingredientes:

  • 1 litro de leite
  • 7 gemas
  • 150g de açúcar
  • 2 colheres de sopa de farinha maizena
  • 2 cascas de limão
  • Açúcar q.b.

Preparação:

Num tacho, misture muito bem as gemas com a farinha maizena.
Junte o açúcar e misture tudo.
Aos poucos, acrescente o leite.
Por fim, acrescente a casca de limão.
Leve ao lume, mexendo sempre até começar a borbulhar.
Logo que comece a borbulhar, apague o lume e retire as cascas de limão.
Coloque o leite creme numa travessa ou em tacinhas.
Depois de frio e na hora de servir, polvilhe com açúcar e queime-o com um ferro próprio para o efeito. »

In: http://www.saborintenso.com/f23/leite-creme-1750/, a 06 de Setembro de 2011.

RT

A Receita de Hoje é: Baba de Camelo

Baba de Camelo... Fonte: http://www.petiscos.com

Hoje e para se passar um bom Domingo, que tal fazer uma Baba de Camelo, aqui fica a receita…

« Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado
  • 5 ovos

 

Preparação:

Coze-se a lata de leite condensado na panela de pressão durante 45 minutos. Entretanto partem-se os ovos, separa-se as gemas e batem-se as claras em castelo. Quando o leite condensado tiver cozido, deixe arrefecer, em seguida junte as gemas, misture, de seguida junte ao preparado as claras em castelo. Põe-se no frigorifico, ao fim de 3 horas já pode ser servido, pode-se enfeitar com nozes picadas, ou bolacha ralada, mas o melhor mesmo é torrar umas amêndoas e decorar com estas, servindo mais algumas à parte, pois ligam muito bem com este doce.»

 

In: http://www.culinarias.net/baba_de_camelo-rc363.html, a 15 de Julho de 2011

 

RT

Conheça a Cervejaria da Esquina em Lisboa….

Cervejaria da Esquina... Fonte: http://www.ionline.pt

Hoje trago uma notícia sobre uma cervejaria, desta feita a denominada cervejaria da esquina…

« Cervejaria da Esquina. Não é a sua cervejaria habitual

O chefe Vítor Sobral contra-ataca com uma cervejaria moderna em Lisboa que pisca o olho à tradição e fecha os olhos aos lugares-comuns

 “Em cada esquina um amigo/ Em cada rosto igualdade”, ouvia-se ainda esta segunda-feira na Avenida da Liberdade, em Lisboa. Há, no entanto, centenas de velhos noutra zona da cidade, o Restelo, a exigir “um Salazar a cada esquina”. Já o chefe Vítor Sobral defende um bom restaurante em cada esquina e tem lutado para isso no bairro de Campo de Ourique. Depois da Tasca da Esquina, onde as ruas Domingos Sequeira e do Patrocínio se cruzam, é a vez da Cervejaria da Esquino número 58 da Rua Correia Telles (antiga morada do Café Bonina).

A ideia é pegar no conceito tradicional de cervejaria (as sapateiras a olhar para nós nos aquários, a cerveja a fazer olhinhos ali no balcão) e elevá-lo ao quadrado. Talvez seja demasiado snob chamar-lhe “cervejaria sofisticada” mas há grandes diferenças entre a casa do chefe Vítor Sobral e as suas congéneres da Avenida Almirante Reis. Diferença n.º1: a Cervejaria da Esquina não está na Almirante Reis mas no tranquilo bairro de Campo de Ourique, o melhor sítio para habitar em Lisboa segundo os habitantes de Campo de Ourique, cidadãos habituados a jogar Tetris com o carro de cada vez que querem estacionar. Diferença n.º2: não há uma televisão sintonizada na Sport TV nem toalhas de papel para jogar ao galo enquanto não chegam as lambujinhas. Diferença n.º 3: não há lambujinhas.

Hoje há conquilhas, amanhã também

E para além disso: berbigão lingueirão e ameijoa vendidos à dose – ostras a 2,60€ cada. Mais: búzios, canilhas, burriés, percebes, lagostim, camarão, lavagante, lagosta, sapateira, santola e navalheira, todos eles com preços a variar consoante o peso.

Tudo isto, a par com o pão torrado com manteiga e outros mimos de cervejaria, são clássicos intemporais que remontam à bela arte de encontrar pretextos para beber cerveja – o que nos leva ao velho dilema de casualidade: o que veio primeiro, o petisco ou a cerveja?

Há os clássicos, é claro: creme de camarão, arroz de mariscos, cataplanas e bifes – este últimos suculentos, altos, de encher o olho. Outra das novidades (diferença n.º 4) é a cozinha de autor, acepipes vários trabalhados pelo próprio chefe Vítor Sobral. Quem se quiser submeter aos gostos e destreza manual do próprio só tem de escolher a a opção “nas mãos do chefe” e avisar de quaisquer incompatibilidades dietéticas. O menu é “feito na hora e raramente se repete”, conta o chefe, “escolhido a partir dos produtos dos melhores e mais frescos produtos do dia”.

O par para este tango, a cerveja, vem servida em copos baixos. A “esquininha”, bebida da casa, não é mais do que uma versão sofisticada da injustamente esquecida “lambreta” copo menor (em tamanho) com uma estranho apego à vida – a esquininha, tal como a lambreta, demora mais tempo a morrer.

Os tachos não são para enfeitar, é lá que são cozinhados os pratos de caril e as açordas, receita muito popular na tal Grândola, vila morena, terra onde em cada esquina há um amigo.

Cervejaria da Esquina, Rua Correia Teles, n.º56, Campo de Ourique, Lisboa. Terça a Domingo, das 9h30 às 15h30; das 19h39 às 23h30. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/119393-cervejaria-da-esquina-nao-e-sua-cervejaria-habitual, a 27 de Abril de 2011, em Jornal I

RT

A Receita Deste Domingo: Tarte de Amêndoa…

Tarte de Amêndoa... Fonte: http://www.docesecompanhia.com

Este domingo trago uma receita tradicional do Algarve, passo a transcrever a referida…

« Tarte de Amêndoa

Ingredientes:

  • 300 gr. de açucar
  • 5 ovos
  • 5 gemas
  • 180 gr. de amêndoas
  • 30 gr. de coco
  • 1,5 dl. de água

Preparação:

Ponha o açucar ao lume com a água e deixe ferver até atingir ponto de fio forte. Junte as gemas aos ovos e deite a calda sobre estes, mexendo de forma enérgica. Em seguida junte o miolo de amêndoa finamente picado e o coco. Coloque esta massa dentro de formas de tarte, previamente forradas com massa tenra. Polvilhe com açucar em pó e leve a cozer em forno fraco. Sirva depois de frio e polvilhe com mais um pouco de açucar em pó.


Massa Tenra

Ingredientes:

  • 200 gr. de farinha
  • 1 colher de sopa de azeite e vinagre
  • 1 pitada de sal
  • água fria q.b.


Preparação:

Ponha a farinha numa tigela. Adicione o azeite, o vinagre e a pitada de sal. Envolva bem e adicione aos poucos a água até obter uma massa facil de moldar. Faça uma bola e deixe, tapada, em repouso durante cerca de 15 minutos. Depois, estenda a massa numa superfície enfarinhada até ficar bem fina. Forre as formas com a massa. »

In: http://www.receitasemenus.net/content/view/1014/161/, a 1 de Março de 2011

Bom Apetite!

RT

Sugestões de Boas Iguarias de Inverno…

Locais de Iguarias de Inverno...   Fonte: http://economico.sapo.pt

Hoje trago um guia que vi no decorrer do passado fim semana, e que versa sobre locais onde podemos comer neste Inverno, desta feita, passo a partilhar com os leitores o respectivo guia.

« Onde comer para aquecer

Há sítios onde apetece entrar quando o Inverno se instala. Pela comida, pelo ambiente, pela sensação de conforto quando tudo lá fora parece hostil. Ficam cinco sugestões de abrigo

Na Primavera aparecem artigos do género ‘As melhores Esplanadas’; no Verão, ‘Os melhores locais para comer peixe’ ou ‘ Os melhores restaurantes à beira mar’; e no início do Outono, ‘os restaurantes da rentrée’. Mas quando o Inverno se instala, nada. Nem as melhores lareiras, nem as melhores sopas de cavalo cansado. Nada de nada. Para dar alguma paridade às estações do ano, deixamos-lhe cinco restaurantes para aquecer a alma nestes dias frios de Inverno. Com lareira ou sem lareira.

Ferrugem

Não é fácil chegar lá, pelo que o ‘roadbook’ que existe no site pode ser um bom auxiliar. Portela é uma aldeia perto de Famalicão e foi onde o casal Dalila e Renato Cunha escolheu para viver e criar este restaurante de cozinha contemporânea de matriz tradicional. Não há serviço à carta, embora possa dar-se um jeito, caso seja mesmo muito necessário. Mas já que vai fazer uns bons quilómetros não perca o menu de estação (um dos três menus disponíveis), onde irá encontrar, entre outros pratos, um pastel de nata que é de bacalhau; umas sopas de cavalo cansado (está atribuído o prémio!) com verde tinto, broa de azeite e porco preto alentejano; um polvo com tinta (o) Afros Vinhão; ou umas pataniscas com arroz de tomate, que na verdade são pataniscas de chila com arroz-doce de tomate. Um Minho ousado à mesa, sem bairrismos. Contactos: Rua das Pedrinhas, 32, Portela – Vila Nova de Famalicão; tel:252 911 700

Vallécula

O melhor para fugir ao frio é ir para o frio. Sabendo, depois, como fugir dele. Na região da Serra da Estrela, o Vallécula e a sua cozinha beirã serrana é um bom refúgio para reconfortar o estômago e a alma. Comece por uma morcela com grelos, que isto do Inverno não é para meninos. Depois avance-se para a capoeira e avie-se o galo estufado à moda antiga. Os filetes de novilho (isso mesmo, leu bem, filetes) de raça autóctone que só se arranja por estes lados são de converter qualquer vegetariano. Não termine sem uma pêra bêbeda e um digestivo de aguardente de zimbro da casa. Os vinhos são maioritariamente da região e se lhe oferecerem o da casa, beba-o à confiança. Contactos: Praça Dr. José de Castro Barreiros, Valhelhas; Tel: 275487123

Tasca do Joel

Que não se vá ao engano que de tasca esta Tasca não tem nada. Quer dizer, até tem um bocadinho. No espírito. Se resistir não entrar na garrafeira e loja gourmet, à esquerda, siga em frente e procure poiso. No caminho aproveite para dar uma olhada no expositor do peixe e ficar com uma ideia de ao que vai. Há uns pratos do dia e entradinhas que podem passar, por exemplo, por uns choquinhos com tinta, ou umas lulinhas ali da costa, muito bem confeccionadas. Depois, dependendo do que o mar tiver dado na véspera, avance para um peixe grelhado (um cantaril, por exemplo) com a particularidade de ser grelhados em forno a lenha (do pão). A Tasca do Joel é muito conhecida pela excelente garrafeira e caso se sinta perdido na escolha, por entre as muitas referências da lista, peça o branco que o amigo Dirk Niepoort faz para a casa. Contactos: Rua do Lapadusso, 73, Peniche; Tel 262 782 945

Spazio Buondi (o Nobre)

Esqueçam a imagem preconcebida que o nome poderá transmitir. O restaurante é mesmo o Nobre, dos mesmos Nobre, José e Justa, que nos anos 80, na Ajuda, recebiam mais políticos por metro quadrado do que a Assembleia da República em plenário. Escolha o que escolher mas se perder a sopa folhada de crustáceos (bem quente, a sair do forno. Está frio, lembre-se!) merece que a Emel lhe reboque o carro. Mas há mais entre clássicos e novidades. Coisas à moda da Justa, de raiz portuguesa, mas com influências de onde tiver que ser. O robalo assado em papillote é um must e, quando há, a perninha de cabrito no forno à transmontana é de lamber os dedos. De sobremesa raramente perco de vista as farófias, mas também já ouvi dizer bem da castanhada. Ah! Ao domingo há cozido à portuguesa. Contacto: Avenida Sacadura Cabral 53 B (ao Campo Pequeno), Lisboa ;Telefone: 217970760

São Rosas

Este é um daqueles lugares em cuja ementa fixa raramente encontro algo de muito excitante mas de onde saio sempre satisfeito. De facto, qualquer coisa que se peça tem normalmente a garantia de que é bem confeccionada e que a matéria-prima é de qualidade. Além disso, é um lugar acolhedor, sem grandes modernices, mas diferente do ambiente rústico habitual dos restaurantes regionais. A época das túberas, a trufa do Alentejo, é mais para o final de Fevereiro, pelo que é necessário uma alternativa. Se o objectivo é enganar o frio, uma sopa de beldroegas vai sempre bem. Depois, umas burras (bochechas) de porco ou um borrego assado no forno deixará qualquer um satisfeito. Mas não o suficiente para dispensar o óptimo pudim de Àgua de Estremoz ou a encharcada. Contactos: Largo D. Diniz,11 ; Estremoz ; Telefone: 268 333 345. »

In: http://economico.sapo.pt/noticias/onde-comer-para-aquecer_109914.html, a 30 de Janeiro de 2010, em Diário Económico

Bom Apetite

RT

Cabrito à Serrana…

A Primeira receita do Ano é Cabrito à Serrana

Cabrito à Serrana... Fonte: http://www.correio-mor.blogspot.com

« Cabrito à Serrana
Arganil


Ingredientes:

  • 1 Cabrito
  • 5 Dl de vinho branco de boa qualidade
  • 20 Dentes de alho
  • Banha de porco (q.b.)
  • 1 Folha de louro
  • Colorau (q.b.)
  • Sal (q.b.)
  • Pimenta (q.b.)
  • Salsa (q.b.)

Confecção:

Limpa-se a carne do cabrito e escalda-se com água a ferver. Faz-se uma mistura com a banha, os alhos picados, o sal, o colorau e a pimenta e barra-se o cabrito por dentro e por fora com este preparado.
Rega-se tudo com o vinho branco e deixa-se a marinar para o dia seguinte.
No dia seguinte leva-se a cozer em forno de lenha, numa caçoila de barro preto de Molelos, sempre com a caçoila destapada, de preferência em cima de paus de loureiro. Rega-se, de vez em quando, com vinho branco.
Quando o cabrito estiver bem assado, serve-se na própria caçoila, acompanhado com batatas miúdas assadas.
Nota: O cabrito deve ter entre 5 a 6 Kgs. no máximo.
É um prato tradicional da época natalícia.


fonte:
Paulo M. P. Jesus »

In: http://www.portugal.gastronomias.com/beira_litoral052.html, a 30 de Dezembro de 2011

RT

Conheça Como Pode Preparar uma Feijoada de Choco…

Feijoada de Choco
Ingredientes:

  • choco ;
  • feijão branco ;
  • azeite ;
  • cebola ;
  • tomate ;
  • louro ;
  • cenoura ;
  • salsa ;
  • chouriço ;

Confecção:

Demolhe o feijão de véspera.
Faça um refogado com azeite, cebola, tomate e louro.
Junte o choco limpo, cortado aos pedaços e deixe cozer.
Misture o feijão, previamente cozido, e a cenoura e deixe apurar.
Decore com chouriço e salsa e arroz branco.

 

In: http://www.gastronomias.com/receita-da-quinzena/peixe.htm, a 12 de Dezembro de 2010

RT

Patê de Atum Com Salchichas e Cebolinhas…

Patê de Atum Com Salchichas e Cebolinhas... Fonte: http://www.portaldacidadania.blogspot.com

A Sugestão de Hoje é…

 

Patê de Atum com Salsicha e Cebolinha

 

Ingredientes:

1 lata de atum ralado escorrido
2 colheres de sopa de maionese
salsinha e cebolinha a gosto

Preparação:
É só misturar o atum e a maionese
amassando com um garfo e finalizar
com a salsinha e a cebolinha.

 

In: http://www.receitassimples.com.br/Receita.php?Pate-de-atum-com-salsinha-e-cebolinha, a 07 de Dezembro de 2010

RT

A Receita Deste Domingo é: Massa com Espinafres e Bacon

Masa de Massa com Espinafres e Bacon Fonte: http://www.moliveiracookbook.blogspot.com

Massa com Espinafres e Bacon

Ingredientes

  • 400 gr de Espinafres (pode utilizar congelados, em folhas ou picados)
  • 200 gr de Bacon
  • 5 Dentes de Alho picados
  • Azeite q.b
  • Sal e pimenta a gosto
  • Queijo ralado
  • 1 Cubo de Caldo de vegetais ou galinha
  • Massa de seu gosto (espirais, esparguete, macarrão)
  • 2 a 3 Pacotes de Natas

 

Preparação

Descongele os espinafres, ou se utilizar frescos coza-os previamente.
Coza a massa em água, sal e meio cubo de caldo de vegetais e reserve.

Numa frigideira coloque os alhos bem picado  e azeite e deixe alourar um pouco, adicione o bacon em cubos. Deixe alourar em lume brando. Adicione os espinafres e envolva bem, adicione a outra metade do caldo de vegetais e tempere com sal e pimenta a gosto. Deixe cozinhar durante alguns minutos e adicione as natas. Envolva bem. Adicione a massa e envolva bem.

Sirva polvilhado com queijo ralado, ou leve ao forno a gratinar.

Sirva como acompanhante ou mesmo como prato principal.

Sugestão: Torne esta receita um pouco mais light substituindo as natas por natas light.

 

Fonte: http://www.aprenderefazer.com/?p=1333

AC