Saude em Portugal, nem a passo de caracol….

Estamos no ultimo dia deste mês de Janeiro de 2008, está um dia que começou bastante frio, por isso, agasalhem-se…

LOL

Brincadeiras à parte.

Antes de continuar, solicito que vejam com os próprios olhos este magnifico video.

http://videos.sapo.pt/Jqim3j5WTIg9lCb2lpf4

Após verem este video, que ridiculariza o nosso ao momento ex ministro da saude da falsa democracia à beira mar plantada, só tenho a dizer:

– Esta demissão já deveria ter sido realizada à muito tempo, pois convenhamos que a política seguida por este ministro no que concerne à sua pasta, é ridicula, entendo que ele e os outros ministros e ainda por cima chefiados pelo sr Sócrates, andém obcecados com o défice, mas ao ponto de por a saúde/vida das pessoas em causa, é caso para dizer, é demais…

Este governo, ainda não percebeu que Lisboa não é Portugal, e que os restantes habitantes do país são bem mais que os de Lisboa, e contribuem para o Srs Ministros, como tal, são seres humanos, têm direito a pagar impostos, logo devem ter direito a saude em condições.

Boa decisão a demissão, agora começem por a ministra da educação, o das finanças, o da economia, e o ideal era mudar tudo, inclusivé o primeiro ministro e o PR.

Tenho dito.

RT

Anúncios

Apertar o cinto, ordem do SR PR…

a969eb2dea204cd888ec18a2741a8e50.jpg

Passo a transcrever a seguinte noticia na integra:

«Portugal “dificilmente escapará dos efeitos da crise” Cavaco comenta situação das Bolsas internacionaisO Presidente da República (PR) admitiu hoje, em Arouca, que Portugal “dificilmente” não será também atingido pela crise dos mercados bolsistas internacionais. Cavaco Silva que, por um lado, se mostrou confiante nas políticas do Governo e no tecido empresarial, por outro deixou um alerta para tempos difíceis que se aproximam.

Imprimir

Mas, apesar disso, Cavaco Silva manifestou confiança nos portugueses e mostrou-se contra qualquer ideia de pessimismo.

“Parecia inevitável que a crise dos mercados financeiros internacionais tivesse um efeito negativo sobre a economia real”, disse o PR ao recordar que na sua mensagem de Ano Novo já o tinha advertido.

“Portugal dificilmente não será também atingido um pouco por aquilo que se passa” a nível internacional, previu.

O alerta de Cavaco para o “aperto de cinto”

“Temos que nos preparar para uma nova realidade de taxas de juro mais elevadas, crédito mais escasso e clientes de Portugal com economias mais fracas”, alertou Cavaco Silva.

“Mas penso que Portugal, com confiança, políticas correctas, com rigor face aos recursos de que dispomos, pode ultrapassar as dificuldades”, disse.

“Tenho confiança nos portugueses, nos empresários portugueses, na sua capacidade de adaptação a esta realidade”, sublinhou Cavaco.

“As coisas mudaram”, alertou, sublinhando que “não podemos ter ilusões quanto a isso”.

O optimismo e as cautelas do Presidente

Numa nota de esperança várias vezes reiterada, Cavaco disse acreditar que Portugal “poderá ultrapassar” as dificuldades que afirmou, esperar, não sejam maiores.

A confiança do presidente é alicerçada no facto do investimento interno e externo dar bons sinais em 2008.

“A variável investimento é positiva para Portugal”, afirmou.

“Há vários projectos que irão começar durante o ano de 2008”, afirmou, voltando a alertar: “Mas temos que nos preparar a nível empresarial, e em particular, para apostas mais fortes na competitividade, inovação, e conquista de novos mercados”.

“Não podemos cair no desânimo e pessimismo”, afirmou, declarando-se contra “toda a ideia de pessimismo”, apesar da situação não ser fácil.

Para Cavaco Silva, a dimensão da crise bolsista “ultrapassa todas as análises que se faziam da crise do ‘subprime’ nos Estados Unidos”.

Economia “está hoje melhor” do que há dois anos

Cavaco Silva, reconheceu que a economia portuguesa está hoje melhor do que quando foi eleito para o cargo há dois anos.

“Tenho que dizer, com seriedade, que está melhor, na medida em que a taxa de crescimento económico é hoje mais forte do que era quando fui eleito”, reconheceu o Presidente.

“A confiança, apesar de tudo, também é hoje mais forte do que era há dois anos a esta parte”, disse.

Portugal e a aproximação à União Europeia

“Mas também disse, na minha mensagem presidencial de Ano Novo, que não estávamos suficientemente seguros em afirmar que Portugal vai aproximar-se, de forma sustentada, da média de desenvolvimento dos países da União Europeia”, declarou.

“As coisas apontavam que 2008 poderia ser um ano de aproximação a essa média, mas agora surgiram, no cenário internacional, indicações que dificilmente não terão efeito sobre todos os países da Europa”, afirmou.

Inquirido sobre se não se deveriam fazer correcções às previsões económicas, Cavaco Silva afirmou: “isso compete ao governo”

»

Noticia retirada do site: http://sic.sapo.pt/online/noticias/dinheiro/20080122+Portugal+dificilmente+escapara+dos+efeitos+da+crise.htm , em 22 de Janeiro de 2007

Acho engraçado, o PR vir a publico dizer que Portugal se ia ressentir da crise internacional, na minha opinião, nunca saimos dessa crise…que bem desde o início do século.

Nem com a troca de governo se andou para a frente, mas sim, andamos para trás, perdemos valores como a liberdade e caimos num fascimos à boa moda de 1974.

Sr PR, tome consiência, isto não é, nem nunca deveria ser um jogo de cores num tabuleiro em forma de Portugal, isto deveria ser uma entreajuda entre todos para termos um país melhor em todos os níveis.

Não tenho dúvidas que vamos cair de novo em recessão, ainda hoje vi na imprensa generalista que os idosos são os que menos ganham da UE, e os que mais pessimistas estão…porque será??

Os activos também têm receio das reformas e apesar dos ordenados de miséria que ha, ainda se poupa mais que os outros países da UE, ou seja, temos familias que estão a realizar um esforço brutal a todos os níveis e vem hoje o sr PR dizer que ainda temos que apertar mais o cinto??

Eu quero trabalhar, mas por ter qualificações a mais não encontro posto de trabalho, pois mesmo que concorra aos abaixo, dizem que tenho qualificações a mais, mesmo assim gastei um dinheirão num curso superior, pra receber em troca um não pelo investimento realizado…

Eu concordo que se importe as leis de la de fora, como é o caso da tão famosa lei do tabaco, leis de para as cartas condução, para a saude…etc, mas em troca exijo que se importem as leis dos rendimentos, ou seja, termos rendimentos ao nível dos outros países da UE e as mesmas respectivas regalias sociais em vigor, termos a saude e educação no mesmo patamar europeu…, etc

Tenho consiencia que nunca vai acontecer isso, é com tristeza que digo, o país que me viu nascer não me quer, e com certeza se calhar um dia vou dizer que tembém não o quero, o que deveria ser uma relação de simbiose entre país e cidadão, vai acabar, pois a juventude não tem culpa dos erros dos que cá andaram, não tem culpa de não ter emprego, não tem culpa de a assembleia da republica ser mais um jogo que um serviço ao cidadão.

Estamos fartos de sermos os ultimos da UE nas causas piores, de sermos um país facista em determinados aspectos, de não termos um ordenado condigno que nos permita ter uma vida como a dos nossos país, pelo menos, de termos uma habitação condigna das nossas necessidades, e de podermos ter os filhos que voces querem. Penso que não os vão ter, sem estabelecimentos de saude e de ensino, sem rendimentos considerados normais, sem habitação, e acima de tudo, sem reconhecimento e uma politica com visão no médio – longo prazo não vão lá.

Eu não invisto neste país enquanto não sentir que estamos a caminhar no rumo certo, nem eu, nem muitos jovens deste país, essa será sem duvida a vossa pedra no sapato, que vos vai impedir de progredir, e vai obrigar a apertar o cinto ainda mais que o sr PR vem a dizer hoje na imprensa generalista.

Força Portugal, tamos quase no abismo…

Tenho dito.

RT

Fim da autoridade dos docentes por um ensino mais transparente…

Passo a transcrever na integra:

« Quem tiver menos de 14 valores numa das componentes da prova fica de fora dos quadros do Ministério da Educação. Desta vez, a mensagem não é para alunos – é, sim, para os professores o decreto que regulamenta a entrada na carreira docente foi ontem publicado em Diário da República e mostra que o Governo (que chegou a admitir um recuo) foi intransigente nas regras básicas: depois da licenciatura e de um ano probatório, todos os candidatos terão que passar por três provas, para assegurar as respectivas capacidades – uma comum e duas específicas. E em todas têm que ter um “Bom”.

Durante duas horas, vão ser obrigados a responder pelo seu domínio da língua portuguesa, “tanto do ponto de vista da morfologia e da sintaxe, como no da clareza da exposição e organização das ideias”. A capacidade de raciocínio lógico na resolução de problemas e de reflexão sobre a organização e funcionamento da sala de aula, da escola e do sistema educativo são outros temas que vão fazer parte da avaliação nessa prova comum.

Os candidatos poderão ter de realizar mais duas provas específicas da sua área de docência outro teste escrito e uma oral ou prática, consoante seja oriundo de línguas, ciências experimentais, Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) ou expressões. Uma coisa é certa: se tiver menos de 14 valores em apenas uma das três componentes, fica de fora da carreira. A classificação final é calculada pela média aritmética dos resultados em cada prova.

O Governo considera que com estes exames, a carreira docente “fica reservada” para quem possui requisitos para um desempenho de “grande qualidade”. Já os sindicatos consideram que a medida pretende, “única e exclusivamente”, “disfarçar o desemprego”.

“É uma forma de o ministério dizer que as dezenas de milhar de docentes no desemprego não são afinal professores”, alega Mário Nogueira, ao JN. Tanto o secretário-geral da Fenprof como a dirigente da FNE, Maria Arminda Bragança, condenam a imposição de uma nota mínima (14 valores). “É uma hipocrisia”, insiste Mário Nogueira, porque “coloca em causa a formação concluída em cursos reconhecidos e financiados pelo Ministério da Ciência e Ensino Superior”, acrescenta Maria Arminda Bragança. “A existir alguma mudança na formação dos professores esta teria de feita ao nível do Ensino Superior”, concluiu.

Já a ministra da Educação faz um balanço “positivo” das alterações à carreira, defendendo que “as escolas estão a fazer um esforço enorme para combater o abandono e o insucesso escolar”. “É em função disso que devemos fazer uma avaliação dos resultados”, considera.

Docentes terão 20 dias úteis para estudar

No endereço electrónico da Direcção Geral de Recursos Humanos da Educação será anunciada a data da prova, 20 dias úteis antes da sua realização, assim como um “guia”, que informará desde os custos da inscrição à bibliografia recomendada.

“Bolsas de titulares” para avaliarem provas

Os exames serão realizados em “centros de provas”, cujos coordenadores – nomeados pelas direcções regionais – terão que constituir “bolsas de professores titulares que assegurem a correcção” da prova.

Mais de 5 anos de serviço dá dispensa

Ficarão dispensados da prova os docentes com cinco anos de serviço efectivo, que tenham celebrado contrato em dois dos últimos quatro anos e avaliação de desempenho igual ou superior a “Bom”.

Despachos que faltam

Para o cumprimento da lei, o Governo tem ainda de aprovar, em despacho, o calendário da prova, a duração das orais, os custos das inscrições e a nomeação do Júri Nacional. »

Noticia retirada na integra do seguinte endereço:

http://jn.sapo.pt/2008/01/22/nacional/governo_aceita_candidatos_a_docencia.html

do dia 22 de Janeiro de 2008

Após a leitura desta notícia, fico surpreendido que o que eu reenvidicava sobre os docentes á muito anos passa a ser uma realidade.

Recordo me com nostalgia, que defendia que os professores deveriam ser avaliados como os alunos, ou seja, deviam pegar nos alunos e os levar a ver a a vida escolar, as matérias de um modo diferente, e desta forma sentirem se satisfeitos por quando menos alunos chumbassem, melhor ficariam eles reputados, é claro que se hoje existem professores que «queimam» os alunos, nessa altura haveria quem passase alunos sem estes sabem, o que eu defendia nestes casos era que os alunos realmente soubessem, e para isso fossem submetidos a um teste, de modo a poder indagar se os objectivos para o professor fosse atinjido.

Com esta medida, espero que sejam justos na avaliação, pois o que aqui se encontra em causa é a qualidade de ensino que os alunos têm de ter, ou seja, o professor tem que perceber que está na sala de aula, como pessoa que deve transmitir os conhecimentos, e fazer com que o aluno (cliente) aprenda e os compreenda, e não os despejar; a avaliação do docente tem que ser realizada por esta premissa.

A escola é um serviço, onde os professores devem ter em atenção que os alunos são os clientes, e caso não sejam bons, das duas uma.

Ou o professor sai, ou então os alunos tem direito de deixar de consumir as aulas ao professor.

O professor deve sentir que uma aula é uma prestação de serviço unicamente, e nunca, mas nunca como até então, um local onde ele se acha superior e onde pode abusar da sua autoridade de docente como então.

Tenho dito.

RT

Salvem o XP!!!!

windows_xp.png

Após alguns problemas a nível tecnico no meu PC, li uma noticia em que a microsoft vai deixar de dar assistencia ao mais vendido e com mais sucesso OS do mercado, o Windows XP.

Uma das razões da não migração para o novo OS VISTA é o custo do mesmo, que na minha opinião é muito caro, pelo menos no caso de Portugal, tendo em conta, os nossos ordenados médios, mas principalmente o valor do ordenado mínimo nacional, o VISTA é mais caro que o valor de retuibuição mínima em Portugal…o que estará errado? o valor do VISTA ou o ordenado mínimo?

Outra razão, é muitos dos periféricos e mesmo hardware não ser compativel com esse OS, e não haver forma de corrigir essa situação, a culpa aqui é tanto da microsoft como dos fabricantes de hardware.

Eu acho o VISTA com aparência bonita, mas o preço e as incompatibilidades são alguns dos entraves à sua massificação, no inicio do século havia o denominado Windows Millenium edition, que não vingou, esse por se degradar muito facilmente…reinava então o nostalgico Windows 98, o melhor OS até à chegada do Windows XP.

Para quem quiser salvar o XP, fica aqui o link, de uma petição online com o intuito de o salvar.

RT

http://reg.itworld.com/servlet/Frs.frs?Context=LOGENTRY&Source=source&Source_BC=13&Script=/LP/80276783/reg&

A Máscara da PIDE do antigo regime…

Passo a citar na integra esta história:

«

História contada na primeira pessoa dá conta de vistoria às roupas vestidas pelos ocupantes dos carrosEste é o e-mail que anda a circular na Internet e que dá conta de verdadeiras caças ao CD pirata e à roupa contrafeita nas operações «Stop» da Brigada de Trânsito da GNR em conjunto com a Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE). Contactadas pela Agência Financeira, ambas negaram já acontecimentos deste género.«Operação stop: leiam e tenham cuidado!

ATENÇÃO às novas fiscalizações nas operações STOP!

Ontem à noite, depois de sair com um grupo de amigos, fomos mandados parar por uma brigada de trânsito (BT) da GNR.

Até certo ponto, achamos normal por se tratar de um fim-de-semana e ser costume haver a caça ao condutor com álcool.

Depois de o condutor soprar no balão, qual não é o nosso espanto quando o polícia pergunta se temos leitor de CD no carro.

Tínhamos leitor de CD e logo a seguir pediu-nos para ver os CD que tínhamos no carro, para ver se eram cópias!

Sobre isto, já eu tinha ouvido falar num mail que recebi recentemente. O que é incrível é que, depois dos CD, o polícia manda-nos sair do carro e começa a olhar para a nossa roupa! Verídico!

Nisto, chama uma mulher-polícia para junto das minhas colegas e um outro polícia para junto de nós e… pedem-nos para ver a etiqueta das nossas roupas!

Recusámo-nos imediatamente e eles informaram-nos que, naquela operação Stop, estava incluída uma busca por contrafacção!

É incrível que uma pessoa já não tenha liberdade para vestir a roupa que lhe apetece!

Um dos meus colegas tinha um casaco de uma marca conhecida, comprado na feira de Espinho, e eles identificaram-no!

O meu colega já contactou o advogado e este informou-o de que o que os polícias fizeram está dentro da lei! Pelos vistos, quando compramos roupa na feira, sabemos que estamos a comprar material ilegal e isso é crime! Estamos a pactuar com uma actuação fora da lei e por isso sujeitos a coimas por conivência de forma de delito.

Pelo que percebemos, só algumas marcas é que estão sujeitas a fiscalização, tipo, bolsas Gucci, óculos Channel, roupas Lacoste, Nike, Gant, Louis Vuitton, etc.

Façam chegar este mail a toda a gente para que todos saibam o abuso que estamos a sofrer!

Os polícias, em vez de prenderem os ladrões e zelarem pela nossa segurança, fazem de estilistas e analisam o que temos vestido!

Aqui está uma boa ideia para um episódio do CSI…

Este é o e-mail que eu já tinha recebido antes deste episódio:

A GNR-BT, nos auto-stops, começou a fiscalizar os CD piratas que temos no carro.

Se os CD não forem originais ou então se não possuímos o original que deu origem á cópia, (é permitido por lei efectuar UMA cópia de segurança), a viatura pode ser apreendida e sujeitamo-nos às respectivas sanções.

Retirem urgentemente os CD piratas do carro, não vá o diabo tecê- las».»

Retirado na integra de:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/noticia.php?id=902042&div_id=1730

em 11 de Janeiro de 2008

Pois bem, por o andar da caruagem qualquer dia ao comprarmos um produto de marca de insignia (marca branca) , temos que andar com as facturas dele atrás de nós.

Mais uma vez, andam a combater o elo mais fraco, ou seja, o coitado que ganha o ordenado minimo, ou mesmo menos que isso e junta uns trocos e vai a feira e compra roupa, sendo que este tipo de cliente, não tem, meios muitas vezes de comprovar a genuidade das roupas, pois pode até haver falsificação nas próprias etiquetas.

Penso que já se rebentou com o comercio tradicional, em grande parte, foram os próprios comerciantes que se auto destruiram, agora a ASAE quer acabar com uma tradição que é penso eu e reza a história a forma mais natural de comércio que são as feiras. Já na idade média havia feiras e trocas de produtos neste caso por troca directa, e não de forma indirecta como actualmente.

Penso que devem também verificar se as peças todas do carro são da marca, pois como é sabido, existem as peças de concorrencia que são muito mais baratas…

Há limites pra tudo, e acima de tudo bom senso….Portugal deveria ser uma democracia e não um fascismo amordenizado que é o que se está a tornar…

RT

Parabéns, por mais um aniversário…

images.jpg

Pois bem, este ano ainda não tinha postado nada, e só passado 8 dias do inicio de 2008, tive a oportunidade de poder postar, nem que seja por breves momentos, pois hoje é dia de festa, sim e verdade, eu confesso…é o meu aniversário.

No entanto, eu estou de parabens, mas tembém estão todos os que lêm este blog, os que comentam, os meus amigos, a namorada, familia… sem todos voces este blog nunca existiria, isso é certo, pois eu não escrevo só para esvaziar a minha opinião sobre os mais diversos assuntos, mas principalmente para vocês conhecidos ou mesmo anónonimos que visitam o blog, que na giria mais tecnica podem ser denominados de «meus clientes».

Espero que tenham entrado com o pá direito em 2008, e já agora, e após 8 dias desde novo ano de 2008, podem comentar as vossas entradas neste novo ano.

Lembrem-se mais que a minha opinião que muitas vezes a dou aqui, valem as nossas todas, sendo que é com o cruzar de opiniões que muitas vezes se chega a soluções que individualmente nunca teríamos conseguido atingir.

Despeço me porque tenho que ir festejar, lol!! (Eu não faço festas, pois assim sinto menos a idade…)

Votos de um Bom ano 2008, e Parabéns a mim, e Obrigado a todos sem vocês nunca existiria este blog….

RT