Local Ideial de Férias a Dois

Destino de Férias a Dois... Fonte: http://www.plazaanchieta.com.br

Hoje trago um artigo que versa sobre o local ideal de férias a dois, ou quem sabe, mesmo uma Lua de Mel…

« Este é o destino ideal para férias a dois

Tailândia aposta no mercado de casamentos e luas-de-mel

A Tailândia está a apostar no segmento dos casamentos e luas-de-mel. O país considera ser «ideal» para férias a dois, e pretende atrair casais que queiram dar o nó ou estejam agora nas suas primeiras núpcias.

A Autoridade de Turismo da Tailândia promoveu recentemente um seminário sobre o tema que contou com a especialista Jacqueline Johnson. «Quando diz respeito ao amor, os consumidores gastam dinheiro, independentemente de qual seja o actual estado económico do País. Os casais continuam a sonhar com o casamento e lua-de-mel de conto de fadas», disse na altura.

No dia 14 de Fevereiro, dia de S. Valentim, a Autoridade de Turismo da Tailândia lançou o micro site «Honeymooning-in-thailand.com», com o objectivo de ajudar os casais a planear a viagem das suas vidas.

De acordo com a revista de turismo Americana «Recommend», na sua edição de Janeiro de 2011, a Tailândia foi eleita pela comunidade de agentes de viagens como «O Destino de Lua-de-mel mais romântico e sexy de toda a Ásia».

Uma das estratégias de marketing da Autoridade de Turismo da Tailândia para 2011 é posicionar-se como um dos principais destinos de casamentos e lua-de-mel no mercado americano, dando enfoque a Banguecoque, Chiang Mai, Chiang Rai, Phuket, Samui e Hua Hin/ Pran Buri. Além dos Estados Unidos, a Tailândia pretende ainda apostar noutros países que se estão a tornar principais mercados de casamentos e lua-de-mel, como Índia, Coreia, Japão, França e Estados dos Emirados Árabes »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/tailandia-ferias-viagens-lua-de-mel-casamento-agencia-financeira/1238912-1730.html, a 16 de Março de 2011, em Agência Financeira

Boas Férias

RT

Anúncios

Sugestões de Onde Passar o Carnaval…

Onde Passar o Carnaval... Fonte: http://www.grandeabobora.com

Já sabe onde vai passar o Carnaval? Deixo aqui algumas sugestões para o efeito que li num diário da nossa praça.

« Viagens: estes são os melhores Carnavais da Europa

Com o Carnaval quase à porta, muitos portugueses aproveitam a folga para fazer umas mini-férias e espairecer. O hotéis.com reuniu aqueles que considera «os melhores Carnavais da Europa»

Rússia: Antes da Quaresma, celebra-se a Maslenitsa (Entrudo), um festival de uma semana que é a celebração Ortodoxa mais popular da Rússia. A Maslenitsa é um símbolo do adeus ao Inverno e boas-vindas à Primavera, e a palavra deriva de «Maslo», que significa «manteiga». As panquecas são um item fundamental nesta celebração, simbolizando o sol da Primavera. A «cidade Maslenitsa», perto da Praça Vermelha, estará aberta de 28 de Fevereiro a 6 de Março, oferecendo todo o tipo de animação e delícias. O dia mais importante é o último Domingo antes da Quaresma, no qual todas as pessoas pedem aos seus conhecidos perdão por insultos e problemas. No fim das festividades, é queimado o espantalho do Entrudo, que simboliza o final do Inverno. O hotéis.com sugere o Hotel Savoy Moscovo, desde 171 euros.

Alemanha: Existem três grandes centros de festejo do Carnaval na Alemanha: em Colónia (o mais importante e famoso), Düsseldorf e Mainz. O arranque do Carnaval alemão é a 11 de Novembro, às 11h11, que é quando o Carnaval começa. As festividades de Carnaval começam na Quinta-feira de cinzas (3 de Março) com o «Carnaval das Mulheres», em que uma mulher pode beijar qualquer homem desde que antes lhe corte a gravata; depois na «Segunda-feira cor-de-rosa» (7 de Março) há enormes desfiles de rua com mascarados, bailarinos, e carros decorados; na Terça-feira de carnaval (8 de Março) há bailes de máscaras, e a «Quarta-feira de cinzas» marca o final do Carnaval e o início do período de jejum, até à Páscoa. O hotéis.com sugere o Hotel Hilton de Colónia, a partir de 160 euros.

França: Em França celebra-se o Carnaval de Nice, o principal evento de Inverno da Riviera francesa, e que este ano terá lugar de 18 de Fevereiro a 8 de Março. O tema deste ano prende-se com a natureza, e será reflectido em desfiles a decorrer de dia e de noite (de flores, de luzes e de Carnaval) com 1.000 músicos e bailarinos de todo o mundo num só lugar, conhecido internacionalmente como «La Promenade des Anglais». O hotéis.com sugere reserva no Hotel Ellington, em Nica, a partir de 77 euros.

Países Baixos: Existem dois tipos de Carnaval nos Países Baixos. O Carnaval de Rijnlands, celebrado no Sul e Sudoeste do país; e o Carnaval de Bourgondisch, celebrado no Norte e Oeste da província de Brabant. Oficialmente, o Carnaval é de 6 a 8 de Março mas na realidade as festividades têm início a 11 de Novembro (às 11h11 começou a época de Carnaval). As tradições incluem a entrega de uma chave simbólica da cidade pelo Presidente da Câmara ao Príncipe do Carnaval, para ter poder nos três dias seguintes, que serão de festas e desfiles. Pode ficar no Golden Tulip Apple Park Hotel (Maastricht), desde 54 euros ou no Crown Inn (Eindhoven), desde 48 euros.

Itália: O Carnaval de Veneza é uma das festas mais antigas do mundo. Este ano, entre 26 de Fevereiro e 8 de Março as ruas estarão repletas de bandas, máscaras tradicionais, teatro de rua, etc. A cerimónia de abertura começa com o «Voo do Anjo», uma tradição antiga que consiste numa mulher jovem (normalmente conhecida do público) que surge do Campanário da Torre da Praça de São Marco. Segue-se a celebração da Feste delle Marie (que celebra a liberação das mulheres das mãos dos piradas da Istria). Muitos eventos, tais como festas e bailes de máscaras (Baile Casanova, baile da água, e Noite Dourada) têm lugar nos palácios antigos, e alguns são exclusivos para convidados! Tem o Hilton Molino (Veneza), desde 164 euros.

Dinamarca: É festejado o Fastelavn, que ultimamente se transformou num festival para crianças. O Fastelavn não tem lugar apenas num único dia do ano, mas sim sete semanas antes da Páscoa. As crianças mascaram-se e tentam bater com um pau num barril até ele se partir: é o chamado «fazer o gato sair do barril». O hotel recomendado é o Clarion Collection Hotel Twentyseven (Copenhaga), desde 134 euros. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/dinheiro/viagens-hoteis-ferias-carnaval-agencia-financeira-europa/1234141-3851.html, a 18 de Fevereiro de 2011, em Agência Financeira

 

RT

Mais uma de Barcelona…

Mais uma de Barcelona... Fonte: http://www.ionline.pt

Hoje trago mais uma notícia relacionada com Barcelona, passo a partilhar a mesma com vocês.

« Barcelona Toy Travel. A agência de viagens para peluches

Por 70 euros pode mandar o seu boneco passear pelas atracções turísticas de Barcelona. Lisboa pode ser o próximo destino

No filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, Amélie decide roubar o gnomo de barro do jardim do seu pai e dá-lo a uma amiga hospedeira que o leva a passear. A partir daí, o pai começa a receber pelo correio fotografias do gnomo viajante nos quatro cantos do mundo. Inspirado por esta cena, Daniel Bacho, de 26 anos, lembrou-se de criar uma agência de viagens só para bonecos de peluche. “Queria fazer uma coisa parecida com a cena do filme e no início nem pensei que isto se tornasse um negócio”, conta ao i o checo de 26 anos que se mudou para Barcelona para estudar espanhol.

Desde que a Barcelona Toy Travel começou a funcionar, em Novembro do ano passado, mais de 20 bonecos já passearam pelas atracções turísticas da cidade catalã. Das Ramblas à Sagrada Família, sem esquecer o estádio Camp Nou, os peluches têm direito a passar uma semana de férias em Barcelona. Os donos vão recebendo notícias em casa através do e-mail e do Facebook e no final da viagem recebem o seu boneco de volta e um álbum de fotografias. “As pessoas inscrevem-se no nosso site, escolhem o tipo de viagem que querem e enviam-nos o peluche pelo correio.” Os preços começam nos 70 euros (com 6 dias de passeio pelo centro histórico, um CD com 20 fotografias e uma recordação da cidade) e os 100 euros (que incluem uma visita às casas de Gaudí ou ao estádio do Barça, dependendo dos interesses do boneco). Por 90 euros, os amigos de pelúcia podem também provar tapas e conhecer outros bonecos num piquenique na praia.

“Mandamos sempre notícias por e-mail, para as pessoas saberem que ele ou ela está bem”, diz Daniel. A maior parte dos clientes ou são jovens entre os 25 e os 30 anos ou pais interessados em surpreender os filhos. “Ainda não tivemos nenhum peluche português, mas já recebemos alguns vindos do Japão.”

A agência para bonecos que Daniel criou com a namorada já vem mencionada no site da Lonely Planet e pensa expandir as suas viagens para Portugal. “Se tudo correr bem vamos até Lisboa e ao Porto, que também são bons destinos turísticos.” Tal como as agências para humanos, a de peluches tem uma promoção especial para o Dia dos Namorados: aceita casais e tem visitas aos sítios mais românticos de Barcelona. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/103204-barcelona-toy-travel-agencia-viagens-peluches, a 08 de Fevereiro de 2011, em Jornal I

RT

Que Tal Visitar os Açores Por 250€? Conheça Aqui os Detalhes da Promoção…

Conheça os Açores por 250€ Fonte: http://www.dinheiro.xoose.pt

Hoje trago uma campanha que vi num diário da nossa praça no decorrer do dia de ontem, e que versa fomentar o turismo na região insular dos Açores.

«Visite os Açores por 250€ com voo e estadia incluidos

A campanha promocional “visitAzores com voo incluído” arranca sexta feira, oferecendo pacotes de visita a qualquer ilha dos Açores entre os 250 e os 260 euros por pessoa, incluíndo estadia e viagem de avião.

A campanha, organizada em conjunto por um grupo de empresários açorianos, liderados pela Câmara do Comércio e Indústria dos Açores (CCIA), vai vigorar apenas na época baixa, entre 15 de Outubro de 2010 e 31 de Março de 2011.

Sandro Paím, presidente da Direção da CCIA, explicou à Lusa que o objetivo da promoção é “aumentar o fluxo turístico nos Açores na época baixa”, altura em que as unidades hoteleiras registam taxas de ocupação muito baixas.

O empresário adiantou ainda que a campanha acabou por “assumir uma nova forma” em relação à ideia inicial, que passava por serem os hoteleiros a suportar os encargos com as viagens dos turistas aos Açores.

Segundo o empresário, foi possível, através de uma “união de esforços” e de uma “junção de interesses”, diluir o preço da passagem aérea no valor final da campanha, acessível a todos os turistas que pretendam visitar a Região e que permaneçam nas ilhas pelo menos cinco dias.

“Os hotéis reduziram as suas margens e também as companhias aéreas Sata e TAP baixaram o custo das passagens para que pudéssemos chegar a estes valores”, destacou Sandro Paím, salientando que existem já “50 hotéis na região” que aderiram ao projeto.

Para acederem a esta campanha, os interessados devem consultar o endereço na internet www.vooincluido.com e escolher a ilha que pretendem visitar ou, em alternativa, consultar as agências de viagens aderentes, que também poderão aderir à iniciativa através do mesmo portal.

Esta iniciativa, aguardada com grande expetativa, ajuda a ultrapassar um dos maiores entraves na vinda de turistas para os Açores, ou seja, o elevado custo das passagens áreas, colocando agora a Região ao nível de outras campanhas promocionais de valor acessível. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/83260-visite-os-acores-250-com-voo-e-estadia-incluidos, a 14 de Outubro de 2010, em Jornal I

Boas Visitas!

RT

Faça Férias em Castelos…Conheça Alguns A Nível Mundial…

Turismo em Castelos... Fonte: http://www.agenciafinanceira.iol.pt

De forma a fugir a rotina, porque não realizar umas férias num castelo, li à uns dias atrás uma reportagem sobre o tema, vou a transcrever na íntegra, para que possa ler, e escolher umas férias dignas de monarquia.

« Férias: hotéis que são castelos

Turistas fazem viagem no tempo em castelos centenários que, agora hotéis, preservam a sua História

Nem só princesas, príncipes, reis e rainhas dormem em castelos. Muitos destes monumentos centenários podem ser visitados por turistas, não só por mero apetite cultural, mas também para pernoitar. São autênticas viagens pela história, em plena época de férias. O «The Huffington Post» foi descobri-los.

Castelo Medieval de Burgos, Espanha

Burgos é a cidade que do herói épico El Cid que se notabilizou nas lutas contra os mouros no século XI. Este castelo constitui o berço da cultura castelhana medieval. Princesas, príncipes, cavaleiros a sério peregrinos medievais: é só dar asas à imaginação. Para uns dias de férias, o Landa Palace Hotel, castelo do século 14 convertido num hotel de 39 quartos, incluindo piscina, de inspiração gótica é a escolha ideal. O castelo acolhe com frequência os peregrinos a caminho de Santiago de Compostela.

Castelo Henderson em Kalamazoo, Michigan

Tomar um banho de água quente sobre o telhado de um castelo em Michigan: parece impossível, mas não é. Henderson Castle B & B, construído em 1895 sobre uma colina e coberto por muitas árvores, este castelos é um dos monumentos mais conhecidos de Michigan. Um refúgio do passado, com tectos pintados à mão, mas também um ícone do presente com Internet sem fios.

Château de Chanzé, França

No Château de Chanzé pode passar umas férias por 30/40 euros por noite. Aninhado num campo verde francês, o castelo do século XVI está decorado num estilo renascentista. A piscina aquecida, a vista sobre o vale do rio Loire e uma impressionante biblioteca, com uma passagem mistério, são algumas das atracções.

Castelo Amberly, Sussex, Virgínia

Com 900 anos de idade, o Amberley Castle, convida os visitantes a viajar para um passado remoto, assim que chegam ao portão principal. O bom gosto da decoração, a biblioteca e o restaurante de luxo dão garantias de uma experiência para mais tarde recordar.

Carbisdale, Escócia

O Carbisdale Castle Youth Hostel foi construído para a Duquesa de Sutherland, nas margens do rio Kyle, em 1906. E, desde então, tem abrigado as personalidades mais ricas e influentes. A grande colecção de arte e o exército de estátuas de mármore italiano em exposição, na galeria principal, são a senha de entrada para umas férias culturais. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/turismo/castelos-ferias-viagens-turismo-agencia-financeira/1186027-5208.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+iol%2Fagenciafinanceira+%28Ag%C3%AAncia+Financeira%29, em Agência Financeira a 21 de Agosto de 2010.

Boas Férias

RT

Conheça o Destino Turistico Mais Procurado no Ano…2020…

Destino Mais Procurado em 2020 Fonte: http://www.g1.globo.com

Hoje trago um artigo sobre uma peça que versa sobre uma curiosidade, em qual será o destino de férias mais procurado em 2020, vou transcrever a peça jornalística.

« Viagens: este destino vai ser o mais procurado em 2020

França lidera actualmente o turismo mundial, seguida dos EUA. Mas ambos serão ultrapassados nos próximos anos

Os principais destinos do mundo em termos turísticos estão a mudar. Dentro de uma década, o actual líder vai ser destronado.

Dados do Conselho Mundial de Viagens e Turismo citados pelo espanhol «Expansión» referem que os maiores destinos de turismo no mundo estão a registar cada vez mais procura. A França é actualmente o país de eleição, ou seja, aquele que recebe mais turistas. Este ano, o país dos croissants e do champagnedeverá receber 70,9 milhões de visitantes e daqui para a frente, o número continuará a subir, mas cada vez menos. Em 2020 vai ficar-se pelos 91,6 milhões, e perderá o primeiro lugar das preferências.

Os Estados Unidos, actualmente o segundo destino turístico mundial em número de visitantes, também perderá essa posição na próxima década. Para este ano são esperados 55,5 milhões de turistas, e em 2020 serão 81,1 milhões.

O novo líder do sector, que ocupa actualmente a terceira posição, será a China. Depois de receber este ano 54,7 milhões de turistas, de acordo com as previsões do Conselho Mundial, o número de turistas vai disparar ano após ano, até chegar aos 103,6 milhões em 2020. Os Estados Unidos serão ultrapassados já em 2011, a França em 2018.

O pior comportamento entre os países mais procurados para férias será, ainda assim, o da vizinha Espanha. Actualmente como 4º destino mundial, mas muito perto do 3º e 2º, com 52,8 milhões de turistas, registará subidas ligeiras durante a próxima década e chegará a 2020 com 65,7 milhões de visitantes. Manterá a quarta posição, mas a uma distância muito maior dos líderes do pelotão.

A Itália manterá a 5ª posição, passando dos 41,5 milhões de turistas previstos para este ano, para 55,1 milhões daqui a uma década. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/china-eua-franca-turismo-ferias-viagens/1185895-1730.html, a 20 de Agosto de 2010, em Agência Financeira

RT

Guia Para Gozar Férias Sem Olhar Para a Idade…

Férias para todas as idades... Fonte: http://www.agenciafinanceira.iol.pt

Hoje trago um roteiro de destinos de férias sem limite de idade que saíram este mês num site da Agência Financeira, vou transcrever o mesmo.

«Férias sem limite de idade. Veja aqui

Termas, campos de golfe, férias ecológicas ou passadas na companhia dos animais de estimação são algumas das sugestões para os mais velhos, nem por isso menos activos

Envelhecer não implica parar. As pessoas vivem cada vez mais tempo e têm cada vez mais fôlego para trabalhar, mas também para ir de férias.

O site de reservas Hotéis.com sugere uma lista de hotéis longe da confusão da praia. Termas, campos de golfe, rótulos ecológicos são algumas das principais atracções. Há até hotéis onde os donos podem vir acompanhados dos seus amigos de quatro patas.

Danubius Hotel Gellert, Budapeste, Hungria

Este hotel fica na cidade da água que cura e é, por isso, um dos melhores locais para fazer termas. Na margem do rio Danúbio, partilha o edifício com o famoso Gellért Bath and Spa Budapest.

Um espaço com vários extras: piscina gaseificada interior, banhos termais, piscina exterior com banho de ondas, banho termal exterior, jacuzzi, banho turco, sauna, solário e massagens. Tudo a partir de 70 euros.

Thermae 2000, Valkenburg, Holanda

Construído na encosta da montanha Cauberg, este hotel oferece as condições ideais para banhos de saúde, com água rica em minerais.

Mas há mais: vários tipos de sauna (de eucalipto, exterior, romana e turca), tratamentos de desintoxicação, anti-envelhecimento e de redução do stress, bem como inúmeros tratamentos de beleza e massagens (ayurvedica, shiatsu, pedras quentes, mel russo, pantai luar). Uma experiência a partir de 216 euros, para um quarto duplo.

Gleneagles Hotel, Tollcross, Escócia, Reino Unido

Considerado um dos melhores resorts de golfe do Reino Unido e até de todo o mundo, é aqui que se encontram três dos principais campos de torneios de golfe escoceses.

Mas há mais para além do golfe: piscina exterior aquecida, courts de ténis, solário ou banho turco. E ainda aulas de tiro, falcoaria e um centro equestre. Férias que ficam por, pelo menos, 308 euros.

The Grand Del Mar, San Diego, Califórnia, E.U.A.

Este resort possui um campo de golfe de torneios, o Grand Golf Club, mundialmente reconhecido.

Os hóspedes podem comer no Addison, o restaurante que tem recebido vários prémios desde que abriu, em 2007. Os turistas podem ainda alugar carros de golfe e desfrutar de banheiras de hidromassagem, numas férias que custam 278 euros por cada quarto duplo.

Hotel Jardim Atlântico, Madeira, Portugal

Para quem aprecia umas férias com rótulo verde, nada como dar um salto à Madeira. O Hotel Jardim Atlântico é uma das poucas instituições hoteleiras portuguesas a deter a Eco-Label (rótulo ecológico) da Comissão Europeia.

Um hotel «verde» desde 1993, onde se podem saborear pratos típicos da região, mas também dietas integrais e de frutas. Todos os alimentos são naturais, comprados aos agricultores locais e o pão é caseiro. Ali as férias ficam por 87 euros por dia.

Maya Ubud Resort and Spa, Ubud, Indonésia

Este hotel espreguiça-se por 10 hectares de colinas verdes, numa península sobre dois vales, deslizando do topo da colina até ao rio. Recebeu um prémio de hotel ecológico este ano e também o de melhor hotel do sudoeste asiático, melhor spa e melhor resort.

Hotel Skt. Petri, Copenhaga, Dinamarca

Para quem não vai de férias sem o animal de estimação, o Hotel Skt. Petri em Copenhaga é uma aposta segura. Depois do check-in, o animal é alimentado com biscoitos caseiros com o seu nome gravado. O hotel encarrega-se de o passear e há camas e taças especialmente desenhadas para o amigo de quatro patas. Umas férias que custam 133 euros por dia.

Travel Charme Kurhaus Sellin, Ostseebad, Alemanha

Vida de cão pode, afinal, ser de luxo. Neste hotel, cão e dono nunca têm que se separar: os quartos, o bar e o terraço são abertos aos hóspedes de quatro patas. Umas férias diferentes, a partir de 115 euros.  »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/turismo/ferias-turismo-hoteis-lazer-viagens-agencia-financeira/1183834-5208.html, a 11 de Agosto, em Agência Financeira

RT

Marina Bay Sands É O Hotel Mais Caro do Mundo… Conheça Aqui Os Detalhes…

Marina Bay Sands - O Hotel Mais Caro Do Mundo Fonte: http://www.agenciafinanceira.iol.pt

Hoje trago uma peça jornalística que versa sobre uma curiosidade, neste caso, o hotel mais caro do mundo, passo a transcrever a referida peça.

« O hotel mais caro do mundo

Marina Bay Sands tem, entre outros requintes, a maior piscina ao ar livre do mundo

Numa altura em que a maioria dos portugueses anda à procura de férias low-cost, há quem não se prive de nada. Prova disso mesmo é que o hotel mais caro do mundo não se tem queixado de falta de clientela.

O Marina Bay Sands abriu portas no passado mês de Junho em Singapura e está já na rota dos hotéis mais luxuosos e originais de sempre. Não por causa dos seus 55 andares nem por causa dos 2.560 quartos, mas por causa da sua piscina, que deixa qualquer um sem fôlego, mesmo que não a atravesse debaixo de água.

Num primeiro olhar, parece infinita, mas na verdade, tem «apenas» o comprimento equivalente a três piscinas olímpicas e está assente numa plataforma cuja extensão ultrapassa a altura da Torre Eiffel. É a maior piscina ao ar livre do mundo, com 150 metros, e foi inspirada na construção de arrozais em terraços em Bali.

O complexo hoteleiro que cobra a partir de 260 euros por noite, é constituído por três torres, mas brinda os visitantes com outros detalhes de requinte: um pavilhão de cristal, um teatro e um museu em forma de flor de lótus. »

In: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/empresas/hoteis-turismo-ferias-viagens-marina-bay-sands-luxo/1184002-1728.html, a 12 de Agosto de 2010, em Agência Financeira

RT

Conheça Os Grandes Destinos Mundiais Que Existem em Portugal…

Resposta ao Repto Presidencial...Grandes Destinos Mundiais em Portugal... Fonte: http://www.ionline.pt

Hoje trago algo que achei piada e que se trata de uma resposta ao nosso Presidente da Republica, para passarmos férias dentro do nosso país, vou transcrever a mesma, mas vou não vou comentar a mesma.

«Vá para fora cá dentro. Interpretação literal do repto presidencial

Três continentes em três dias e um só país? Em Portugal, ir de França a Cuba é como ir de Trás-os-Montes ao Alentejo. Mesmo

Quando Cavaco Silva sugeriu a 5 de Junho que os portugueses deviam fazer férias cá dentro, evitando sair para o estrangeiro, o intrépido explorador dentro de cada um de nós soluçou – e em desespero percorreu Copenhaga, Tóquio, Texas, Estocolmo e Oslo, tudo na mesma noite. Estes bares do Cais do Sodré podem servir para afogar as mágoas, mas não matam o bichinho de galgar quilómetros.

“Neste tempo difícil que atravessamos, os portugueses devem fazer turismo no seu próprio país, pois é uma ajuda preciosa para ultrapassar a situação difícil em que o país se encontra”, anunciou o Presidente da República depois de cortar a fita de um pavilhão desportivo em Albufeira.

Atendendo às preocupações de Cavaco e às dos jovens modernos que sentem a necessidade de actualizar o status do Facebook com todos os sítios por onde passam, encontrámos uma maneira de conciliar as duas vontades. Uma interpretação extrema do repto presidencial aliada à beleza da toponímia homófona. É possível num dia percorrer Toledo (como a cidade Espanhola), ir almoçar marisco a Porto Novo (capital do Benim), lanchar em Gibraltar (dizer olá aos ingleses) e jantar na Galiza – um gelado do Santini na província espanhola?  Outros roteiros mais ambiciosos propõem uma escapadela de dois dias por França (a de Trás-os-Montes), Jerusalém (aldeia também conhecida como Jerusalém de Romeu) e Castela. São Paulo está ao alcance de toda a gente que faça um desvio em Pombal; e Cuba fica mesmo a mão durante qualquer viagem ao Alentejo. Tal como a Califórnia. Não há, neste roteiro, Torre Eiffel, escolas de samba, terras santas ou estrelas de cinema. Mas há comunistas, aldeias de xisto e açordas de espargos. Um roteiro alternativo para agradar ao presidente sem deixar de laurear a pevide.

França (Bragança)

População 275
Área 56 km2
Atracções No coração do Parque Natural de Montesinho, onde o Norte de Portugal se funde com a Galiza. As casas de granito e os telhados de lousa fazem desta aldeia um museu ao ar livre.
Onde ficar Solar de Rabal, mansão restaurada na aldeia de Rabal. A 10 minutos de carro de França.
Km de Lisboa 543 (5h43)
Km do Porto 299 (3h)

Jerusalém de Romeu (Mirandela)

População 301
Área 14,2 km2
Atracções Perto de Jerusalém do Romeu há o Monumento ao Jet Ski. A aldeia tem uma famosa ponte ferroviária da Linha do Tua, casas de xisto e o restaurante Maria Rita – açorda de espargos bravos e bacalhau à Romeu fazem parte do menu.
Onde ficar Casa dos Araújos, turismo rural na aldeia de Frechas.
Km de Lisboa 482 (4h50)
Km do Porto 168 (2h)

Malta (Vila do Conde)
População 1206
Área 1,85km2
Atracções O nome vem da Abadia de Malta, edifício pertencente à ordem com o mesmo nome. Existe ainda a Capela de Santa Apolónia.
Onde ficar A Residencial Falcão, em Pinhel, é o alojamento mais próximo. Lugar modesto para passar a noite e mais em conta do que a nação homónima.
Km de Lisboa 337 (3h)
Km do Porto 27 (26m)

São Paulo de Frades (Coimbra)
População 5912
Área 15km2
Atracções Impressione os amigos e diga a toda a gente que vai a São Paulo visitar a Igreja Matriz. Depois volte no dia seguinte com um sorriso largo e trocista. A piada não é assim tão boa, mas a verdade é que nada disto lhe vai ficar caro.
Onde ficar A oferta em Coimbra é vasta e fica mesmo ali ao lado.
Km de Lisboa 211 (2h11)
Km do Porto 121 (1h20)

Toledo (Lourinhã)
População 1143 (freguesia do Vimeiro),
Área 7km2
Atracções Tal como Toledo, em Espanha, esta pequena aldeia tem um passado bélico. Foi aqui perto que se travaram algumas batalhas das Linhas de Torres.
Onde ficar O Hotel Golf Mar, junto à praia de Santa Rita, domina a paisagem e oferta hoteleira
Km de Lisboa 118 (1h30)
Km do Porto 232 (2h21)

Porto Novo (Maceira)
População Em época alta corresponde à taxa de ocupação das pensões à beira-mar
Área Depende da maré
Atracções Porto Novo é a capital do Benim. Como as probabilidades de visitar este país entre a Nigéria e o Congo são escassas, fique-se pela belíssima praia entre Santa Cruz e o Vimeiro
Onde ficar Ver “Toledo”
Km de Lisboa Subtrair quilómetros a Toledo
Km do Porto Somar quilómetros a “Toledo”

Gibraltar (Torres Vedras)
População 2081 (freg. da Ponte do Rol)
Área 9km2
Atracções A placa a anunciar “Gibraltar” parece faz sucesso junto dos turistas ingleses. A aldeia está perto de Torres Vedras e das praias do Oeste.
Onde Ficar A residencial O Ninho, na aldeia de Casalinhos de Alfaiata, oferece alojamento a uma belíssima relação qualidade-preço.
Km de Lisboa 63 (1h)
Km do Porto 281 (2h42)

Galiza (Cascais)
População indisponível
Área indisponível
Atracções Galiza é um bairro perto de São João do Estoril. Nos arredores há uma casa de gelados Santini, menos conhecida e menos movimentada.
Onde ficar Em casa, se viver em Lisboa.
Km de Lisboa 5h a pé
Km do Porto Três dias a andar. É mais fácil chegar à outra Galiza e até há uma justificação para isso: a romaria a Santiago de Compostela

Califórnia (Montemor-o-novo)
População Provavelmente nenhuma
Área n/d
Atracções No coração do Alentejo, acessível por uma estrada de terra. Não é uma aldeia ou bairro, mas sim um “lugar”, com o que de vago a definição carrega. Perto de Casa Branca ou Santiago do Escoural.
Onde ficar As lojas Decathlon e Sportzone têm uma oferta variada de tendas a bons preços
Km de Lisboa 116 (1h22)
Km do Porto 426 (4h)

Cuba (Beja)
População 310
Área 69 km2
Atracções A vila fez uso da confusão com o país do Caribe e anunciava à entrada: “Zona Livre de Armas Nucleares”. A alentejana não tem armas mas comunistas e uma estátua de Colombo, navegador que em 1492 aportou em Cuba – a americana.
Onde ficar Residencial Chave de Ouro, na Rua da Esperança.
Km de Lisboa 176 (2h)
Km do Porto 454 (4h)

Assunção (Elvas)
População 10.200
Área 8 km2
Atracções A riqueza de Assunção não está na sua terra nem na sua gente, mas sim na quantidade de resultados diferentes na Wikipedia quando pesquisamos o seu nome. Assunção pode ser um navio, um dogma católico ou a capital do Paraguai.
Onde ficar Sugerimos a Pousada de Elvas
Km de Lisboa 207 (2h)
Km do Porto 484 (4h20)

Castela (Ponte de Lima)
População 1176 (freguesia de Anais)
Área 7 km2
Atracções Este lugar na freguesia de Anais não tem nada a ver com o glorioso reino de Castela ou qualquer província espanhola. É um lugar ermo e desinteressante que permite, no entanto, uma série de trocadilhos divertidos com o nome da freguesia. É aproveitar.
Onde ficar n/d
Km de Lisboa 384 (3h35)
Km do Porto 71 (1h)»

In: http://www.ionline.pt/conteudo/64538-va-fora-ca-dentro-interpretacao-literal-do-repto-presidencial, a 15 de Junho de 2010,em Jornal I

Boas Passeatas!

RT

Conheça a Europa a Pé e Tenha Acesso a Paisagens Que Não Se Têm Acesso Através de Qualquer Transporte…

Conheça a Europa a pé Fonte: http://www.ionline.pt/

Hoje e por ser fim-de-semana, quase de Verão, ou seja, que estamos quase a entrar no período de férias que os Portugueses mais veneram, e como tal, nessa orientação, li na semana, que hoje apresenta o seu terminus, uma reportagem onde fala, de uma viagem a pé pela Europa, neste caso, entre Viena e Budapeste. Vou transcrever a referida reportagem, mas penso que não é necessário comentário da minha parte à mesma, deixo ao livre arbítrio o comentário dos leitores.

« A Europa descobre-se a pé

De Viena a Budapeste, 290 quilómetros para conhecer com pouco mais que botas e mochila

Estávamos em Dezembro de 1933 e um inglês de 18 anos, Patrick Leigh Fermor, calçou botas com protectores, vestiu um sobretudo em segunda-mão, agarrou numa mochila e deixou Londres a bordo de um navio com destino a Roterdão, a partir de onde planeava viajar 2400 quilómetros até Istambul – a pé, quase sem dinheiro. Com base nesta jornada de um ano escreveu dois livros: “A Time of Gifts” e “Between the Woods and the Water”.

Pode um jovem com pernas fortes e pouco dinheiro encontrar o mesmo espírito de hospitalidade que Leigh Fermor encontrou? No final de Março lancei-me a descobrir a resposta. O meu plano era caminhar de Viena até Budapeste, uma jornada de 290 quilómetros em que tentaria seguir o rasto de Fermor, ao longo do Danúbio até Bratislava, capital eslovaca, e depois até à Hungria. Após duas noites em Viena, estava impaciente. Por isso, atravessei o Danúbio, pus às costas a minha mochila de 20 quilos e comecei a caminhar pela Donauradweg, uma ciclovia que vai da nascente do rio até à sua foz, no Mar Negro. Neste primeiro dia, decidi levar as coisas com calma e fazer apenas 24 quilómetros. O ideal seria atingir 29 quilómetros por dia – umas seis horas a caminhar – para atingir o meu objectivo. Parecia razoável, num terreno plano.

No entanto, havia obstáculos ocultos. Uma tentativa de atalhar caminho por um depósito de combustível deixou-me com arranhões e mais cinco quilómetros. Mas se me tivesse mantido no trilho, nunca me teria cruzado com Jean-Marc e Marie, ciclistas franceses recém-casados que pararam para dizer olá quando viram um caminhante solitário. Estavam a gozar uma longa lua-de-mel: uma viagem de bicicleta de dois anos, desde a sua casa em Paris até ao Japão! “Sabem onde vão ficar esta noite”, perguntei-lhes. Não sabiam. Disse-lhes para se encontrarem comigo em Ort an der Donau, uma pequena vila austríaca uns quantos quilómetros Danúbio abaixo, onde arranjara lugar para ficar através do CouchSurfing.org.

Na manhã seguinte, a caminhada começou bem. Os meus pés estavam macios mas a planura da Marchfelddamm, uma berma alta que faz de ciclovia e impede inundações, assegurava-me que não teria de me esforçar: estava no coração do Parque Nacional de Donau-Auen. Passaram 20 quilómetros antes de parar para almoçar e mais dez antes de chegar ao meu objectivo do dia: Bratislava.

Depois do check-in no Hotel Kyjev fui para a rua: não estava moído, nem mesmo cansado. Tinha bolhas nos pés mas eram tratáveis. Os meus tornozelos, porém, estavam inchados. Tomei ibuprofeno, um duche e a seguir jantar. Era sexta-feira da Páscoa judaica e, tal como qualquer outro judeu errante, queria uma refeição do Sabbath. Graças à Chabad, a organização da comunidade de judeus hassídicos, consegui uma, na casa do rabi Baruch Myers.

No sábado, inspirado pelo rabi e por causa dos meus pés, descansei e contemplei o futuro. Tinha caminhado 65 quilómetros até aí e se os meus tornozelos serviam de indicação, nunca conseguiria fazer os restantes 225 quilómetros. A não ser… Se apanhasse um comboio num curto trajecto até Bratislava – digamos, 25 quilómetros para nordeste – poderia, seguramente, caminhar mais 15 quilómetros. Estaria a quebrar as minhas regras, mas tratavam-se de regras arbitrárias.

A tarde já ia avançada e os meus tornozelos gritavam. O mapa que guardava no meu iPhone colocava a próxima cidade a 25 quilómetros mais a leste. Precisava de descansar – mas onde? Enquanto caminhava pelo passeio, vi um homem e uma mulher da minha idade a passear o seu cão. No meu melhor eslovaco, perguntei: “Onde é que há um sítio para acampar?” Quinze minutos depois, estava sentado à mesa da cozinha da família.

Desde Velky Grob caminhei 25 quilómetros por estradas cobertas de lixo e terrenos agrícolas desoladores, chegando a Sered, uma cidade cinzenta que odiei. Era segunda-feira de Páscoa e tudo em Sered e no país inteiro, ou pelo menos assim parecia, estava fechado. No dia seguinte, o dono da pensão deu-me boleia por alguns quilómetros até Strkovec, uma propriedade onde Leigh Fermor tinha ficado com o Barão Philip Schey, um dos personagens mais coloridos dos seus livros.

Finalmente, chegara à Hungria e Budapeste ficava apenas a 65 quilómetros. Dois dias de caminho, se os meus tornozelos não se revoltassem. Antes, no entanto, tinha de me conseguir arrancar de Esztergom, a cidade mais bonita desde Viena.

Quando parti nessa manhã, descendo a ciclovia nas margens do rio, tive a dolorosa sensação de que a caminhada daquele dia – 25 quilómetros até Visegrad – poderia ser a última. Os meus tornozelos estavam inchados mas não doíam muito. Só que depois de três horas, estavam transformados em pára-raios de agonia. Cheguei a Visegrad a meio da tarde e montei a tenda (pela primeira vez) num parque de campismo à beira da estrada, sabendo que no dia seguinte, depois de visitar o castelo de Visegrad, no alto do monte, apanharia a camioneta para Budapeste.

E foi assim que o meu passeio teve um fim prematuro. Se fiquei desapontado por ter feito todo o caminho a pé? Nem por isso. Percorri 180 quilómetros a pé e vi coisas que nenhum outro viajante de autocarro ou de comboio teria visto. »

In: http://www.ionline.pt/conteudo/62606-a-europa-descobre-se-pe, a 02 de Junho de 2010, em Jornal I

Boas Caminhadas Europeias!

RT